Um ano sem Mandela: África do Sul celebra democracia com roteiro turístico dedicado a Madiba

Hoje, dia 5 de dezembro, completa um ano que o mundo perdeu um de seus maiores líderes.

Durante séculos, a África exportou para o mundo, involuntariamente, seus filhos para terras distantes do outro lado do Atlântico. Suas línguas maternas ganharam novas palavras, seus sons se fundiram em outros ritmos e sua história foi apagada em nome de uma cultura desconhecida que lhe fora imposta por estrangeiros.

Mas agora o caminho é contrário.

Se há pouco mais de 20 anos, a África do Sul recebia 3,4 milhões de forasteiros, os números atuais já ultrapassam os 13 milhões de pessoas que desembarcam naquelas terras, anualmente.

E para comemorar os 20 anos de democracia no país, duas décadas depois de Nelson Mandela se transformar no primeiro presidente a ser eleito democraticamente, a África do Sul lança um roteiro turístico dedicado a um dos mais importantes líderes políticos do mundo: Mandela (ou Madiba para os mais íntimos).

África do Sul
Soweto (foto: Eduardo Vessoni)

O mapa turístico Madiba-inspired tourist attractions (“Atrações turísticas inspiradas na vida de Madiba”, em tradução livre para o português) é uma criação  em conjunto do órgão de turismo de África do Sul (South African Tourism) e da Nelson Mandela Foundation. O projeto destaca pontos turísticos nas quatro províncias sul-africanas relacionadas à vida de Nelson Mandela.

E para sua viagem não perder nenhum capítulo da história recente da África do Sul, o Viagem em Pauta selecionou os endereços mais interessantes relacionados a Madiba. “Ube nohambo oluhle” (como se diria “boa viagem”, em língua zulu)

JOANESBURGO

A capital da província de Gauteng, cidade com mais de 5 milhões de habitantes, concentra o maior número de atrativos relacionados a um dos períodos mais dolorosos do país: o apartheid.

mandela13
Apartheid Museum (foto: Eduardo Vessoni)

A província de Gauteng, onde Madiba atuou como advogado de direitos humanos, abriga a clássica casa do distrito de Orlando, no Soweto, que serviu de residência para Mandela e duas de suas esposas, Evelyn Ntoko Mase e, mais tarde, Winnie Mandela.

– Apartheid Museum: Este é um dos mais impactantes endereços dedicados à segregação racial na África do Sul. O local reconta a história do sistema separatista criado pelo holandês Hendrik Frensch Verwoerd que, na África do Sul, durou de 1948 a 1994. Pioneiro em seu gênero, o museu multimídia abriga salas temáticas sobre a classificação de raças, a segregação e a histórica eleição de 94. As duas portas de ferro na entrada que selecionam o visitante de acordo com a cor da pele dá uma ideia do que se pode encontrar lá dentro. Visitantes negros devem usar o acesso para brancos e brancos têm acesso pela porta onde se lê “Não-brancos”. www.apartheidmuseum.org

– Constitution Hill: Este Monumento Nacional está localizado em um forte do final do século 19 e foi responsável pelo isolamento de líderes que lutaram contra o apartheid, como Mandela e o indiano Gandhi, prisioneiros da Guerra dos Bôeres e manifestantes presos do Soweto.

Constitution Hill (foto: Reprodução)
Constitution Hill (foto: Reprodução)

No tour guiado, é possível conhecer a atual Corte Constitucional da África do Sul, o forte de 1893, a penitenciária feminina que abrigou nomes como Winnie Mandela e Albertina Sisulu e a temida Number Four, o edifício principal que abrigava as celas locais. www.constitutionhill.org.za

– Liliesleaf Farm: Essa fazenda localizada em uma antiga área rural de Joanesburgo foi o endereço secreto dos líderes que lutaram pelo fim do apartheid, entre 1961 e 1963. Localizada em Rivonia, a atração ainda preserva as casas onde eram tomadas as decisões para as próximas ações de líderes como Mandela e Walter Sisulu. O local abriga o antigo quarto de Madiba, móveis da época e objetos considerados ilegais pela polícia branca como livros e documentos. www.liliesleaf.co.za

Liliesleaf Farm
Liliesleaf Farm (foto: Eduardo Vessoni)

– Mandela House: Essa antiga casa de tijolos a vista foi uma das residências de Mandela, quem dividiu os cômodos minúsculos com duas de suas esposas, e abriga um acervo discreto com objetos, fotografias, documentos e móveis da época. Localizada no Soweto, cidade próxima a Joanesburgo, a construção se encontra no número 8115 da Vilakazi Street, declarada a única rua do mundo a abrigar dois Nobel (Mandela e o arcebispo Desmond Tutu). www.mandelahouse.com 

Mandela House
Mandela House (fotos: Eduado Vessoni)

Mandela House

Mandela House

– Hector Pieterson Memorial: Espaço dedicado a Hector Pieterson, o garoto de 12 anos assassinado durante o protesto que ficou conhecido como “Levante do Soweto”, manifestação de 1976 contra a imposição do aprendizado do africâner, idioma usados pelos brancos de origem holandesa. No acervo do memorial há testemunhos dos envolvidos, fotos e documentos.

CIDADE DO CABO

Montanha da Mesa vista da Robben Island, na Cidade do Cabo
Montanha da Mesa vista da Robben Island, na Cidade do Cabo (foto: Eduardo Vessoni)

– Robben Island: Uma das mais populares atrações turísticas do país, essa ilha guarda boa parte da história política de Mandela. Foi ali que o líder esteve confinado por 19 anos, entre 1963 e 1982. Declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco, a ilha fica a 11 km da Cidade do Cabo e abriga celas como a de Mandela (o famoso prisioneiro 466/64) e instalações como cemitério, hospital e escola instalados no local. Os tours são feitos de ônibus, com direito a uma parada estratégica para avistar a bela Montanha da Mesa, e são guiados por ex- presidiários. www.robben-island.org.za 

– Nobel Square: Praça localizada no V&A Waterfront com esculturas dos quatro sul-africanos que já ganharam Prêmio Nobel: Nelson Mandela, Desmond Tutu, o ex-presidente Frederik Willem de Klerk e o ativista Albert Luthuli.

Mandela Square, na Cidade do Cabo
Mandela Square, na Cidade do Cabo (foto: Eduardo Vessoni)
África do Sul
Capture Site (foto: Reprodução)

PROVÍNCIA DE KWAZULU-NATAL

– The Capture Site: Foi no “Lugar da Captura” que Mandela seria preso , nos anos 60, e começaria seus 27 anos de prisão. No local uma escultura com 50 hastes de aço de até 9.5 metros de altura dão forma à imagem de Mandela (foto à esq.) e recepcionam os visitantes nesse memorial com exposições temporárias. www.thecapturesite.co.za

– Pollsmoor Prison: Localizada a 25 minutos da Cidade do Cabo, em Tokai, é uma das maiores do Cabo Ocidental e também serviu de confinamento, em 1982, de nomes como Mandela, Walter Sisulu e Andrew Mlangeni. Atualmente, um inusitado roteiro oferece refeições servidas pelos próprios prisioneiros dessa penitenciária de segurança máxima, conhecida como ‘Idlanathi’.

 

COMO CHEGAR
Joanesburgo é a principal porta de entrada não só da África do Sul mas também de todo o sul do continente africano. São Paulo conta com voos diretos (9h30 de duração) operados pela South African Airways: www.flysaa.com

Site oficial de turismo da África do Sul
www.southafrica.net

1 Trackback / Pingback

  1. Cidade do Cabo - Viagem em Pauta

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*