5 destinos brasileiros de inverno para amantes de aventura

Jon Snow, o personagem de Game of Thrones que causou frustrações nos fãs no último episódio da 5ª temporada da série, tinha razão: o inverno está chegando.

As temperaturas do lado de cá do Brasil já estão mais baixas, as roupas de frio já começam a sair do armário e dá-se início àquela comilança de consequências sentidas até o próximo verão.

O inverno, que começa no próximo domingo (21 de junho), até combina com fondue, chocolate quente e altas porções de comidas calóricas, mas a temporada mais fria do ano não precisa ser aproveitada, obrigatoriamente, ao redor de mesas fartas ou debaixo das cobertas.

Abrigue-se, faça um aquecimento físico prévio e aproveite a seleção de destinos nacionais de inverno que combinam com turismo de aventura.

Vista da Serra Catarinense (foto: turismo.sc.gov.br/Divulgação)
Vista da Serra Catarinense (foto: turismo.sc.gov.br/Divulgação)

GONÇALVES

Localizada no sul de Minas Gerais, na Serra da Mantiqueira, essa cidade é uma espécie de polo ecoturístico do estado, sobretudo nos meses mais secos de inverno.

Entre opções como cavalgadas, passeios off road e circuito de cachoeiras, o destaque do destino é a trilha da Pedra Bonita, uma caminhada puxada de 5h30 de duração até o topo dessa rocha a mais de 2 mil metros de altitude, de onde se tem vista panorâmica da região, inclusive das vizinhas Campos do Jordão e Serra do Mar. SAIBA MAIS

DOMINGOS MARTINS

Ainda desconhecidas dos viajantes paulistas, as Serras Capixabas abrigam belos parques estaduais, onde é possível realizar trilhas com diferentes níveis de dificuldade.

Destaques para os parques estaduais da Pedra Azul, no município de Aracê, e do Forno Grande, na zona rural de Castelo.

Parque Estadual da Pedra Azul, nas Serras Capixabas (foto: Eduardo Vessoni)
Parque Estadual da Pedra Azul, nas Serras Capixabas (foto: Eduardo Vessoni)

Localizada a 90 km de Vitória, a região é famosa pela Pedra Azul, uma formação rochosa de granito com 1.822 m de altura que serve de cenário para trilhas de fácil acesso como a das Piscinas Naturais (1,2 km de extensão, incluindo escalada com cordas até piscinas naturais escavadas, naturalmente, em rochas); e as trilhas do Lagarto (1h de duração) e do Mirante (40 minutos, aproximadamente), ambas com vista para o Forno Grande.

Localizado a mais de 20 km de Aracê, o Parque Estadual do Forno Grande, cujo nome é uma referência a formação rochosa que lembra um forno para assar pães, tem 730 hectares e conta com trilhas como a dos Poços Amarelos, uma caminhada de 850 metros de extensão que leva o vistante até piscinas naturais de águas ricas em ferro, daí seus tonss amarelados.

A cidade base para explorar a região é Domingos Martins, a 42 km de Vitória. SAIBA MAIS

URUBICI

Morro da Igreja e Pedra Furada, na Serra Catarinense (foto: Otávio Nogueira/Flickr-Creative Commons)
Morro da Igreja e Pedra Furada, na Serra Catarinense (foto: Otávio Nogueira/Flickr-Creative Commons)

Esse destino da Serra Catarinense é dono de alguns títulos curiosos da região.

Localizada a 170 km de Florianópolis, a região já registrou uma das temperaturas mais baixas do Brasil (-17,8°, em 1996), abriga o ponto mais alto habitado do Sul (Morro da Igreja, a 1.822 metros de altitude) e possui a maior fenda do País feita em uma rocha, com 90 metros de altura, na Serra do Corvo Branco.

Essas atrações naturais já são suficientes para garantir belas imagens de inverno, mas o cartão postal da Serra Catarinense é a Pedra Furada, janela natural rochosa de 30 metros de circunferência, aproximadamente que serve de cenário para a trilha de mesmo nome, uma caminhada de 8,5 km de extensão. SAIBA MAIS

CANELA

Cascata do Caracol, em Canela (foto: Eduardo Vessoni)
Cascata do Caracol, em Canela (foto: Eduardo Vessoni)

Ofuscada pela vizinha Gramado, a 7 km de distância, esse destino da Serra Gaúcha é o lugar para estar do lado de fora.

A cidade abriga trilhas com diferente níveis de dificuldade que vão desde a inocente trilha do Parque Municipal do Pinheiro Grosso, que dá acesso a uma araucária de 42 metros de altura com mais de 700 anos; até as caminhadas no Parque da Ferradura, no Vale da Ferradura.

Um dos ícones de Canela é a Cascata do Caracol, uma queda d’água de 131 metros de altura, cuja base pode ser vista a partir de uma trilha íngreme com 927 degraus.

CAMBARÁ DO SUL

Cânion Itaimbezinho (foto: Tiago Pádua/Flickr-Creative Commons)
Cânion Itaimbezinho (foto: Tiago Pádua/Flickr-Creative Commons)

Localizado nos Campos de Cima da Serra, na Serra Gaúcha, esse destino do nordeste do Rio Grande do Sul é conhecido como a Terra dos Cânions.

Essas impressionantes fendas, que podem chegar a 900 metros de profundidade, podem ser vistas a partir de trilhas leves sobre suas bordas ou em caminhadas de até 3 dias de viagem.

Uma das atividades mais impressionantes da região é Trilha do Rio do Boi, um trekking exigente de 8 horas pelo interior do cânion Itaimbezinho, cujo roteiro de 8 km inclui passagens por rios e áreas com pedras.

A região abriga também atrativos como os cânions Fortaleza, no Parque Nacional da Serra Geral, e o Malacara com 3,5 km de extensão.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*