Turismo nas alturas

Nestes anos dedicados ao jornalismo de turismo tive o prazer não só de cobrir as mais inusitadas experiências como também de registrar certos destinos do alto.

Voos de helicóptero sobre a capital mais cobiçada do planeta, passeios de balão em cima das dunas mais altas do continente africano e até a roda gigante mais alta do mundo são algumas das atrações que podem dar, digamos assim, novos ares a sua próxima viagem.

Para viajantes com uma certa vocação em realizar voos mais altos, a regra é subir. E o Viagem em Pauta dá uma mãozinha. Confira a lista de cidades que merecem ser vistas do alto

Hong Kong

A cidade parece ter sido construída para ser apreciada do alto (e de longe).

Com um dos skylines mais impactantes de todo o continente asiático, este país que é uma Região Administrativa Especial da Chinas abriga atrações que levam o visitante a alturas como o teleférico Ngong Ping 360, cujo trajeto de 5,7 km  é considerado o mais extenso do sudeste asiático; o Ocean Park, parque de diversões com setores interligados por teleféricos; e o clássico The Peak, torre a 396 metros sobre o nível do mar em que o acesso é um bondinho de 1888. Sua plataforma de observação é uma das atrações mais concorridas de Hong Kong.

Hong Kong vista da torre The Peak (foto: Eduardo Vessoni)
Hong Kong vista da torre The Peak (foto: Eduardo Vessoni)

Cingapura

Esta cidade-estado do sudeste asiático também caprichou no cenário e surpreende quem decide subir. Localizado no sul da Malásia, o destino é endereço da roda-gigante mais alta do mundo: Singapore Flyer, com 165 metros de altura atingidos por cabines que pouco menos de 30 minutos para completar o circuito. Sua construção foi inspirada nos princípios do Feng Shui, o que explica as 28 cabines com 28 m² para 28 passageiros cada uma, cuja volta é completada em… 28 minutos.

Cingapura vista de uma das cabines da Singapore Flyer (foto: Eduardo Vessoni)
Cingapura vista de uma das cabines da Singapore Flyer (foto: Eduardo Vessoni)

Nova York

Do alto, aquela sequência de edifícios que rasgam os céus parece de brinquedo; a estátua mais famosa do mundo ganha outras dimensões; e o Central Park se debruça sobre a cidade como um tapete verde que se desenrola entre o concreto da cidade.

Se Nova York fascina em terra firme, é do alto dessa megalópole norte-americana que o visitante pode ter sob os pés uma das vistas mais exclusivas da cidade. Entre clássicos da cidade como os mirantes Top of the Rock (no 70º do edifício Rockefeller Center) e o Empire State Building Observatory (com vistas dos 86º e 102º), o viajante mais aventureiro encontra diversas opções de passeios panorâmicos de helicóptero a partir de US$ 139 por pessoa.

Com duração de até 30 minutos, o tour aéreo inclui sobrevoo em atrações da cidade como a Estátua da Liberdade, Ponte do Brooklyn, Ellis Island Empire State Building e o Ground Zero. Mais informações

Central Park visto do alto (foto: Eduardo Vessoni)
Central Park visto do alto (foto: Eduardo Vessoni)

Niágara

Toronto é via de acesso para uma das atrações naturais mais populares entre os que visitam o país: as Cataratas de Niágara. Localizadas a 1h30 de Toronto, entre o Canadá e os Estados Unidos, as Cataratas servem como destino para viagens rápidas de um dia que costumam deixar visitantes atônitos por semanas, sobretudo após os voos de helicóptero.

Localizadas a 1h30 de Toronto, as Cataratas servem como destino para viagens rápidas de um dia que costumam deixar visitantes atônitos por semanas, sobretudo após voos de helicóptero (foto: Eduardo Vessoni)
Localizadas a 1h30 de Toronto, as Cataratas servem como destino para viagens rápidas de um dia que costumam deixar visitantes atônitos por semanas, sobretudo após voos de helicóptero (foto: Eduardo Vessoni)

Breves e únicos, os passeios podem ser conjugados com pouso em alguma das vinícolas da região que recebem visitantes para degustação de vinhos. Os passeios são operados pelas empresas Niagara Helicopters Clifton Hill.

