Deserto do Atacama pela primeira vez

Já desembarquei três vezes nessas que são consideradas as terras mais secas do planeta.

E cada vez que coloco os pés nesse destino do norte do Chile não consigo repetir uma atração sequer (exceto pela última viagem para jornalistas que fiz, em 2013, em que fui obrigado a repetir a visita ao Valle de La Luna).

Seja pela primeira vez ou não, o Deserto do Atacama é daqueles destinos que valem a pena ser visitados em várias viagens e em diferentes estações do ano.

Pode sonhar com os olhos abertos. O oásis existe e fica no Deserto do Atacama.

Confira as atrações indicadas para visitantes de primeira viagem:

San Pedro de Atacama
O minúsculo povoado a mil km de Santiago é o melhor resumo do que o viajante vai encontrar nos dias seguintes: ruas de terras alaranjadas, construções de adobe e um típico colorido andino estampado em roupas e acessórios expostos nos pequenos estabelecimentos comerciais da cidade.

Rua Caracoles, San Pedro de Atacama (foto: Eduardo Vessoni)
Rua Caracoles, San Pedro de Atacama (foto: Eduardo Vessoni)

É na rua Caracoles, a movimentada via principal de San Pedro, onde estão os melhores restaurantes, alguns hotéis com diárias mais econômicas (mas não se anime, o destino é mesmo mais caro do que o restante do Chile) e os escritórios das agências de turismo mais populares do destino.

Lembre-se que é ali que começa o planejamento de seus próximos dias, uma vez que muitos dos roteiros mais populares no Atacama só podem ser feitos em tours organizados.

Vales da Lua e da Morte
Não vai ter como fugir! Se essa é a sua primeira visita ao destino, esses dois vales são obrigatórios no roteiro.

É só desembarcar em um dos dois endereços que logo você descobre a origem do nome de cada uma dessas que são as atrações mais essenciais para quem chega por ali.

Formado por dunas de areia e esculturas rochosas naturais, o Valle de la Luna, fica a dois quilômetros de San Pedro e pode, inclusive, ser visitado de forma independente por visitantes a bordo de bicicletas.

Já o Valle de la Muerte pode ser visitado em tours mais demorados que incluem a Cordilheira do Sal e curiosas esculturas de sal conhecidas como Las Tres Marías.

2_luna
Valle de la Luna, Atacama (foto: Eduardo Vessoni)

Certos passeios turísticos devem ser evitados em qualquer parte do planeta, mas a popular observação do por do sol no Valle de la Luna é uma daquelas experiências congestionadas que não devem ser evitadas.

Salar de Atacama
Localizado no interior da Reserva Nacional Los Flamencos, esse salar é outro cenário obrigatório em sua viagem ao Atacama.

Salar de Atacama (foto: Eduardo Vessoni)
Salar de Atacama (foto: Eduardo Vessoni)

São 320 mil hectares de um impressionante deserto formado por rochas de sal que rodeiam lagoas que servem de habitat para os três tipos de flamingos locais.

A Reserva Nacional Los Flamencos preserva uma área de mais de 73 mil hectares e abriga atrações como os salares de Tara, de Aguas Caliente, de Puisa e do Atacama, além das lagoas Miscanti e Miñiques.

Chile
Salar de Atacama (foto: Eduardo Vessoni)

Aldea de Tulor
Localizada ao norte da salina, esta aldeia arqueológica é formada por construções interconectadas de arquitetura circular que datam entre os anos 800 A.C. e 500 D.C.

No local é possível visitar as antigas casas de adobe do povo atacamenho que estiveram enterradas por décadas.

Aldea de Tulor (foto: Eduardo Vessoni)
Aldea de Tulor (foto: Eduardo Vessoni)

Gêiseres de El Tatio
Prepare-se para as baixas temperaturas (-16°, para ser mais exato) que temperam esse tour que começa, obrigatoriamente, às quatro da manhã, por conta do trabalho das fumarolas dos gêiseres que se podem ser vistas bem cedo por conta do frio.

Tatio, Deserto do Atacama (foto: Eduardo Vessoni)
Tatio, Deserto do Atacama (foto: Eduardo Vessoni)

Localizado a quase 4.300 metros de altitude, esse campo geotérmico fica em El Tatio, a 90 km ao norte de São Pedro, e podem ser vistos durante os inusitados banhos em piscinas naturais de águas vulcânicas, atividades que acontecem logo após o café da manhã servido no local, ali mesmo entre um gêiser e outro.

O melhor horário para observação do fenômeno é entre seis e sete da manhã.

Lagoas do Atacama
Escondidas no deserto, a 4.200 metros de altitude, as lagoas altiplânicas são outra atração obrigatória para quem chega no Atacama pela primeira vez.

As mais populares são Miscanti e Miñiques, conhecidas pelas suas águas de tons azuis safiros, a pouco mais de 100 km de San Pedro.

Mais próximo ao centro do vilarejho se encontra a Cejar, lagoa de água com alta concentração de sal que permite aos visitantes nadar no local sem afundar.

Laguna Cejar (foto: Eduardo Vessoni)
Laguna Cejar (foto: Eduardo Vessoni)

Tours de bicicleta
Para dar um certo tom de independência a sua visita ao Atacama, reserve um dos dias para explorar a região sobre duas rodas.

Passeios de bicicleta no Valle de la Luna (foto: Eduardo Vessoni)
Passeios de bicicleta no Valle de la Luna (foto: Eduardo Vessoni)

O centro de San Pedro abriga agências que alugam bicicletas e oferecem também passeios guiados com carros de apoio.

Inclua no roteiro atrações como as lagoas próximas ao povoado, Pukará de Quitor e a Quebrada del Diablo, na Cordilheira do Sal.

