Confira casas de escritores brasileiros que viraram museus

Mais do que divulgar as culturas locais em suas obras e imortalizar destinos turísticos nacionais, certos escritores brasileiros deixaram um legado que vai além de suas bem escritas histórias.

Se a baiana Ilhéus é sinônimo de Gabriela e a histórica Cidade de Goiás é uma extensão da obra de Cora Coralina, destinos como Porto Alegre e Cordisburgo prestam homenagem a seus filhos ilustres com museus dedicados a suas obras e história pessoal.

Como forma de preservar o legado que vai além de seus livros, museus e casas de cultura cumprem a missão de preservar a memória, os manuscritos e os objetos pessoais de grandes escritores brasileiros.

Confira a seleção de casas originais de escritores que abriram suas portas para a visita pública:

⇒ MUSEU CASA DE CORA CORALINA (Cidade de Goiás/GO)

Vista da fachada do Museu Casa Cora Coralina, na Cidade de Goiás (foto: Eduardo Vessoni)
Vista da fachada do Museu Casa Cora Coralina, na Cidade de Goiás (foto: Eduardo Vessoni)

Esse destino histórico, a 140 km de Goiânia, é endereço de um espaço de 3 mil m², incluindo o quintal dos fundos onde Cora plantava as frutas usadas em seus famosos doces cristalizados.

Na área construída de 300 metros, onde a poetisa tardia nasceu e morreu, um acervo com dez mil documentos arquivados, entre cartas e originais de fotos dividem espaço com móveis originais da época que podem ser vistos em 12 ambientes dessa casa, construída no século 18.

LEIA TAMBÉM: “Cidade de Goiás: na casa de Cora Coralina”

⇒ MUSEU CASA GUIMARÃES ROSA (Cordisburgo/MG)

foto: Ministério do Turismo/Ronaldo Alves Fotografia
foto: Ministério do Turismo/Ronaldo Alves Fotografia

Um dos mais importantes escritores brasileiros tem seu espaço preservado na pequena cidade mineira de Cordisburgo, local onde nasceu e passou a infância, a 120 km de Belo Horizonte.

Concebido como centro de referência da vida e obra do escritor, o local abriga uma coleção de 700 documentos, como mapas, fotos, certidões, correspondências, discursos e originais manuscritos ou datilografados, a exemplo de ‘Tutaméia’, sua última obra publicada.

⇒ MUSEU MONTEIRO LOBATO (Taubaté/SP)

foto: Divulgação
foto: Divulgação

Esse museu do interior de São Paulo oferece uma experiência única no mundo de Pedrinho e Narizinho, personagens do ‘Sítio do Picapau Amarelo’, a obra mais famosa de Monteiro Lobato.

No local é possível conhecer a casa que foi de seu avô, o Visconde de Tremembé, e relembrar as obras do autor de Reinações de Narizinho, além de ver móveis de época. SAIBA MAIS

⇒ CASA DE CULTURA MÁRIO QUINTANA (Porto Alegre/RS)

foto: Ana Paula Hirama/Flickr-Creative Commons
foto: Ana Paula Hirama/Flickr-Creative Commons

O local promove apresentações de música e teatro, exposições, sessões de cinema e rodas de literatura.

Aberta para visitas, a casa funciona no antigo hotel Majestic, transformado em patrimônio histórico, onde é possível ver objetos e móveis restaurados pela sobrinha Elena Quintana. SAIBA MAIS

⇒ CASA DO RIO VERMELHO (Salvador/BA)

foto: Turismo Bahia/Divulgação
foto: Turismo Bahia/Divulgação

Antiga residência de Jorge Amado e de sua esposa Zélia Gattai, o local abriga 15 ambientes internos que recontam a vida do casal, cujas cinzas estão depositadas no jardim da casa.

O museu abriga salas onde ocorrem atividades como projeções de depoimentos sobre o autor e leituras feitas por personalidades, bem como a cozinha de Dona Flor, uma das personagens de Jorge Amado.

LEIA TAMBÉM: “8 destinos para viajantes amantes de literatura”

(*com informações do Ministério do Turismo)

 

3 Comentário

  1. Uma casa que acho bacana de conhecer é o Espaço Passárgada (no Recife), casa onde Manuel Bandeira viveu sua infância e escreveu várias vezes sobre esse lugar. Vale muito a pena conhecer mas a casa não é um museu e sim um espaço de leitura, pesquisa e oficinas.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*