Cidade do Cabo

A capital legislativa da África do Sul é endereço de um dos mais belos cenários de todo o país. E se você ainda tem dúvida disso (e faltam argumentos para convencê-lo), embarque em um dos helicópteros que saem de V&A Waterfront, um dos atrativos turísticos mais populares do país.

Vista aérea da Cidade do Cabo, na África do Sul (foto: Eduardo Vessoni)
Vista aérea da Cidade do Cabo, na África do Sul (foto: Eduardo Vessoni)

Os sobrevoos sobre a Table Mountain, ícone natural do destino, são uma das experiências mais impactantes em todo o território sul-africano. Atualmente, 15 empresas de helicópteros atuam no interior deste complexo turístico. O passeio só perde mesmo para a emoção de encontrar os Big Five nas savanas da África.

Durban

O estádio Moses Mabhida, em Durban, na África do Sul oferece atividades radicais para ver a cidade do alto
O estádio Moses Mabhida, em Durban, na África do Sul oferece atividades radicais para ver a cidade do alto

Do outro lado do país (e em altitudes mais baixas), a simpática Durban abriga o estádio Moses Mabhida, onde é possível ver a cidade do alto em caminhadas pela estrutura sobre esta construção erguida para a Copa do Mundo 2010, passeios de funicular de vidro e até uma espécie de bung jump em que o visitante mais radical se lança a  a 106 metros de altura.

Namíbia

Ainda desconhecido entre viajantes brasileiros, este país vizinho da África do Sul abriga um dos desertos mais  secos e primitivos do mundo, cuja atração mais popular são as Dunas de Sossusvlei, em pleno Namib Naukluft Park. Para ter sob os pés aquelas impressionantes montanhas alaranjadas de areia, experimente os voos de balão acompanhados de café da manhã com champanhe. Saiba mais

Voo dde balão no Deserto da Namíbia (foto: Eduardo Vessoni)
Voo dde balão no Deserto da Namíbia (foto: Eduardo Vessoni)

Suíça

Declarada a estação de trem mais alta da Europa, Jungfraujoch é destino para aqueles viajantes que querem ver do alto o cenário clássico alpino. A viagem por esta ferrovia inaugurada em 1912 inclui paisagens como o conjunto de montanhas declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco, conhecido como  Jungfrau-Aletsch-Bietschhorn e Lauterbrunnen, vale que inspirou ‘O senhor dos anéis’, de J. R. R. Tolkien.

Vista da região de Jungfraujoch, a estação de trem mais alta da Europa (foto: Eduardo Vessoni)
Vista da região de Jungfraujoch, a estação de trem mais alta da Europa (foto: Eduardo Vessoni)

Budapeste

 Com concorrentes europeus tão populares como Paris e Roma, a capital da Hungria ainda não figura entre as preferências dos brasileiros. Mas basta subir ao topo de suas colinas para o viajante se convencer de que, definitivamente, esta é uma das mais belas capital de todo o Velho Continente.

Ponte Széchenyi Lánchíd, em Budapeste, capital da Hungria (foto: Eduardo Vessoni)
Ponte Széchenyi Lánchíd, em Budapeste, capital da Hungria (foto: Eduardo Vessoni)

Declarada a ‘Paris do Leste Europeu’, esta cidade às margens do rio Danúbio é endereço de locais como o Castle Hill e o Gellért Hill. Saiba mais sobre a cidade. 

Austrália

Principal porta de entrada para o país, Sydney surpreende com uma alucinante escalada sobre seu mais famoso cartão postal: a Sydney Harbour Bridge. Seus (vertiginosos) 134 metros sobre o porto podem ser atingidos a partir de uma caminhada pelos 1332 degraus até a plataforma do topo da construção. São quatro opções de roteiros com até 3h30 de duração e preços a partir de $198.

Visitantes fazem caminhada sobre a Sydney Harbour Bridge (foto: Eduardo Vessoni)
Visitantes fazem caminhada sobre a Sydney Harbour Bridge (foto: Eduardo Vessoni)

Salvar

3 Comentário

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. Para cada signo, um estilo de viagem | Viagem em Pauta
  2. Para cada signo, um estilo de viagem | Escola Esotérica

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*