Centenária e cobiçada, Foz do Iguaçu abriga atrações para aventureiros

Em 2014, Foz do Iguaçu completou 100 anos.

Ninguém soube, ninguém viu.

Mas Foz de Iguaçu não se apega a comemorações (até porque as três praças que deveriam ficar prontas para o centenário nem saíram do papel) e continua se exibindo, orgulhosa, como um dos destinos turísticos brasileiros mais cobiçados, entre 10 de cada 10 estrangeiros que desembarcam por aqui.

Sem falar nos brasileiros que ainda devem uma merecida visita à essa região do extremo oeste do Paraná, considerado um grande desconhecido dos viajantes nacionais.

“Por fim, Foz do Iguaçu encontrou a sua grande vocação: o turismo”, afirma o ex-secretário de turismo da cidade e proprietário da agência Natural Travel, o paranaense Felipe Gonzales.

Só para ter uma ideia, o Parque Nacional do Iguaçu recebeu, no último ano, mais de 1,5 milhão de visitantes.

E eles são de todo estilo. Aventureiros, alternativos, familiares, radicais e até clássicos.

LEIA TAMBÉM: Conheça a versão espiritualizada de Foz de Iguaçu

Confira abaixo as atrações para viajantes aventureiros:

⇒ MACUCO SAFÁRI

84121-foz
Macuco Safári (foto: Eduardo Vessoni)

O Macuco Safári é uma das atividades mais radicais do Parque Nacional do Iguaçu. Após um percurso de 3 km a bordo de um carro elétrico e uma trilha curta pelo interior do parque, o visitante embarca em um bimotor em direção às quedas d’água próximas à Garganta do Diabo.

O ponto alto do passeio é a parada nas cachoeiras “Três Mosqueteiros”, cujo batismo dos aventureiros é feito sob aquelas quedas de até 80 metros de altura.

A experiência é uma mistura entre medo e fascínio de ficar, literalmente, debaixo de uma das quedas d’água mais impressionantes do planeta.

O passeio completo dura, em média, duas horas e acontece, diariamente, das 9h às 17h30, com saídas a cada 10 minutos sem a necessidade de fazer reservas.

Valor por pessoa: R$ 179 (adultos) e R$ 89,50 (crianças). Saiba mais: www.macucosafari.com.br

⇒ SKYDIVE

Se enfiar a cabeça debaixo das cataratas não for suficiente, o destino eleva o nível de adrenalina em saltos duplos de paraquedas sobre a barragem da hidrelétrica de Itaipu.

O salto sobre as cataratas é feito a altura aproximada de 12 mil pés, o equivalente a 4 mil metros de altura, e dura cerca de oito minutos até o pouso no solo.

⇒ VOO DE HELICÓPTERO

Sobrevoo em Foz do Iguaçu (foto: Helisul/Divulgação)
Sobrevoo em Foz do Iguaçu (foto: Helisul/Divulgação)

Para ver as cataratas do alto, mas sem a adrenalina de se lançar em queda livre sobre aquelas quedas, a alternativa é o voo panorâmico de helicóptero com duração de 10 minutos.

As duas opções de passeios incluem sobrevoo nas Cataratas e no Parque Nacional do Iguaçu ou a hidrelétrica de Itaipu, o Marco das Três Fronteiras, as pontes internacionais da Amizade e Tancredo Neves, e sobre a cidade de Foz do Iguaçu (30 minutos de duração.
SAIBA MAIS
www.helisul.com

⇒ TRILHAS

O Parque Nacional das Cataratas do Iguaçu conta com duas trilhas para caminhadas.

A Trilha das Bananeiras tem 1,6 km de extensão e pode ser feita a pé ou a bodo de um veículo elétrico e é combinada com navegação pelo alto do Rio Iguaçu até o cais do Poço Preto e visita ao Arquipélago Ilha das Taquaras.

Trilha da Bananeira (foto: Macuco Safári/Divulgação)
Trilha da Bananeira (foto: Macuco Safári/Divulgação)

A segunda opção de caminhada é a Trilha Poço Preto, um percurso de 9 km que pode ser realizado a pé, em veículo elétrico ou de bicicleta. Essa trilha inclui também caminhada sobre uma ponte pênsil, visita a uma casamata de 10 metros de altura, navegação em barco a motor pelo alto do rio Iguaçu, passando pelo Arquipélago das Taquaras, e retorno pelas corredeiras, com passagem pela Ilha dos Papagaios.

Todos os trajetos são realizados com o acompanhamento de guias.

Trilha das Bananeiras
Duração de 2h30 a 3h
Saídas diárias, às 10h30, 13h e 15 h
Valor por pessoa: R$ 105 (adulto) e R$ 52,50 (criança)

www.macucosafari.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*