Rapel, trilhas e cavernas são destaques de cachoeiras de Goiás

Localizado no centro do País, Goiás não teve a mesma sorte dos outros destinos brasileiros que se exibem em cobiçadas faixas de areia com mar verdinho.

Mas a terra de Cora Coralina e da chapada mais mística do Brasil abriga outra atração natural que convida forasteiros a caírem n’água.

Passada a temporada de chuvas no Centro-Oeste, essa é a hora de visitar as cachoeiras de Goiás. Seja na Chapada dos Veadeiros, na aventureira Mambaí e até dentro de cavernas, o destino é dono de algumas das quedas d’água mais cenográficas do Brasil.

A região é melhor aproveitada de maio a setembro, quando a Chapada está florida, os reservatórios estão cheios e as cachoeiras apresentam maior volume de água.

Recentemente, o Viagem em Pauta rodou, aproximadamente, 2,5 mil km de carro pelo interior desse estado e a nossa seleção de cachoeiras você confere a seguir:

⇒ Almécegas I e II
Essas quedas de 50 e 200 metros, respectivamente, são algumas das cachoeiras mais famosas da Chapada dos Veadeiros.

Localizada na bela Fazenda São Bento, a 8 km de Alto Paraíso, a atração está entre uma cenográfica área de cerrado de altitude, no centro da Chapada.

Alḿécegas I, cachoeira em Alto Paraíso, na Chapada dos Veadeiros (foto: Eduardo Vessoni)
Alḿécegas I, cachoeira em Alto Paraíso, na Chapada dos Veadeiros (foto: Eduardo Vessoni)

Situada dentro da boca de um cânion, a Almécegas I é melhor aproveitada, entre às 11h e 13h30, quando a luz solar ilumina seu interior.

Já a Almécegas II é considerada uma das poucas cachoeiras da região que contam com sol o dia todo, porém deve ser evitada após dias de chuva devido ao acesso escorregadio de pedras. Destaque para a vista que se tem da Serra Boa Vista, ao fundo. SAIBA MAIS

Cachoeira dos Cristais
Localizada a 9 km de Alto Paraíso, na borda leste da Chapada, essa área privada de 80 hectares de cerrado preservado é margeada pelo rio dos Cristais, onde uma trilha de 800 metros dá acesso a sete diferentes cachoeiras.

Vista da Cachoeira do Felipe, uma das quedas da Cachoeira dos Cristais, em Alto Paraíso, na Chapada dos Veadeiros (foto: Eduardo Vessoni)
Vista da Cachoeira do Felipe, uma das quedas da Cachoeira dos Cristais, em Alto Paraíso, na Chapada dos Veadeiros (foto: Eduardo Vessoni)

Com perfil familiar, o local abriga de quedas d’água de fácil acesso como o conveniente Poço da Vovó, cujo nome dispensa explicações, até áreas com maior dificuldade, por terreno pedregoso e íngreme, como a cachoeira Véu da Noiva.

Para quem não quiser deixar de ver todas, vá até a última cachoeira e suba de volta, entrando nas pequenas trilhas de acesso aos outros poços, à esquerda. SAIBA MAIS

LEIA TAMBÉM: “Hotel da Chapada dos Veadeiros tem quartos em naves espaciais”

⇒ Cachoeira de Santa Bárbara
A trilha de 5 km é exigente até essa atração de Cavalcante (sobretudo para quem escolhe fazê-la a pé), mas essa atração a 90 km de Alto Paraíso é um dos cenários mais impactantes de toda a Chapada dos Veadeiros.

Para visitá-la, a opção mais cômoda são as aventureiras travessias em carros 4×4 que cruzam terrenos irregulares e córregos, e uma caminhada de mais 1 km que passa por cenográficas trilhas de cerrado de campo sujo, como são conhecidas as áreas com arbustos.

Cachoeira de Santa Bárbara, em Cavalcante (foto: Eduardo Vessoni)
Cachoeira de Santa Bárbara, em Cavalcante (foto: Eduardo Vessoni)

Seja qual for a sua escolha, a recompensa se dá em forma de um poço de tom, exageradamente, verde-esmeralda de até 3 metros de profundidade, alimentado por uma cachoeira de 28 metros de altura.

Para fazer um esquenta, passe antes na vizinha Barbarinha, uma queda de 3 metros de altura e um pequeno poço de 8 metros de diâmetro, em mata fechada.

⇒ Cachoeira Capivara
Essa sequência de quedas d’água é outra atração natural obrigatória para quem visita Cavalcante, na Chapada dos Veadeiros, cujas águas correm para o interior de um cânion, após formar piscinas para banhos.

