Capital mundial das histórias em quadrinhos, Bruxelas tem roteiro para fãs de HQs

Quem visita a capital da Bélgica se perde em um mundo de cervejas, chocolates, batatas fritas e arquitetura (só para citar alguns símbolos desse país minúsculo espremido entre a França, Holanda e Alemanha).

Mas viajantes mais atentos logo se dão conta de que, entre construções monocromáticas, se esconde um mundo colorido que nem de longe lembra aquele cenário sisudo da cidade.

Bruxelas é considerada a “capital  mundial das histórias em quadrinhos” e abriga um roteiro auto-guiado com 54 murais que homenageiam personagens criados na Bélgica como os Smurfs, Tintim e Lucky Luke.

LEIA TAMBÉM: “Roteiro em Buenos Aires homenageia personagens dos quadrinhos”

É tanta devoção ao tema que as ruas da capital belga têm um nome oficial e outro que homenageia personagens dos quadrinhos.

Mais do que arte de rua em forma de histórias em quadrinhos que se misturam à arquitetura medieval da cidade, esses trabalhos começaram a ganhar muros e paredes laterais de edifícios, nos anos 90, a partir de um projeto em que a prefeitura cedia espaços para fins publicitários, em troca de apoios financeiros de empresas para que os desenhos fossem realizados.

Considerados a Nona Arte, os quadrinhos estão por todos os lados. E não é só na rua.

Visitante observa quadro com imagem de quadrinho belga, no Belgium Comic Strip Center, considerado uma espécie de meca dos quadrinhos, em Bruxelas (foto: Eduardo Vessoni)
Visitante observa quadro com imagem de quadrinho belga, no Belgium Comic Strip Center, considerado uma espécie de meca dos quadrinhos, em Bruxelas (foto: Eduardo Vessoni)

Bruxelas abriga também o Belgium Comic Strip Center, considerado uma espécie de meca dos quadrinhos, onde os visitantes percorrem a história dos HQs em ambientes que recontam a trajetória dessa manifestação artística como arte rupestre,  desenhos do Egito Antigo e cenários por onde passaram os personagens belgas mais famosos, mundialmente, como o repórter viajante Tintim, criado pelo belga Hergé, em 1929; e os pequenos e azulados Smurfs, de 1958.

“Os belgas não inventaram os quadrinhos, mas criamos o conceito de Nona Arte”, explica para o Viagem em Pauta Willem De Graeve, diretor de comunicação do Belgium Comic Strip Center.

Moof, em Bruxelas (foto: Ravi Sarma/Flickr-Creative Commons)
Moof, em Bruxelas (foto: Ravi Sarma/Flickr-Creative Commons)

Outro endereço obrigatório é o MOOF, museu do centro da capital belga que expõe, em uma área de 1.300 m², mais de mil bonecos e objetos em cenários 3D de diferentes tamanhos.

Mas nem só de museus e murais se faz arte em quadrinhos. Bruxelas abriga também o Comics Café, um bar/restaurante com decoração inspirada em personagens dos quadrinhos franceses e belgas, onde funciona uma das maiores livrarias de toda a Europa dedicada ao assunto.

Em setembro, a cidade serve também de cenário para o Fête de la Bande Dessinée (“Festival de Quadrinhos”, em português), evento com exposições, sessões de autógrafos, feiras temáticas, desfile de balões infláveis em forma de personagens dos quadrinhos  e show de sons e luzes na Place Royal.

VEJA FOTOS

Vista de uma das salas do Comics Café, um bar/restaurante com decoração inspirada em personagens dos quadrinhos franceses e belgas, onde funciona uma das maiores livrarias de toda a Europa dedicada ao assunto (foto: Eduardo Vessoni)
Vista de uma das salas do Comics Café, um bar/restaurante com decoração inspirada em personagens dos quadrinhos franceses e belgas, onde funciona uma das maiores livrarias de toda a Europa dedicada ao assunto (foto: Eduardo Vessoni)
Com 180 m² , este mural homenageia o cowboy Lucky Luke, criado por René Goscinny, e é um dos maiores trabalhos do roteiro para fãs de quadrinhos, em Bruxelas, na Bélgica. Goscinny criou também o personagem Asterix (foto: Eduardo Vessoni)
Com 180 m² , este mural homenageia o cowboy Lucky Luke, criado por René Goscinny, e é um dos maiores trabalhos do roteiro para fãs de quadrinhos, em Bruxelas, na Bélgica. Goscinny criou também o personagem Asterix (foto: Eduardo Vessoni)
Parada de bonecos infláveis gigantes do Fête de la Bande Dessinée, em Bruxelas (foto: Visit Brussels/Divulgação)
Parada de bonecos infláveis gigantes do Fête de la Bande Dessinée, em Bruxelas (foto: Visit Brussels/Divulgação)
Obra L’Archange do artista belga Yslaire, em Bruxelas (foto: Eduardo Vessoni)
Obra L’Archange do artista belga Yslaire, em Bruxelas (foto: Eduardo Vessoni)
Localizada na rua Plattesteen, a obra ‘Broussaille‘ do artista Frank Pé foi a primeira a ganhar os muros de Bruxelas, em julho de 1991, no projeto que levou personagens das histórias em quadrinhos para as ruas da capital belga (foto: Eduardo Vessoni)
Localizada na rua Plattesteen, a obra ‘Broussaille‘ do artista Frank Pé foi a primeira a ganhar os muros de Bruxelas, em julho de 1991, no projeto que levou personagens das histórias em quadrinhos para as ruas da capital belga (foto: Eduardo Vessoni)
Mural em Bruxelas homenageia personagens dos quadrinhos como Tintim, seu cachorro Milu e o Capitão Haddock. Esta é uma das obras que fazem parte do roteiro de arte de rua na capital da Bélgica (foto: Eduardo Vessoni)
Mural em Bruxelas homenageia personagens dos quadrinhos como Tintim, seu cachorro Milu e o Capitão Haddock. Esta é uma das obras que fazem parte do roteiro de arte de rua na capital da Bélgica (foto: Eduardo Vessoni)

 

Moff, em Bruxelas (foto: Guillaume Capron/Flickr-Creative Commons)
Moff, em Bruxelas (foto: Guillaume Capron/Flickr-Creative Commons)
Moof, em Bruxelas (foto: Ravi Sarma/Flickr-Creative Commons)
Moof, em Bruxelas (foto: Ravi Sarma/Flickr-Creative Commons)

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*