Conheça opções de atrações para ver a Cascata do Caracol, na Serra Gaúcha

Ofuscada pela fama da vizinha e por vezes vista como complemento de Gramado, a 7 km de distância, Canela tem se mostrado para o mundo do turismo como um destino em si, capaz de garantir agenda lotada durante todo a estadia (sobretudo para viajantes com espírito mais aventureiro).

Essa cidade com menos de 40 mil habitantes é o lugar para estar do lado de fora. E que seu principal cartão-postal não nos deixe mentir.

Seja qual for a sua programação e grau de preparo físico, a Cascata do Caracol é parada obrigatória, em Canela.

Essa queda d’água fica em uma área preservada de 25 hectares e se exibe a partir de diferentes pontos de vista: a bordo de bondinhos panorâmicos; em uma trilha com 927 degraus até o pé da cascata; do alto de plataformas, cuja novidade é um elevador panorâmico; ou em sobrevoos panorâmicos de helicóptero que passam também sobre o Vale do Quilombo e a Catedral de Pedra, símbolo arquitetônico de Canela.

A Cascata do Caracol, formada pelo arroio de mesmo nome, tem de 131 metros de altura e suas águas despencam entre rochas de formação basáltica, a 7 km do centro de Canela.

LEIA TAMBÉM: “Serra Gaúcha lança ‘Rota Cervejeira’”

Confira as opções, de acordo com cada estilo de viajante:

DO ALTO

Sobrevoo na Cascata do Caracol, em Canela, na Serra Gaúcha (foto: Divulgação)
Sobrevoo na Cascata do Caracol, em Canela, na Serra Gaúcha (foto: Divulgação)

A cidade conta com voos panorâmicos, a partir de cinco minutos de duração, que passa por símbolos da região como a Catedral de Pedra e a Cascata do Caracol, entre Canela e Gramado.

As viagens, que incluem também o Vale da Ferradura, a Rua Coberta e a Igreja Matriz de Gramado, saem do pequeno aeroporto de Canela. Dali, é possível seguir também para o Vale dos Vinhedos e para os cânions de Cambará do Sul. SAIBA MAIS

foto: Eduardo Vessoni
foto: Eduardo Vessoni

LEIA TAMBÉM: “Canela, Vale dos Vinhedos e cânions são cenários em tours de helicóptero”

BONDINHOS AÉREOS

Para que não faltem opções para os menos intrépidos, a cascata pode ser vista (muito bem vista, diga-se de passagem) a bordo de uma das 12 cabines fechadas dos Bondinhos Aéreos.

Os visitantes fazem um trajeto de 840 metros que conta com paradas em 3 estações, em um parque com 59 hectares e atrações como o curioso ambiente ‘Esculturas que Falam’, uma sala com 85 peças de animais talhados em madeira, obra do escultor Masaharu Hata; e uma trilha de 230 metros, entre araucárias.

Essa é uma das vistas panorâmicas mais impressionante da Cascata do Caracol, em que os bondinhos parecem (quase) tocar aquela queda d’água. SAIBA MAIS

Bondinhos aéreos de Canela, na Serra Gaúcha (foto: Eduardo Vessoni)
Bondinhos aéreos de Canela, na Serra Gaúcha (foto: Eduardo Vessoni)

MIRANTES

Além das plataformas de observação da área dos Bondinhos Aéreos, o Parque Estadual do Caracol ganhou, recentemente, um elevador panorâmico que sobe a 27 metros de altura até um andar envidraçado que permite vista da região , em 360°.

A 800 metros de altitude do nível do mar, a torre foi construída em estrutura metálica, com um elevador central, e tem capacidade para 120 pessoas. O acesso a esse observatório ecológico, integrado ao ambiente, é pago à parte.

Outra opção, inclusa no ingresso do parque, é o mirante localizado ao lado do elevador panorâmico, de onde também se tem vista do vale, onde está a casacata. SAIBA MAIS

TRILHA

Para quem quer chegar até o pé da Caracol, o parque abriga uma trilha íngreme que segue por uma escada de 927 degraus que leva o visitante até a base da cascata.

Cascata do Caracol vista debaixo, durante trilha no Parque Estadual do Caracol, em Canela (foto: Gian Cornachini/Flickr-Creative Commons)
Cascata do Caracol vista debaixo, durante trilha no Parque Estadual do Caracol, em Canela (foto: Gian Cornachini/Flickr-Creative Commons)
SAIBA MAIS

Sites de turismo de Canela
www.canela.rs.gov.br
www.canelaturismo.com.br

Site oficial do turismo do Rio Grande do Sul
www.turismo.rs.gov.br

Parque do Caracol
www.parquedocaracol.com.br

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*