Turismo industrial é experiência inusitada de São Bernardo do Campo

A gente custa a acreditar que aqueles amplos galpões de pisos bem pintados e ferramentas organizadas sejam ambientes de uma fábrica de caminhões. Nada de funcionários envoltos em graxa, nem martelos e parafusos espalhados ou estopas jogadas no chão.

Lançado há dois anos e com dois mil visitantes desde sua inauguração, o turismo industrial de São Bernardo do Campo pretende colocar esse município do ABC paulista na lista dos destinos internacionais que têm o universo automobilístico como atração turística, a exemplo dos Estados Unidos e da bem estruturada Alemanha.

“Enquanto estância turística, São Bernardo e as outras cidades vizinhas já têm opções gastronômicas e ecológicas. Nosso foco agora é buscar nossa identidade industrial”, explica Fernando Bonisio, coordenador do programa de turismo industrial da prefeitura da cidade.

LEIA TAMBÉM: “Alemanha é destino para fãs de carros e experiências inusitadas”

Turismo industrial na fábrica da Scania, em São Bernardo (foto: Eduardo Vessoni)
Turismo industrial na fábrica da Scania, em São Bernardo (foto: Eduardo Vessoni)

Berço da indústria automotiva do Brasil e considerada o maior parque fabril da América Latina, São Bernardo do Campo reúne onze empresas que abriram suas portas para o público interessado em conhecer a linha de produção e de montagem de fábricas da Scania, Volkswagen, Mercedes-Benz e GM.

Mensalmente, são 230 vagas disponíveis para visitas guiadas em dias estabelecidos pelas empresas, em uma das montadoras participantes do programa.

O turismo de carros e caminhões pode não ser a experiência mais lembrada na hora de sair de férias, mas, só para ter uma ideia, já há inscritos até julho de 2016. Por aquelas fábricas do ABC já passaram grupos da Melhor Idade, estudantes de engenharia de outros estados do Brasil e universitários da Universidade Tecnológica de Lima, no Peru.

Turismo industrial na fábrica da Scania, em São Bernardo (foto: Eduardo Vessoni)
Turismo industrial na fábrica da Scania, em São Bernardo (foto: Eduardo Vessoni)

Na Scania, empresa sueca que está na região há 57 anos, os visitantes realizam tours de uma hora, a bordo de carrinhos como os de golfe, munidos de audioguias que vão detalhando as etapas em quatro setores: motores, chassis, cabinas e transmissão (eixo e câmbio).

A experiência, que o Viagem em Pauta conheceu no último mês, é como ser transportado, literalmente, para o mundo das fábricas de carros e caminhões que meninos (e por que não, meninas) sonhavam em conhecer quando crianças. O ritmo de trabalho segue igual, como em um dia normal de produção, mas os visitantes, com um certo sorriso no canto da boca, parecem tomados pela mesma sensação eufórica de quando visitavam fábricas de chocolate ou de sorvete, em excursões da escola.

Enquanto informações vão sendo transmitidas pelos fones de ouvido, chassis flutuam sobre nossas cabeças, em linhas aéreas que facilitam a montagem dos futuros automóveis que, em seis horas e quarenta minutos depois, sairão do outro lado da linha de produção, prontos para serem ligados no setor de testes.

Turismo industrial na fábrica da Scania, em São Bernardo (foto: Eduardo Vessoni)
Turismo industrial na fábrica da Scania, em São Bernardo (foto: Eduardo Vessoni)
Vista aérea da fábrica da Scania, em São Bernardo (foto: Eduardo Vessoni)
Vista aérea da fábrica da Scania, em São Bernardo (foto: Eduardo Vessoni)

Pode ficar tranquilo, pois os níveis de ruído dessa fábrica são inferiores aos de um motorzinho de dentista e não causam a temida suadeira dos que se sentam na cadeira do consultório.

Outro destaque de uma das plantas de produção da Scania são os AGVs, como são conhecidos os veículos automáticos desenvolvidos na empresa e que fascinam os visitantes que têm seus caminhos cruzados por essa espécie de robô que transporta peças automotivas de uma linha de produção para outra.

Área de test drive, durante turismo industrial, em São Bernardo, no ABC paulista (foto: Eduardo Vessoni)
Área de test drive, durante turismo industrial, em São Bernardo, no ABC paulista (foto: Eduardo Vessoni)
Test drive na Scania, uma das 11 empresas que fazem parte do roteiro de turismo industrial, no ABC paulista (foto: Eduardo Vessoni)
Test drive na Scania, uma das onze empresas que fazem parte do roteiro de turismo industrial, no ABC paulista (foto: Eduardo Vessoni)

Mas o ponto máximo da visita é o test drive em que os turistas com habilitação de carro podem dirigir um caminhão automático, em uma pista curta de 300 metros, com direito inclusive a curvas, obstáculos e subidas leves em ladeiras.

