A pouco mais de 50 km de SP, Paranapiacaba é lugar perfeito para trilhas

A gente sempre acha que a grama do jardim do vizinho é mais bonita. E em Paranapiacaba, a afirmação não é exagero.

Localizada a pouco mais de 50 km da capital de São Paulo, no topo de uma falha geológica que rasga a Mata Atlântica, Paranapiacaba é daqueles destinos minúsculos que deixam a nossa alma em níveis elevados.

A vila começou a ser erguida a partir de 1867 com o objetivo de abrigar funcionários da São Paulo Railway Co. que naquele momento construíam a primeira estrada ferroviária de São Paulo que passaria a funcionar como vias importantes de escoamento do café para o porto de Santos.

(foto: Eduardo Vessoni)
(foto: Eduardo Vessoni)

No centro histórico compacto de Paranapiacaba é possível visitar construções preservadas como o Castelinho, obra em estilo vitoriano do final do século 19 que abrigou a residência do então engenheiro chefe da estação ferroviária; e um pequeno museu com peças da época como o arrojado sistema funicular de transporte por plataformas até o nível do mar.

O destino é considerado a única vila ferroviária em estilo inglês preservada do Brasil.

(foto: Eduardo Vessoni)
(foto: Eduardo Vessoni)

Mais do que cenário pitoresco de ruas estreitas de terra e casas erguidas com madeira de pinho de riga, essa vila histórica declarada Patrimônio Nacional pelo Iphan abriga seis trilhas pelo interior do Parque Natural Municipal Nascentes de Paranapiacaba, na divisa com o Parque Estadual da Serra do Mar.

Embora as trilhas possam ser feitas durante toda a semana, a vida noturna e as opções de restaurantes de segunda à sexta desanimam os viajantes mais empolgados.

Mas, definitivamente, Paranapiacaba é mesmo destino para ser surpreendido pelo visual natural de contornos impactantes dos arredores da vila.

Conheça as opções de trilhas de Paranapiacaba

⇒ TRILHA DOS GRAVATÁS
Esta é uma das trilhas mais curtas de Paranapiacaba. Possui 389 metros de extensão e é conhecida pelas árvores com copas elevadas que fornecem sombras ao longo de todo o caminho.

⇒ TRILHA DAS HORTÊNSIAS
Trajeto de apenas 325 metros, nos limites do Núcleo Olho D’água. O caminho entre plantações de hortênsias pode ser percorrido em, aproximadamente, trinta minutos.
foto: Eduardo Vessoni
foto: Eduardo Vessoni
⇒ TRILHA DO MIRANTE
Esta é uma das caminhadas com visual mais impactante de todo o roteiro, sobretudo quando o céu aberto permite ver Cubatão e o litoral do alto do mirante que dá nome à trilha. Prepare-se para uma longa subida de 1185 metros de extensão por uma estrada íngreme de pedras que costuma ser tomada pela nostálgica neblina local.
foto: Eduardo Vessoni
foto: Eduardo Vessoni

 

⇒ TRILHA DA PONTINHA
Esta trilha de baixa dificuldade é recomendada para iniciantes, cujo percurso de uma hora passa por pequenas piscinas naturais formadas pelas águas do rio Grande, pelo antigo sistema de abastecimento de água criado pelo alemão Gustavo Hartmann e pelas escadarias de pedra onde ainda é possível ver estampadas as iniciais SPR em referência à São Paulo Railway Co.

⇒ TRILHA DA COMUNIDADE
O destaque dessa trilha são as ruínas de uma comunidade esotérica que funcionou no local, nos anos 70. Trilha difícil, cujo trajeto de 1568 metros  de extensão é marcada por aclives acentuados que levam o caminhante até o ponto mais alto do Parque Natural Nascentes de Paranapiacaba.

 

⇒ TRILHA DA ÁGUA FRIA
Localizada em um dos trechos mais preservados do parque, essa trilha de 368 metros abriga uma queda d’água que forma uma piscina natural ideal para banhos e tem acesso pela estrada do Taquarussu, próximo ao acesso à Trilha da Comunidade.

 

* As trilhas só podem ser feitas com o acompanhamento de guias cadastrados. Para mais informações, acesse: www.ama-paranapiacaba.org.br

SAIBA MAIS
Site de Paranapiacaba
www.paranapiacaba-spr.org.br

COMO CHEGAR
– Expresso Turístico Paranapiacaba:
O Expresso Turístico Luz –Paranapiacaba, operado pela CPTM, sai aos domingos da Estação da Luz às 8h30 e da Estação Prefeito Celso Daniel-Santo André, às 9h (exceto no segundo mês do mês).

O retorno ocorre às 16h30 em Paranapiacaba, com parada na estação de trem em Santo André, no ABC paulista.

A viagem é feita a bordo de uma composição formada por dois carros de aço inoxidável fabricados no Brasil, na década de 50, e tracionados por uma locomotiva reformada dos anos 50.

O trajeto de 48 km dura 1h30 e é realizado ao longo da atual Linha 10-Turquesa. Bilhetes a partir de R$ 34 por pessoa. Saiba mais

– De carro:
Acesso pela Via Anchieta (km 29) – Estrada Velha de Santos (SP 148) – rodovia Índio Tibiriçá (SP 31) até o km 45,5.

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. Para cada signo, um estilo de viagem | Viagem em Pauta
  2. Para cada signo, um estilo de viagem | Escola Esotérica

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*