Vista da trilha de acesso à Cachoeira Capivara, em Cavalcante, na Chapada dos Veadeiros (foto: Eduardo Vessoni)
Vista da trilha de acesso à Cachoeira Capivara, em Cavalcante, na Chapada dos Veadeiros (foto: Eduardo Vessoni)

A trilha de acesso, a 22 km da cidade, tem 2 km de extensão (ida e volta) e apresenta trechos íngremes e escorregadios que exigem atenção redobrada.

⇒ Cachoeira Ave Maria
Linda e proibida, essa queda d’água de 125 metros de altura fica entre Cavalcante e Minaçu, na Chapada dos Veadeiros, e só pode ser vista, parcialmente, do alto de um mirante improvisado, próximo à estrada.

Vista da Ave Maria, cachoeira na Chapada dos Veadeiros (foto: Eduardo Vessoni)
Vista da Ave Maria, cachoeira na Chapada dos Veadeiros (foto: Eduardo Vessoni)

A queda d’água por entre as fendas de um cânion fica ainda mais impactante, após dias de chuvas, porém a região sem estrutura ainda é uma desconhecida do público, devido ao difícil acesso.

⇒ Saltos do Rio Preto
Com 120 e 80 metros de quedas d’água, respectivamente, as cachoeiras do Rio Preto I e II são as atrações mais marcantes da puxada Trilha da Janela, na Chapada dos Veadeiros, uma caminhada de possui 8 km, aproximadamente, e alto nível de dificuldade.

Salto do Rio Preto, em São Jorge, na Chapada dos Veadeiros (foto: Eduardo Vessoni)
Salto do Rio Preto, em São Jorge, na Chapada dos Veadeiros (foto: Eduardo Vessoni)

Embora seja possível vê-la de perto, por trilhas pelo interior do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, os guias locais garantem que o melhor ainda é a vista panorâmica que se tem do alto da Trilha da Janela.

⇒ Cachoeira do Abismo
A gente não precisa se perder em explicações para você entender o nome dessa discreta e bela cachoeira de São Jorge, na Chapada dos Veadeiros.

Cachoeira do Abismo, o principal atrativo da ‘Trilha do Abismo’, na Chapada dos Veadeiros (foto: Eduardo Vessoni)
Cachoeira do Abismo, o principal atrativo da ‘Trilha do Abismo’, na Chapada dos Veadeiros (foto: Eduardo Vessoni)

Localizado a 38 km de Alto Paraíso, esse município serve de ponto de partida para uma trilha de 4,5 km de extensão (ida e volta) até essa pequena queda d’água escondida entre rochas e com vista para o imenso vão da Serra de Santana.

⇒ Cachoeira do Funil

Cachoeira do Funil, em Mambaí (foto: Eduardo Vessoni)
Cachoeira do Funil, em Mambaí (foto: Eduardo Vessoni)

Certos cenários fotogênicos cobram seu preço para serem vistos e essa queda d’água do município de Mambaí é uma delas.

Localizada no extremo nordeste de Goiás, no limite com a Bahia, essa cachoeira de 20 metros de altura tem acesso pelo interior de uma caverna, por onde o visitante deve fazer uma trilha de 200 metros (com água na cintura, diga-se de passagem) até uma das bocas desse canal subterrâneo de rochas calcárias.

Rapel na Cachoeira do Funil, em Mambaí (foto: Ion David/Goiás Turismo)
Rapel na Cachoeira do Funil, em Mambaí (foto: Ion David/Goiás Turismo)

Do salão escuro, cujo pórtico tem 20 metros de largura e 14 de altura, é possível ficar por trás da cachoeira.

Naquelas águas do rio Venturas que correm em direção ao interior da caverna é possível fazer rapel na claraboia ou praticar o inusitado Balanço da Dani Monteiro, uma cadeira de escalada presa a uma corda estática que permite ao aventureiro se balançar dentro da cachoeira, cuja brincadeira é finalizada com um pequeno rapel.

Cachoeira do Funil vista pelo interior da caverna de acesso a essa queda d'água, em Mambaí (foto: Eduardo Vessoni)
Cachoeira do Funil vista pelo interior da caverna de acesso a essa queda d’água, em Mambaí (foto: Eduardo Vessoni)

LEIA TAMBÉM: “Chapada dos Veadeiros abriga trilhas alternativas por cachoeiras e piscinas naturais”

SAIBA MAIS
Site do turismo de Goiás
www.goiasturismo.go.gov.br

Trilhas na Chapada dos Veadeiros
www.travessia.tur.br

Trilhas em Mambaí
www.mambaiadventure.com.brwww.cerradoaventura.com

(* O Viagem em Pauta viajou com o apoio da Goiás Turismo, órgão estadual de promoção do turismo de Goiás)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*