Os pés tocam sem jeito o acelerador daquelas máquinas gigantes que a gente não está acostumado a conduzir, os braços parecem desaparecer diante daquele painel de dimensões exageradas e o cheiro dos assentos nos lembra da sensação de veículo recém produzido. Mas basta o caminhão começar a se mover para o visitante ter uma das experiências mais inusitadas de toda a visita (afinal de contas, qual foi a última vez que você teve a chance de assumir o volante de um caminhão?).

E no final, naquela espécie de parque de diversões para marmanjos, a gente nem se lembra que está em uma autêntica fábrica de caminhões, em plena quinta-feira de produção.

O que é ‘turismo industrial’?
A indústria do turismo está cada vez mais segmentada e, no Brasil, dá seus primeiros passos para oferecer aos turistas mais do que visitas soltas em museus e monumentos, como é o caso de São Bernardo.

Visita naWheaton Brasil, em São Bernardo (foto: Wilson Magão/Divulgação)
Visita naWheaton Brasil, em São Bernardo (foto: Wilson Magão/Divulgação)

O turismo industrial é uma visita monitorada a uma determinada empresa, onde os empreendedores abrem suas portas para receber grupos de pessoas interessadas em conhecer a estrutura das unidades produtivas, a forma de produção e a tecnologia empregada.

Outros destinos
O Brasil abriga outros endereços que também recebem visitantes com roteiros industriais.

Vila Velha, próximo à capital do Espírito Santo, é conhecida pelas visitas guiadas na fábrica dos chocolates Garoto. Todos os anos, o local recebe centenas de pessoas interessadas em conhecer um pouco de sua história e do processo de produção. Durante o passeio, os visitantes podem circular pelas instalações e visitar o museu da empresa, que guarda imagens e equipamentos da origem do negócio.

Em Joinville, em Santa Catarina, o empreendedorismo e o desenvolvimento industrial são fortemente divulgados como diferenciais atrativos da cidade, que é o terceiro polo industrial da região Sul. O roteiro turístico inclui visitação a fábricas de ferro, chocolates, cervejas e peças automotivas, entre outras.

Detalhe das garrafas armazenadas na enoteca da Dal PIzzol (foto: Eduardo Vessoni)
Detalhe das garrafas armazenadas na enoteca da Dal Pizzol, na Serra Gaúcha (foto: Eduardo Vessoni)

Famosa por suas vinícolas, a Serra Gaúcha, no Rio Grande do Sul, é uma das maiores referências em turismo industrial e conta com visitas aos ambientes de produção de vinhos e experiências inusitadas como colheitas noturnas, refeições em parreirais e degustação às cegas. SAIBA MAIS

Outro roteiro da região é a ‘Rota Cervejeira’ que acontece em Gramado, Canela e Nova Petrópolis, onde o visitante conhece e prova as cervejas artesanais fabricadas nos três destinos participantes.

LEIA TAMBÉM: “Serra Gaúcha lança ‘Rota Cervejeira’”

Já no Mato Grosso do Sul, o município de Bonito conta com visita ao bar Taboa, bebida que mistura cachaça, mel, canela, guaraná em pó e ervas naturais. Por insistência dos clientes, a proprietária Andréa Fontoura, abriu o espaço para apresentar aos turistas as etapas de produção e degustação da bebida. Lá, os visitantes podem conhecer a história do bar e da bebida, acompanhar a confecção das garrafas feitas com fibra de taboa e comprar produtos exclusivos da boutique da fábrica.

Interior da loja do engenho Martiniano, produtor da cachaça ‘Cobiçada’, em Serraria, Paraíba (foto: Eduardo Vessoni)
Interior da loja do engenho Martiniano, produtor da cachaça ‘Cobiçada’, em Serraria, Paraíba (foto: Eduardo Vessoni)

No Nordeste, a Paraíba conta com um roteiro conhecido como ‘Caminho dos Engenhos’, que passa por antigos casarões e engenhos de cana-de-açúcar da região do Brejo Paraibano, uma microrregião do agreste da Paraíba, formada por cidades minúsculas do interior deste estado nordestino como Areia, Bananeiras, Pilões, Serraria e Alagoa Grande.

LEIA TAMBÉM: “Paraíba: aprecie sem moderação 

(* com informações do Ministério do Turismo)

SAIBA MAIS
Turismo industrial em São Bernardo
As visitas são gratuitas e mensais, cujo calendário é disponibilizado pelas próprias empresas, semestralmente. Os interessados deverão entrar em contato pelo e-mail turismo.industrial@saobernardo.sp.gov.br ou pelo telefone (11) 4348-1000 ramais 1199 /2222.

Entre as empresas participantes, é possível visitar também a Emae, do ramo de usina hidrelétrica; a empresa química Basf; e a Wheaton, das áreas farmacéutica e cosmética.

Site do turismo de São Bernardo
www.turismosaobernardo.com.br

(* O Viagem em Pauta visitou São Bernardo a convite da Scania e da Prefeitura de São Bernardo)

2 Comentário

  1. Olá..que pena que só agora á poucos dias foi que eu ouvir falar sobre este tipo de turismo aqui na minha sbc. Estou ansioso para participar .
    Um abraço.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*