Tour astronômico
Dono de uma das melhores condições para observação do céu, o Atacama possui mais de 300 noites de céu limpo e é endereço de uma das mais fascinantes experiências do destino: o tour astronômico.

Acompanhada por um especialista no assunto, a visita a um autêntico observatório dura 2h30 e ajuda o visitante a observar o céu a olho nu e, logo, permite ver planetas e estrelas nos telescópios locais.

Tour de observação do céu do Atacama, no norte do Chile (foto: Eduardo Vessoni)
Tour de observação do céu do Atacama, no norte do Chile (foto: Eduardo Vessoni)

O Space, o observatório mais visitado do Atacama é considerado o melhor equipado da América do Sul  e disponibiliza dez telescópios (manuais e automáticos) para uso dos forasteiros.

A gelada experiência a céu aberto, a seis quilômetros ao sul da cidade e longe o suficiente das luzes artificiais, termina com um (providencial) chocolate quente servido na própria casa dos proprietários do local.

DICAS PARA VISITANTES DE PRIMEIRA VIAGEM
– San Pedro está a 100 km de Calama, onde se localiza o aeroporto mais próximo. Para quem não tem tempo, invista alguns pesos chilenos do orçamento para chegar de avião ao Atacama, uma vez que a viagem entre Santiago e Calama duram (longas) 24 horas. Por vias aéreas são duas horas de duração, aproximadamente, em voos operados pela Lan.

  • Do aeroporto de Calama existem serviços de táxis e transfers para San Pedro, um deslocamento de, aproximadamente, 1h30 de duração. Uma opção aventureira (e talvez uma das experiências mais fascinantes em toda a América do Sul) é a travessia até o Chile pelo deserto da Bolívia, onde se localiza o obrigatório Uyuni. Os tours variam de 1 a 4 dias e podem ser encontrados na chilena San Pedro de Atacama ou na cidade do Uyuni, na Bolívia.

  • Se ainda assim o orçamento estiver apertado, vá sem medo por vias terrestres, pois os ônibus chilenos são conhecidos por sua excelente qualidade de serviço, inclusive com sistema de refeição e entretenimento a bordo. A viagem é feita por empresas como Pullman Bus e Tur Bus.

  • Quem vai de carro a partir de Santiago deve seguir pela Ruta 5 norte até a bifurcação em Carmen Alto e dali pegar a Ruta 25 sentido nordeste pelos próximos 1.574 km.

  • Na região mais seca do mundo, chuvas são bem raras e não ultrapassam algumas dezenas de milímetros de água por ano. Porém, planeje a viagem para meses com temperaturas mais amenas: entre setembro e novembro; ou entre março e maio, temporadas de primavera e outono, respectivamente.

  • Mal de altura ou puna é o mal estar causado pelas altitudes elevadas do local. Recomenda-se beber muita água, mastigar folhas de coca em uma das feiras de artesanato de San Pedro e evitar ingerir bebida alcoólica no primeiro dia da viagem.

 

8 Comentário

  1. Eduardo, bom dia! Entrei aqui por acaso enquanto lia uma matéria sobre destinos da América do Sul e confesso que me apaixonei pelas fotos e os detalhes nas informações de passeios e MUITA vontade de conhecer esse lugar. Amo fotografia e eu eu meu namorado temos interesse de montar um blog com fotos de nossas viagens e sugestões de passeios, mas por enquanto só está no papel mesmo. Fiquei encantada com o seu. Muito obrigada por compartilhar sua experiência conosco. Sucesso!

  2. Eduardo, estou pesquisando orçamentos e roteiros para ir em Novembro pro Atacama. Você aconselharia ficaar em hoteis mais baratos e passear mais ou no esquema all incluse e gastar mais?

    • Juliana, os hotéis all inclusive do Atacama costumam incluir nas diárias todos os passeios que forem possíveis realizar durante a sua estadia.

      No entanto, considere que nesse tipo de hospedagem você acaba tendo pouca flexibilidade para sair do roteiro estipulado pelo hotel e as refeições acabam sendo sempre no mesmo lugar, tirando a sua chance de fazer descobertas.

  3. Eduardo, tudo bem? Estou pesquisando passeios pelo Atacama e seu blog foi o que mais se pareceu com o meu caso. Vou ficar somente 3 noites no Atacama.e consequentemente 2 dias inteiros. E estou em dúvida em quais passeios seria mais interessante fazer, já que tenho pouco tempo. Tem ainda o fato do hotel ser all inclusive, o que também queríamos aproveitar para descansar. Quais passeios que você acredita que sejam imperdíveis e que daria para fazer no mesmo dia?
    Obrigada.

    • Ana Elisa, que legal que nossas dicas se encaixam no seu perfil.

      Olha, essa história de hotel all inclusive no Atacama deixa a gente bem mal acostumado e nem dá vontade de sair, né? kkk

      Mas se você for ficar em um daqueles hotéis bacanas tipo o Awasi, Explora e Kunza, dá uma conferida pois os passeios costumam estar incluídos nos serviços para hóspedes, com direito até a champanhe e por do sol no deserto só pra você!!!

      Como os Gêiseres de El Tatio só podem ser vistos bem cedo, você fica liberada à tarde para fazer os outros passeios como o final de tarde no Valle de la Luna. Faça os dois no mesmo dia.

      Já as lagoas do Atacama (que você não pode deixar de ver) podem ser vistas no mesmo passeio para o salar (que vc também TEM que ver). Se tiver disposição nesse mesmo dia, encare o tour astronômico, à noite. É único!!!

      Acho que para dois dias inteiros vocẽ já tem programação suficiente para se dar conta de que vai ter voltar!!!! 😉

      Abraços e boa viagem.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*