‘Viagem em Pauta’ lista os melhores destinos de outono no Brasil

A massa de turistas que entopem praias do litoral já deixou os destinos mais populares, o sol já não castiga viajantes, as chuvas dão uma trégua em quase todo o Brasil  e as temperaturas mais amenas convidam para cair, novamente, na estrada.

Faltaram argumentos? Então acrescente também fatores como a baixa temperatura e os tradicionais descontos oferecidos em hotéis e agências.

O outono chegou e para celebrar a data o Viagem em Pauta selecionou destinos no Brasil que são a cara da estação.

Circuito das ÁguasLocalizadao na Serra da Mantiqueira, no interior de São Paulo, essa rota é formada pelas cidades de Amparo, Serra Negra, Socorro, Águas de Lindoia, Lindoia, Jaguariúna e Pedreira. É nessas estâncias hidrominerais que viajantes encontram opções que vão desde o balneário projetado por Burle Max, em Águas de Lindoia, até prática de esportes radicais em destinos de ecoturismo como Socorro.

Vista de Águas de Lindoia, no Circuito das Águas, em São Paulo (foto: circuitodasaguaspaulista.sp.gov.br)
Vista de Águas de Lindoia, no Circuito das Águas, em São Paulo (foto: circuitodasaguaspaulista.sp.gov.br)

ParatyEntre maio e agosto, essa cidade histórica do Rio do Janeiro já não recebe tantas chuvas como em outros períodos do ano, e o destino é palco de eventos concorridos como a Festa do Divino, no Dia de Pentecostes (50 dias após o domingo de Páscoa), e a FLIP, Festa Literária Internacional de Paraty que acontece em julho, já na temporada de inverno.

Além de seu protegido centro histórico tombado pelo IPHAN como Patrimônio Nacional, o destino tem acesso a cachoeiras e atrações como Trindade, vila de pescadores a 30 km de Paraty, e o Saco do Mamanguá, uma entrada de mar com 8 km de extensão formada por  mais de 30 praias e mangues preservados.

Centro Histórico de Paraty (foto: paraty.tur.br)
Centro Histórico de Paraty (foto: paraty.tur.br)

PirenópolisTombada como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, essa cidade histórica do interior de Goiás é conhecida por suas trilhas que dão acesso a cachoeiras da região que, entre abril e junho, estão mais cheias e as chuvas já não atrapalham caminhadas em meio ao cerrado.

Tombada pelo IPHAN como conjunto arquitetônico, urbanístico, paisagístico e histórico, a cidade abriga um centro bem preservado com construções do século 18.

Evite os finais de semana, quando chegam visitantes do restante de Goiás e de Brasília, e períodos de eventos como a tradicional Festa do Divino que acontece 50 dias depois da Páscoa, entre maio e junho.

Pirinópolis (foto: Silvio Quirino/Goiás Turismo)
Pirinópolis (foto: Silvio Quirino/Goiás Turismo)

Chapada dos Veadeiros: Poucas chuvas e temperaturas mais amenas favorecem também uma viagem para esse parque nacional declarado Patrimônio Natural Mundial pela UNESCO. Localizado em Goiás, entre Alto Paraíso e Cavalcante, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros possui 65 mil hectares de cerrado e é destino popular para quem procura aventura em trilhas e cachoeiras da região.

Entre as atrações naturais mais procuradas estão as trilhas de acesso aos cânions 1 e 2, na Vila de São Jorge, e a Cachoeira Almécegas I, em Alto Paraíso, onde está uma das quedas mais altas da região e cenário para prática de rapel.

Salto Rio Preto I, na Chapada dos Veadeiros (foto: Silvio Quirino/Goiás Turismo)
Salto Rio Preto I, na Chapada dos Veadeiros (foto: Silvio Quirino/Goiás Turismo)

Pantanal: O período da vazante dos rios, entre maio e setembro, é o mais indicado pois é nessa época que as águas que cobriam aquela região alagada começam a descer e animais como jacarés, aves e onças dão as caras.

Localizado entre os estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, esse ecossistema com quase 140 mil km² é um dos maiores territórios úmidos do mundo e sua diversidade animal lhe rendeu o título de Patrimônio Natural Mundial e Reserva da Biosfera pela UNESCO.

Pantanal (foto: turismo.ms.gov.br)
Pantanal (foto: turismo.ms.gov.br)

Curitiba: Centro histórico compacto, boa gastronomia e área verde abundante (64,5 m² por habitante, segundo dados oficiais) já são suficientes para visitar a capital do Paraná em qualquer época do ano, mas é no outono que as altas temperaturas dão uma trégua antes da chegada dos gelados meses de inverno.

(foto: Eduardo Vessoni)
Jardim Botânico de Curitiba (foto: Eduardo Vessoni)

Gramado: Para fugir da invasão insana de turistas nos meses de inverno, o outono pode ser uma alternativa para quem quer sentir as temperaturas mais baixas das Serras Gaúchas. Considerado um dos destinos mais visitados no Brasil, Gramado é conhecido pela produção de chocolate artesanal, vinícolas e atrações inusitadas como os museus do Perfume  e das Motos, a cidade miniatura do Mini Mundo, e a o Super Carros – Dream Cars, onde Ferraris, Camaros e Lamborghinis podem ser dirigidos pelos visitantes.

Gramado (foto: Prefeitura de Gramado/gramado.rs.gov.br
Gramado (foto: Prefeitura de Gramado/gramado.rs.gov.br

Jalapão: Antigo destino de tropeiros em direção ao centro do Brasil e de aventureiros extremos, essa região escondida do Tocantins tem entrado na lista de lugares exóticos a serem visitados por brasileiros.

Dizem que o Jalapão, a 180 quilômetro da capital Palmas, é visitável o ano inteiro, mas é entre maio e setembro que as chuvas dão uma trégua, as noites são mais frescas (entre 13° e 20º) e as atrações naturais estão perfeitas para prática de atividades como trilhas, navegação dos rios e banho nas cachoeiras de águas mais transparentes.

Pôr do sol nas Dunas do Jalapão, no Tocantins (foto: Eduardo Vessoni)
Pôr do sol nas Dunas do Jalapão, no Tocantins (foto: Eduardo Vessoni)

2 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*