Palestras ambientais de Fernando de Noronha completam 20 anos

Em uma época em que pousadas boutique e restaurantes descoladinhos de gastronomia internacional nem sonhavam em desembarcar naquele arquipélago distante, a mais de 540 km de Recife, Fernando de Noronha era um cobiçado destino litorâneo com poucas opções de entretenimento (além de praias paradisíacas, claro).

Vinte anos atrás, a programação dos poucos forasteiros que chegavam por ali se resumia à visita de praias (lindas desde aquela época), passeios de bugues, noites de forró no Bar do Cachorro e palestras diárias na sede do Projeto Tamar.

Em 2016, o Centro de Visitantes do Projeto TAMAR de Fernando de Noronha completa 20 anos de atividades ininterruptas, em um espaço planejado para oferecer aos moradores da ilha e turistas informações sobre tartarugas marinhas e animais ameaçados de extinção.

Desde 1996, um dos grandes atrativos do Centro de Visitantes de Noronha é o Ciclo de Palestras Ambientais, considerado um marco na divulgação ambiental para os moradores e turistas de Noronha.

Diariamente, sem pular nenhuma noite, o local recebe palestras encabeçadas por pesquisadores residentes no arquipélago ou que estejam de passagem, sempre às 20h. Até o segundo semestre de 2015, o Tamar já havia contabilizadas mais de 7.200 conversas com o público.

Captura Intencional de tartarugas, na Praia de Sueste, em Fernando de Noronha (foto: Eduardo Vessoni)
Captura Intencional de tartarugas, na Praia de Sueste, em Fernando de Noronha (foto: Eduardo Vessoni)

LEIA TAMBÉM: “Captura de tartarugas é experiência única em Fernando de Noronha”

O Projeto Tamar de Noronha oferece também atividades gratuitas de sensibilização e educação ambiental com a participação do público, como abertura de ninho e nascimento de filhotes de tartarugas marinhas, bem como captura intencionala para marcação e biometria, e monitoramento noturno em praia de desova.

Outro destaque é o Museu Aberto da Tartaruga Marinha, uma área com painéis informativos, réplicas em tamanho natural e silhuetas das tartarugas, esqueletos, maquetes e vídeos.

LEIA TAMBÉM: “Fernando de Noronha possui a maior concentração de golfinhos oceânicos do planeta”

Confira imagens dos centros de visitantes do Projeto Tamar

  • Considerado um dos mais frequentados do Brasil, com 600 mil pessoas por ano, o Centro de Visitantes da Praia do Forte, a 60 km de Salvador, na Bahia, ocupa uma área de dez mil m² e oferece visitas guiadas e espaços temáticos como o tanque-barco (foto: Projeto Tamar/Divulgação)
    BAHIA: Considerado um dos mais frequentados do Brasil, com 600 mil pessoas por ano, o Centro de Visitantes da Praia do Forte, a 60 km de Salvador, na Bahia, ocupa uma área de dez mil m² e oferece visitas guiadas e espaços temáticos como o tanque-barco (foto: Projeto Tamar/Divulgação)

  • Localizado a 30 km de Salvador, essa unidade do Projeto Tamar fica em uma área de 6 mil m², no município de Camaçari. O local tem importância singular para o Tamar, pois a maior parte dos visitantes é formada pela população da região metropolitana de Salvador, área que concentra a maioria das desovas do litoral norte da Bahia (foto: Projeto Tamar/Divulgação)
    BAHIA: Localizado a 30 km de Salvador, essa unidade do Projeto Tamar fica em uma área de 6 mil m², no município de Camaçari. O local tem importância singular para o Tamar, pois a maior parte dos visitantes é formada pela população da região metropolitana de Salvador, área que concentra a maioria das desovas do litoral norte da Bahia (foto: Projeto Tamar/Divulgação)

  • Em funcionamento em São Mateus, no Espírito Santo, esse centro do Tamar da Ilha de Guriri recebe visitantes com atividades como alimentação de tartarugas (diariamente, às 15h) e três tanques de observação com quatro das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem na costa brasileira (foto: Projeto Tamar/Divulgação)
    ESPÍRITO SANTO: Em funcionamento em São Mateus, no Espírito Santo, esse centro do Tamar da Ilha de Guriri recebe visitantes com atividades como alimentação de tartarugas (diariamente, às 15h) e três tanques de observação com quatro das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem na costa brasileira (foto: Projeto Tamar/Divulgação)

  • O litoral capixaba abriga outro centro de visitantes em Regência, distrito de Linhares. O local conta com trilhas educativas em área de restinga e um aquário de água doce, com 9 mil litros d’água (foto: Projeto Tamar/Divulgação)
    ESPÍRITO SANTO: O litoral capixaba abriga outro centro de visitantes em Regência, distrito de Linhares. O local conta com trilhas educativas em área de restinga e um aquário de água doce, com 9 mil litros d’água (foto: Projeto Tamar/Divulgação)

