Nova Iorque para ver do alto

Do alto, aquela sequência infinita de edifícios que rasgam os céus parece de brinquedo; a estátua mais famosa do mundo ganha novas dimensões e quase cabe nas mãos; e o Central Park se debruça sobre a cidade como um tapete verde que se desenrola entre o concreto frio da cidade.

Se Nova Iorque já fascina em terra firme, é do alto dessa megalópole estadunidense que o visitante pode ter um dos cenários mais exclusivos bem diante dos olhos (e debaixo dos pés).

Mais do que um destino de compras e musicais da Broadway, a ‘Capital do Mundo’, como Nova Iorque já foi conhecida, também surpreende quando vista do alto.

Hotel com apartamentos localizados no 54º andar, bar com terraço com vistas para o Upper East Side, voos panorâmicos de helicóptero sobre pontos turísticos da cidade e até um parque construído sobre trilhos ferroviários suspensos sobre bairros descolados da cidade.

Final de tarde em Nova Iorque (foto: Eduardo Vessoni)
Final de tarde em Nova Iorque (foto: Eduardo Vessoni)

Para começar aos poucos, inicie o passeio pelo HighLine Park, um parque público construído sobre antigos trilhos a dez metros do chão e que cruzam bairros como West Chelsea e Meatpacking District.

Erguidos na década de 1930 sobre setores industriais de Nova Iorque e abandonados anos mais tardes, esses trilhos abrigam, atualmente, uma bem sucedida área de lazer com cadeiras e bancos para descanso, bares e jardins com vistas para Midtown e o rio Hudson.

Nova York
Highline Park, parque suspenso localizado no West Chelsea e Meatpacking District (foto: Eduardo Vessoni)

Nova Iorque também conta com lugares clássicos com vistas privilegiadas.

A construção mais alta da cidade, título que voltou a receber após os ataques terroristas sobre o World Trade Center, em 2001, o Empire State Building possui um mirante a pouco mais de 300 metros do chão, localizado no 86º andar desse edifício que está aberto para visitas desde 1931.

Declarado pelos estudiosos da Cornell University como um dos dez pontos mais fotografados do mundo, o local recebe todos os anos 3,5 milhões de visitantes e oferece a possibilidade de subir até outro terraço de observação localizado no 102º andar.

Outra atração imperdível para quem quer ter a Big Apple sob os pés é o Top of the Rock, deques localizados entre os 67º e 70º andares desse prédio inaugurado em 1933. Do alto, tem-se uma visão de 360° da cidade, com destaques para o Empire State e o Central Park que corta a cidade.

Nova Iorque vista do Top of the Rock (foto: Eduardo Vessoni)
Nova Iorque vista do Top of the Rock (foto: Eduardo Vessoni)

No entanto, se a ideia é subir em alto estilo, a próxima parada é o Pier 6 do extremo sul da ilha de Manhattan. É dali que saem os helicópteros que sobrevoam a cidade. Os voos costumam durar até 30 minutos, mas a viagem custa para ser esquecida.

Ver aquela monumentalidade de Nova Iorque bem debaixo dos pés sob uma perspectiva única é uma das experiências mais fascinantes da cidade, sobretudo nos finais de tarde de dias com céu claro.

Os passeios, operados pela Helicopter Flight Services, passam sobre ícones locais como a Estátua da Liberdade, Centro Financeiro, Ponte do Brooklyn e edifícios como o Empire State e o Chrysler.

Para repôr as energias, a cidade conta com algumas excelentes opções de hospedagem para quem não quiser sair das alturas.

Estátua da Liberdade vista durante voo panorâmico em Iorque (foto: Eduardo Vessoni)
Estátua da Liberdade vista durante voo panorâmico em Nova Iorque (foto: Eduardo Vessoni)
Mandarin Oriental (foto: Eduardo Vessoni)
Mandarin Oriental (foto: Eduardo Vessoni)

Um dos destaques é o clássico Mandarin Oriental, cujos quartos ficam entre o 35º e o 54º andares do Time Warner Center, em plena Columbus Circle.

Declarado um dos 20 prédios mais altos da cidade, o Mandarin possui quartos com janelas panorâmicas que garantem aos hóspedes vistas exclusivas para o Central Park ou para o rio Hudson.

Outra surpresa hoteleira é o Cassa.

Esse hotel localizado na 45th Street, em plena Midtown Manhattan e a poucos metros do agito da Times Square, surpreende com um design exclusivo na recepção decorada com paredes de preto vulcânico, uma mesa em forma de bumerangue em tom avermelhado e uma passarela sobre um restaurante com paredes de vidro.

O destaque é a vista que se tem do lounge e do terraço no 10º andar que abriga o restaurante onde é servido o café da manhã com pratos assinados pelo chef francês Laurent Tourondel.

O estabelecimento tem 44 andares com 165 quartos e 57 residências que podem ser alugadas por temporada.

The Surrey (foto: Eduardo Vessoni)
The Surrey (foto: Eduardo Vessoni)

Para terminar o dia, não deixe de visitar o concorrido jardim do terraço do 17º andar do hotel The Surrey, localizado no sofisticado Upper East Side.

Inspirado no design cuidadoso e tradicional dos jardins ingleses, o local abriga um bar ao ar livre com mais de 200 m² decorado com ipês brasileiros e flores sazonais como sálvia roxa e latanas coloridas.

A ‘Muddled Lemonade’, limonada feita com ervas, frutas e especiarias, acompanhada da boa seleção musical baseada em clássicos do jazz, fazem do bar um dos mais exclusivos.

Do alto, Nova Iorque fica ainda melhor.

1 Trackback / Pingback

  1. 3ª fase do parque High Line, em Nova York, é aberta ao público

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*