Dia da Consciência Negra: conheça roteiro afro em São Paulo

Assim como os negros invisíveis que, por séculos, ajudaram a construir a cultura brasileira, os endereços deste roteiro são muitas vezes desconhecidos da população apressada de São Paulo.

Espaços dedicados à capoeira, ao candomblé e até a igreja a celebrar a primeira missa com brancos e negros em um mesmo ambiente são os destaques deste roteiro negro pela cidade.

Este é uma das 9 rotas temáticas autoguiadas criadas pela São Paulo Turismo, site oficial de turismo da cidade, em parceria com a CONE (Coordenadoria dos Assuntos da População Negra).

⇒ MUSEU AFRO BRASILEIRO

Fachada lateral do Museu Afro Brasileiro, no Parque do Ibirapuera (foto: Divulgação)
Fachada lateral do Museu Afro Brasileiro, no Parque Ibirapuera (foto: Divulgação)

Este museu localizado em um espaço de 11 mil m², no Parque Ibirapuera, abriga um acervo com mais de 6 mil obras como pinturas, esculturas, gravuras, fotografias, documentos e peças etnológicas relacionadas aos universos culturais africanos e afro-brasileiros, produzidas desde o século 18.

As obras em exposição abrangem temas como arte, religião, escravidão e história afro no Brasil. SAIBA MAIS

⇒ ACADEMIA PAULISTA DE LETRAS

Academia Paulista de Letras, em São Paulo (foto: Academia Paulista de Letras/Divulgação)
Academia Paulista de Letras, em São Paulo (foto: Academia Paulista de Letras/Divulgação)

Conhecido como o advogado dos negros e o terror dos escravocratas, o jurista Luiz Gama é o homenageado negro dessa instituição fundada em 1909.

Autodidata, Gama foi também escritor, o que rendeu o título de patrono da 15ª cadeira da Academia. SAIBA MAIS

⇒ ASSOCIAÇÃO CULTURAL CACHUERA

Associação Cultural Cachuera‎ com a Velha Guarda Musical do Camisa Verde e Branco (foto: Associação Cultural Cachuera/Divulgação)
Associação Cultural Cachuera‎ com a Velha Guarda Musical do Camisa Verde e Branco (foto: Associação Cultural Cachuera/Divulgação)

Pesquisa, registro, divulgação e reflexão sobre as tradições culturais brasileiras são os objetivos dessa associação com ênfase no meio educacional.

Além do acervo áudio-visual focado nas manifestações das comunidades afro-descendentes do Sudeste brasileiro, o local é palco de apresentações de música popular tradicional, urbana e erudita como shows de jazz, contação de histórias e apresentações de samba como o tributo a Nelson Primo encabeçado pela Velha Guarda do Camisa do Camisa Verde e Branco. SAIBA MAIS

⇒ CENTRO CULTURAL DO CANDOMBLÉ

Idealizado pelo babalorixá Pai Toninho de Xangô, este centro conta com um salão decorado com pintura de orixás, exposições de arte com esculturas, telas e vestimentas, palestras e festas, e uma sala de jogo de búzios. SAIBA MAIS

⇒ CASA MESTRE ANANIAS

Casa Mestre Ananias, no Bixiga, em São Paulo (foto: Casa Mestre Ananias/Divulgação)
Casa Mestre Ananias, no Bixiga, em São Paulo (foto: Casa Mestre Ananias/Divulgação)

Fundada por Mestre Ananias, um dos precursores da capoeira em São Paulo, essa casa do bairro do Bixiga tem como objetivo a transmissão oral e difusão dessa expressão considerada Patrimônio Cultural Nacional.

Às terças, acontecem rodas com capoeiras de diversas origens. O local funciona também como sede do grupo de Samba de Roda “Garoa do Recôncavo” e do grupo de samba (tradicional urbano) “Sem Vintém”. SAIBA MAIS

⇒ IGREJA N. SRA. ACHIROPITA

Vista da Festa da Achiropita quea contece no Bixiga, em agosto (foto: Gabrielle Idealli/Flickr-Cretive Commons)
Vista da Festa da Achiropita quea contece no Bixiga, em agosto (foto: Gabrielle Idealli/Flickr-Cretive Commons)

Famosa pelas festas que acontecem no Bixiga, em agosto, esta igreja fundada por imigrantes italianos em 1926 abriga a Pastoral Afro criada pelo Padre Toninho, conhecido por ter celebrado a Primeira Missa Afro da Achiropita.

Criado em 1988 para celebrar o centenário da Libertação dos Escravos no Brasil, o grupo realiza eventos religiosos e diversas atividades culturais. SAIBA MAIS

⇒ IGREJA DE N. SRA. DA BOA MORTE

Construída há mais de 110 anos, esta igreja é conhecida como o primeiro templo católico a reunir negros e brancos em uma missa de São Paulo.

Localizada na Liberdade, na Rua do Carmo, a igreja recebe este nome pois servia de local de oração (com pedido de uma boa morte) dos escravos que eram condenados à morte no Largo da Forca, atual Praça da Liberdade.

⇒ IGREJA DE N. SRA. DO ROSÁRIO DOS HOMENS PRETOS

Vista aérea da Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, no Largo do Paissandu, em São Paulo (foto: Gabriel de Andrade Fernandes/Flickr-Creative Commons)
Vista aérea da Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, no Largo do Paissandu, em São Paulo (foto: Gabriel de Andrade Fernandes/Flickr-Creative Commons)

Erguida em 1906 por trabalhadores negros, no Largo do Paissandu, esta igreja abriga a estátua da Mãe Preta em homenagem às Amas de Leite e realiza, a cada dois meses, uma missa afro com cantos entoados ao som de atabaques.

SAIBA MAIS
Roteiro Afro
www.cidadedesaopaulo.com
*fonte: São Paulo Turismo

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*