  • O Centro de Visitantes de Vitória, capital do Espírito Santo, fica na Praça do Papa e conta com atividades como visitadas guiadas e áreas temáticas. A região possui a maior concentração de ninhos de Cabeçudas (Caretta caretta) do estado, e Comboios/Regência é reconhecida como o principal endereço brasileiro de desova regular das tartarugas de couro (foto: Projeto Tamar/Divulgação)
    ESPÍRITO SANTO: O Centro de Visitantes de Vitória, capital do Espírito Santo, fica na Praça do Papa e conta com atividades como visitadas guiadas e áreas temáticas. A região possui a maior concentração de ninhos de Cabeçudas (Caretta caretta) daquele estado, e Comboios/Regência é reconhecida como o principal endereço brasileiro de desova regular das tartarugas de couro (foto: Projeto Tamar/Divulgação)

  • Em atuação no arquipélago de Fernando de Noronha, desde 1984, o Projeto Tamar local é conhecido pelas tradicionais palestras ambientais noturnas e pelo Museu a Céu Aberto da Tartaruga Marinha, com painéis explicativos, réplicas das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil, exposições de esqueletos e maquetes (foto: Projeto Tamar/Divulgação)
    PERNAMBUCO: Em atuação no arquipélago de Fernando de Noronha, desde 1984, o Projeto Tamar local é conhecido pelas tradicionais palestras ambientais noturnas e pelo Museu a Céu Aberto da Tartaruga Marinha, com painéis explicativos, réplicas das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil, exposições de esqueletos e maquetes (foto: Projeto Tamar/Divulgação)

  • Localizado no litoral norte de São Paulo, a 262 km da capital paulista, esse centro de visitantes Ubatuba é a primeira base instalada pelo Tamar em área de alimentação das tartarugas marinhas, no litoral brasileiro e é considerada uma das mais importantes, ao lado de Fernando de Noronha e Praia do Forte, ocupando uma área de 2.500 m² (foto: Projeto Tamar/Divulgação)
    SÃO PAULO: Localizado no litoral norte de São Paulo, a 262 km da capital paulista, esse centro de visitantes de Ubatuba é a primeira base instalada pelo Tamar em área de alimentação das tartarugas marinhas do litoral brasileiro e é considerada uma das mais importantes, ao lado de Fernando de Noronha e Praia do Forte, ocupando uma área de 2.500 m² (foto: Projeto Tamar/Divulgação)

  • Para minimizar os efeitos predatórios da pesca de tartarugas marinhas, o Projeto Tamar instalou sua base na região, o Tamar Floripa, na praia da Barra da Lagoa, , em 2005 (foto: Projeto Tamar/Divulgação)
    SANTA CATARINA: Para minimizar os efeitos predatórios da pesca de tartarugas marinhas, o Projeto Tamar instalou sua base na região, o Tamar Floripa, na praia da Barra da Lagoa, em 2005 (foto: Projeto Tamar/Divulgação)

  • Considerado o primeiro do Nordeste e o quinto do Brasil, o Oceanário de Aracaju fica na praia da Atalaia, e ocupa uma área de 141 mil m² e abriga 18 aquários de água dce e salgada como o de espécies oceânicas, com 150 mil litros e 30 espécies, incluindo arraias, tubarões, moréias, xaréus, caranhas, vermelhos e mero (foto: Projeto Tamar/Divulgação)
    SERGIPE: Considerado o primeiro do Nordeste e o quinto do Brasil, o Oceanário de Aracaju fica na praia da Atalaia e ocupa uma área de 141 mil m² com 18 aquários de água dce e salgada como o de espécies oceânicas, com 150 mil litros e 30 espécies, incluindo arraias, tubarões, moréias, xaréus, caranhas, vermelhos e mero (foto: Projeto Tamar/Divulgação)

Sobre o Projeto Tamar

Criado em cooperação entre o Centro Tamar/ICMBio e a Fundação Pró-TAMAR, o Projeto TAMAR  tem 35 anos de trabalhos em pesquisa, proteção e manejo de cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil, todas ameaçadas de extinção.

www.tamar.org.br
www.tamar.org.br

Nos cerca de 1.100 km de praias brasileiras, em 25 localidades diferentes, o projeto cuida de espécies de tartarugas como a cabeçuda, de pente, verde, oliva e de couro, em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso das tartarugas marinhas, no litoral e ilhas oceânicas dos estados da Bahia, Sergipe, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina.

Reconhecido, internacionalmente, como uma das mais bem sucedidas experiências de conservação marinha do planeta, seu trabalho socioambiental serve de modelo para outros países.

LEIA TAMBÉM O GUIA “Isolado e paradisíaco, arquipélago de Fernando de Noronha também tem opções econômicas”

PROJETO TAMAR – FERNANDO DE NORONHA
Alameda do Boldró, s/n°
Tel.: (81) 3619-1174/1577/1269
Diariamente, das 8:00 às 22:00
Entrada grátis

Programação de palestras
2ª feira: “Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha”
3ª feira: “As Tartarugas Marinhas e o Projeto TAMAR”
4ª feira: “Golfinhos Rotadores”
5ª feira: “Vivendo Noronha”
6ª feira: “Tubarões”
sábado: “As Tartarugas Marinhas e o Projeto TAMAR”
domingo: “Programação Especial”

www.tamar.org.br

* Com informações do Projeto TAMAR

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*