Cinco baladas, no mínimo, inusitadas no Leste Europeu

Mais do que semelhanças políticas e históricas, certos países do Leste Europeu guardam a capacidade de se reinventar e abrigar capitais capazes de fazer até o viajante menos baladeiro trocar o dia pela noite para viver uma das cenas alternativas mais marcantes no lado menos conhecido do Velho Continente.

Casas noturnas em antigos quartéis, um bar em forma de disco voador e até shows em um barco atracado no rio Danúbio. Selecionamos algumas baladas, no mínimo, curiosas que você não deve deixar de conhecer:

Vista do bar UFO, na Bratislava (foto: Eduardo Vessoni)
Vista do bar UFO, na Bratislava (foto: Eduardo Vessoni)

Bratislava (UFO): Desembarcar na capital da Eslováquia já é uma experiência bastante inusitada, mas uma balada em uma estrutura em forma de disco voador sobre o rio Danúbio é, no mínimo, surreal. Localizado em uma torre de 95 metros de altura, o UFO é um bar-restaurante com vista panorâmica da cidade e boa variedade de drinques. O estabelecimento funciona nos pilares da Bratislava New Bridge, considerada a sétima maior ponte suspensa do mundo e abriga uma plataforma de observação, cujo acesso se dá por um elevador que sobe até o topo em 45 segundos.

A38, bar de Budapeste que funciona dentro de um barco ucraniano (foto: Divulgação)
A38, bar de Budapeste que funciona dentro de um barco ucraniano (foto: Divulgação)

Budapeste (A38): Seja qual for a programação, o mais inusitado desta balada húngara é seu endereço: um navio ucraniano de 1968 atracado em um dos rios mais populares de toda a Europa, o Danúbio. Esta embarcação com 85 metros de comprimento abriga uma sala de shows para 600 pessoas, restaurante e dois bares externos com terraços panorâmicos, dos quais um foi considerado pela Lonely Planet como o ‘melhor bar do mundo’, em 2012. Um dos espaços mais concorridos é o terraço sobre o navio, uma área ao ar livre com capacidade para 250 pessoas, no ponto mais alto do A38.

Antigos quarteis da capital da Eslovênia viraram bares alternativos (foto: Eduardo Vessoni)
Antigos quarteis da capital da Eslovênia viraram bares alternativos (foto: Eduardo Vessoni)

Liubliana (Metelkova Mesto): Este espaço underground da capital da Eslovênia está localizado em antigos quartéis militares, onde funcionam bares alternativos decorados com grafites e esculturas para amantes de sons pesados como heavy metal, ska punk e música industrial. Seus 12 mil m² abrigam também galerias e museus  de arte. A Cidade de Metelkova, tradução literal para o português, surgiu nos anos 90, quando artistas tomaram aqueles quartéis militares do Exército da antiga Iugoslávia  de forma pacífica para evitar que as construções fossem demolidas. Língua local incompreensível e fachadas que dizem pouco do que acontece lá dentro podem ser uma barreira, mas vale a pena explorar este surpreendente cenário balcânico de ambientes minúsculos frequentados, principalmente, por baladeiros locais com iluminação baixa, paredes com desenhos psicodélicos e som de batidas fortes.

Espingardas, capacetes e fotos de um dos ditadores mais sangrentos da Europa decoram o Bar Tito, em Sarajevo
Espingardas, capacetes e fotos de um dos ditadores mais sangrentos da Europa decoram o Bar Tito, em Sarajevo

Sarajevo (Bar Tito): O passado bélico parece mesmo não querer deixar aquelas terras que, há mais de 20 anos, ficaram destruídas pelos confrontos da violenta Guerra da Bósnia, entre 1992 e 1995. A capital da Bósnia ainda se recupera dos resultados desastrosos daquelas disputas por poder nos Bálcãs, mas ainda é possível ver resquícios da época como este estabelecimento que funciona como uma espécie de bar e museu alternativo que homenageiam o marechal Tito, o controverso ex-presidente da Iugoslávia. Destaques para o som eclético da casa (que vai do lounge ao rock) e ambientes onde capacetes militares funcionam como luminárias, espingardas estão emolduradas e as paredes são forradas de fotos e capas de revistas com o marechal em destaque. Com público formado por jovens universitários da região e som eclético, este bar é uma experiência histórica única para quem quiser beber as tradicionais canecas de cerveja com meio litro.

 

Bar Aquarius, em Zagreb, capital da Croácia
Bar Aquarius, em Zagreb, capital da Croácia

Zagreb (Aquarius Club): Os próprios jovens baladeiros croatas classificam o local como um clássico imperdível deste setor esportivo e de entretenimento da cidade ao redor do lago Jarun, no sudoeste da capital da Croácia. Seja inverno ou verão, o ponto de encontro de jovens e estrangeiros é o lago Jarun, região conhecida por seu complexo esportivo e praias com Bandeira Azul. Esta casa equipada com diversas salas com terraços recebe DJ’s residentes e convidados que animam noites temáticas com acid jazz, hip hop e R’n’B.

Salvar

1 Trackback / Pingback

  1. O que a dança do quadrado pode nos ensinar sobre viagens? | Da Porta Pra Fora

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*