Selton Mello fala sobre viagens com exclusividade para o ‘Viagem em Pauta’

— “Bom dia, um pouco bêbado”.

Foi assim, com aquele inconfundível sotaque mineiro e depois da 10ª taça, que o cineasta e ator Selton Mello abriu sua inusitada participação na 22ª edição da Avaliação Nacional de Vinhos, que aconteceu no último final de semana, no Rio Grande do Sul.

Entre comentários sisudos de especialistas e notas complexas de vinhos premiados, Selton segurou na mão uma plateia de de mil pessoas empenhadas em meter o nariz em taças com espumantes, vinhos tintos e brancos, neste evento que é considerado a maior degustação coletiva de vinho do mundo.

Eu não sei como estou nessa mesa. Acho curioso os profissionais que sentem frutas e carvalhos nos vinhos. Eu não sinto nada disso“, brincou o ator, na mesa que dividia com enólogos e somelliers.

O Viagem em Pauta esteve no evento em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, e falou com exclusividade com Selton Mello.

Selton Mello durante a 22ª edição da Avaliação Nacional de Vinhos que aconteceu em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul (foto: Eduardo Vessoni)
Selton Mello durante a 22ª edição da Avaliação Nacional de Vinhos que aconteceu em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul (foto: Eduardo Vessoni)

Assim como o ator, nós também não entendemos nada de vinho. Por isso  conversamos sobre aquilo que melhor sabemos fazer: viajar.

“Toda viagem é transformadora, você sempre volta diferente”, definiu Selton.

É o que deve acontecer, em 2015, quando o ator embarca para a Islândia por conta das gravações do filme Soundtrack, com direção da dupla 300 ml e falado em inglês.

(foto: visiticeland.com/Divulgação)
Islândia (foto: visiticeland.com/Divulgação)

“Este é mais um lugar que o cinema vai me levar. Eu nunca fui para lá, mas meu personagem também não foi, então a gente vai viver algo parecido. Eu vou sentir o que ele sentiria e isso vai ser bom”, descreve o ator.

Por conta do cinema, Selton já desembarcou em destinos pouco conhecidos dos viajantes como a simpática Cabaceiras, na região do Cariri paraibano (onde o casario colorido do centro histórico ainda se mantém preservado desde a época em que a equipe do filme ‘Auto da Compadecida’ passou por ali), e cidades de Minas Gerais como Conceição de Ibitipoca, destino da zona da mata mineira que serviu de cenário para o filme “O Palhaço”, obra de 2011 em que o ator trabalhou também como diretor.

Vista de Ibitipoca, em Minas Gerais (foto: Circuito Fora do Eixo/Flickr - Creative Commons)
Vista de Ibitipoca, em Minas Gerais (foto: Circuito Fora do Eixo/Flickr – Creative Commons)

“A geografia ajuda muito a compor os personagens. A cultura do lugar, a forma como as pessoas se apresentam acaba influenciando muito no meu trabalho” (Selton Mello)

Mas antes de cruzar o oceano até terras geladas, Selton passará uma temporada  na região da Serra Gaúcha para gravar seu próximo filme, o longa “O Filme da Minha Vida”, adaptação do livro “Um Pai de Cinema”, do escritor chileno Antonio Skármeta.

As gravações, que vão de março a maio, serão em cidades gaúchas como Bento Gonçalves, Monte Belo do Sul, Farroupilha e Garibaldi.

“Na verdade, esse filme foi uma desculpa para passar um tempo na Serra Gaúcha”, afirmou o ator enquanto participava da mesa de avaliação de vinhos ao lado de figuras como o empresário e comentarista Galvão Bueno.

Embora conheça pouco a região, cujo destino mais frequentado pelo ator é Gramado, sede do Festival de Cinema de Gramado, Selton Mello recomendou para os leitores do Viagem em Pauta o Hotel & Spa do Vinho Caudalie.

“É um hotel bom pra descansar, passar uns dias românticos com a namorada e baixar um pouco a bola do trabalho”, definiu o ator.

O hotel abriga 18 hectares de vinhedos, onde são produzidos uvas Merlot para seus vinhos de fabricação própria.

Detalhe de um dos tratamentos com uvas do hotel Spa do VInho, na Serra Gaúcha (foto: Divulgação)
Detalhe de um dos tratamentos com uvas do hotel Spa do VInho, na Serra Gaúcha (foto: Divulgação)

Mas o destaque desse hotel erguido em estilo toscano é o Spa do Vinho, espaço vinoterápico com sessões de extratos antioxidantes extraídos de parreiras e uvas.

Mesmo com tantas milhas acumuladas no currículo, Selton Mello lamenta viajar tão pouco a lazer.  “Isso é um erro. Eu trabalho muito e só viajo por conta da profissão. Eu deveria fazer isso mais”.

Mas quando pode, o cineasta passa o final de ano em Santa Catarina, na região de Jurerê, em Florianópolis, ou vai mais longe e desembarca em Los Angeles (não só pelo clima cinematográfico dessa cidade estadunidense, mas também porque tem amigos lá).

“Gosto tanto do frio e das montanhas que nem vou para a praia no Rio de Janeiro”.

Então já sabe onde encontrar Selton Mello no próximo outono, né? 

Conheça Bento Gonçalves

www.bentoconvention.com.br



 

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*