Superagui: o Paraná que você ainda (não) conhece

texto e fotos: Eduardo Vessoni

Barcos deslizam sobre o mar de águas calmas que abrem caminho entre canais de margens largas; as ruas estreitas do vilarejo rústico ainda são de areia, a mesma que avança sobre quilômetros de praias selvagens; e as construções de madeira pintada em tons coloridos recortam o verde preservado do parque.

Pescadores lançam redes ao vento e, na praça central, entre árvores e bancos talhados em troncos, um vai e vem descompromissado de moradores que ainda resistem naquelas terras isoladas. Na casa de esquina, o passo duplo e arrastado do fandango dá o ritmo às noites mal iluminadas pelas varandas vizinhas.

Praia de Superagui, Paraná (foto: Eduardo Vessoni)
Praia de Superagui, Paraná (foto: Eduardo Vessoni)

‘Seu’ Pedro, o velho que guarda os últimos acordes da música local, nunca nega uma rodada de viola em qual bar que seja. Enquanto a ostra assa no fogão à lenha das casas simples de Barbado, a cataia envelhece na garrafa improvisada de cachaça.

E é só isso o que temos para dizer sobre Superagui, a ilha desconhecida do litoral norte do Paraná que ainda não ganhou o mundo do turismo de massa.

Super… o que? Esta foi a pergunta que mais ouvi quando anunciei entre amigos que passaria o final do ano em Superagui.

Localizado no município de Guaraqueçaba, este vilarejo rústico é considerado Patrimônio Natural pela UNESCO e faz parte do parque nacional de mesmo nome, uma área com quase 34 mil hectares que protege uma fauna local formada por aves marinhas da Praia Deserta, mico-leão-da-cara-preta e papagaio-da-cara-roxa.

Passeio de bicicleta em Superagui, Paraná (foto: Eduardo Vessoni)
Passeio de bicicleta em Superagui, Paraná (foto: Eduardo Vessoni)

Formada por uma geografia variada de Mata Atlântica, restingas, manguezais e praias, Superagui é o local onde o mar encontra o rio e forasteiros são recebidos na versão mais desconhecida da região.

O destino ainda conta com pouca estrutura turística (algumas opções de hospedagem em pousadas simples e restaurantes de serviço improvisado e com pouca variedade no cardápio). E talvez esta seja a melhor notícia para quem visita a ilha.

No cardápio de passeios estão caminhadas por praias desertas (que, mesmo em feriados prolongados, conseguem manter seu lado mais selvagem), aluguel de bicicletas para deslocamentos maiores, trilhas na Mata Atlântica, visita a comunidades que cultivam ostras e servem o molusco assado em fogões rústicos, praias de água doce formadas pelo rio local e avistamento da revoada dos raros papagaios-da-cara-roxa que habitam a Ilha dos Pinheiros.

Faltou argumento para te convencer? Então dá uma olhada na galeria de imagens da ilha de Superagui.

Confira a galeria de imagens de Superagui

 

COMO CHEGAR
Veículos são proibidos na ilha, de modo que o único acesso é por vias marítimas. Os barcos saem de Paranaguá às segundas, quartas e sextas, às 14h, no mesmo ponto de onde partem as balsas para a vizinha Ilha do Mel. Porém algumas pousadas da ilha incluem nos valores das diárias um traslado privado para hóspedes (o que pode ser o melhor investimento da viagem, uma vez que os barcos costumam sair cheios na alta temporada e as travessias são mais demoradas). A viagem pode durar de uma a três horas, de acordo com a maré e com o tipo de embarcação.

ONDE FICAR
Pousada Sobre as Ondas
www.pousadasobreasondas.com

Pousada Superagui
www.pousadasuperagui.com.br

Pousada Crepúsculo
Tel.: (41) 3482-7135

1 Comentário

  1. BOM DIA.
    ESTOU PREPARANDO UMA VIAGEM DE BIKE, DE CANANEIA A SUPERAGUI, SABE ME DIZER SE TEM ESTRADA, CAMINHO OU TRILHA E ALGUMA POUSADA NESSE TRECHO, SEI QUE EM ALGUNS PONTOS PRECISAREI ATRAVESSAR DE BARCO.
    SE TIVER ALGUM CONTATO NESSA ROTA, POR FAVOR ME PASSE, FICAREI MUITO AGRADECIDO.
    O PERIODO DA VIAGEM SERÁ NA SEGUNDA QUINZENA DE OUTUBRO.
    OBRIGADO PELA ATENÇÃO

1 Trackback / Pingback

  1. Destaques da semana | Viagem em Pauta

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*