10 praias únicas que você não deveria deixar de visitar em Florianópolis

Uns dizem que são 42. Outros, juram que chegam a 100. O número exato de praias de Florianópolis ainda não é unanimidade, mas todo mundo sabe que algumas das mais belas faixas de areia do Sul do Brasil ficam nesse pedaço de terra do litoral de Santa Catarina.

E ao longo dos seus quase 420 km², o destino garante opções para todos os estilos de banhistas.

Mas se, na temporada de verão, todo mundo parece ir para o mesmo lugar (que o diga o muvucado norte da ilha), o Viagem em Pauta quer ver você estender a toalha em algumas das praias menos visitadas de Floripa.

Nesse roteiro, nada de beach clubs em Jurerê Internacional, areia congestionada em Canasvierias ou discotecagem de DJs no pé do ouvido, na Praia Brava.

Confira as faixas de areias mais exclusivas de Florianópolis:

10. Ilha do Campeche

foto: Rodrigo Soldon/Flickr-Creative Commons
foto: Rodrigo Soldon/Flickr-Creative Commons

Com acesso diário restrito a 400 pessoas, autorizadas a ficar apenas na Praia da Enseada, essa ilha é conhecida por suas águas claras e areia fina. Não é à toa que esse santuário ecológico tombado pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) é conhecido como  o “Caribe de Florianópolis”.

No local, é possível fazer mergulhos, visitar inscrições rupestres de 5 mil anos e realizar trilhas guiadas até mirantes naturais, como os das pedras do Imã e do Vigia, ou até uma gruta, a Caverna dos Morcegos. Para ter acesso aos outros locais, é necessário o acompanhamento de um guia ambiental.

A ilha é formada por costões rochosos recobertos de Mata Atlântica, cuja árvore nativa, pau-campeche, dá o nome ao lugar.

Os traslados de 30 minutos até a ilha saem da praia do Campeche, na alta temporada, e a da Armação, durante todo o ano.

9. Naufragados

foto: Andreia Reis/Flickr-Creative Commons
foto: Andreia Reis/Flickr-Creative Commons

Localizada a cerca de 40 km do centro de Florianópolis, essa praia fica em área de preservação do Parque Estadual do Tabuleiro e tem acesso apenas por barco ou por um trilha de 3 km e 50 minutos de duração.

Uma das suas principais atrações é a caminhada até o farol, inaugurado em 1861 e rodeado por antigos canhões de guerra do Forte dos Naufragados, cujo nome é uma referência aos diversos naufrágios ocorridos na região.

Destino de surfistas, devido aos ventos que vêm do sul e causam fortes ondulações no mar, a praia mais ao sul da Ilha de Santa Catarina não conta com pousadas, mas o camping selvagem é autorizado.

8. Da Solidão

Oficialmente chamada Praia do Rio das Pacas, por causa da presença desses animais, a Praia da Solidão é uma estreita faixa de areia com natureza intocada, considerada uma das mais belas de Santa Catarina, entre a Costa de Dentro e o Saquinho.

O mar é agitado e suas areias claras ficam rodeadas por costões de Mata Atlântica, onde uma trilha leva a uma cachoeira e a uma piscina natural.

foto: Cecilia Heinen/Flickr-Creative Commons
foto: Cecilia Heinen/Flickr-Creative Commons

O nome “Solidão” começou a ser usado nos anos 1960, devido ao isolamento da praia, considerada a última do setor sul da ilha. O acesso pode ser feito de carro ou a pé, para quem vem dos Açores.

7. Praia do Saquinho

É dali que parte a trilha até a Praia do Saquinho, uma caminhada marcada por costões e trechos de Mata Atlântica que também dá acesso à Praia de Naufragados.

Localizada entre as praias Naufragados e da Solidão, a Praia do Saquinho é procurada por quem quer aproveitar um pouco de natureza.

foto: Papa Pic/Flickr-Creative Commons
foto: Papa Pic/Flickr-Creative Commons

A praia é pequena, com cerca de 100 metros de extensão, areia fina recoberta por pedras e frias águas de tom turquesa. O acesso se dá por uma trilha fácil e pavimentada de, aproximadamente, 30 minutos.

A comunidade local é uma das poucas que ainda preserva costumes antigos e vive sem energia elétrica ou estradas.

6. Lagoinha do Leste

foto: Aivuk/Flickr-Creative Commons
foto: Aivuk/Flickr-Creative Commons

No sul da ilha, a Lagoinha fica entre dois costões rochosos que chegam ao mar aberto. O local é uma das mais desertas e intocadas da região e o acesso só é possível através de trekking intenso ou por barco.

Para chegar até lá é preciso encarar as trilhas que partem do Pântano do Sul (1h de caminhada) ou da Praia do Matadeiro (3h), um trekking puxado por mata fechada e ladeiras, que só deve ser explorado com acompanhamento de guias.

 Os costões são recobertos por Mata Atlântica preservada e, próximo ao costão esquerdo, fica uma lagoa que dá o nome ao lugar. A área é protegida por lei e é proibido construir no local. Dependendo da maré, plânctons bioluminescentes fazem as águas da Lagoinha brilharem.

Não deixe de fazer paradas mais demoradas no Morro da Coroa e no mirante com vista para o Pântano do Sul e para a Lagoinha.

5. Armação

Praia da Armação (foto: Eduardo Vessoni)
Praia da Armação (foto: Eduardo Vessoni)

Essa praia, cujo nome vem da época da caça a baleias, no século 18, se localiza a 25 km do centro de Florianópolis e tem acesso pela rodovia SC-405, que leva ao sul da ilha.

Localizada ao lado do Parque Municipal da Lagoa do Peri, essa bela faixa de areia começa na Ponta da Companha e termina no lado sul do Morro das Pedras, de onde dá para observar baleias franca, entre os meses de julho e novembro.

4. Pântano do Sul

Pântano do Sul (foto: Eduardo Vessoni)
Pântano do Sul (foto: Eduardo Vessoni)

Praia de grandes dimensões e com mar calmo e areia de tom amarelado. O local é a mais tradicional praia de pesca em Santa Catarina, principalmente da espécie tainha.

É possível ver também registros arqueológicos que datam de 4.500 anos, como sambaquis, como são conhecidos os depósitos de conchas e esqueletos de tribos nativas.

3. Matadeiro

A 25 km do centro de Florianópolis, essa praia frequentada por locais da costa sul da ilha é conhecida pelas ondas perfeitas para a prática de surfe e seu nome se deve à época em que o local servia de abate de baleias. Felizmente, hoje, a única interação com as baleias é a sua observação, de julho a novembro.

Com 650 metros de extensão, a praia tem acesso pelo rio Quinca Antônio, com água no joelho ou quando a maré estiver baixa. E é justo esse motivo que transformou a região em área de mata bem preservada e praia de areias finas e águas transparentes.

foto: Papa Pic/Flickr-Creative Commons
foto: Papa Pic/Flickr-Creative Commons

2. Ribeirão da Ilha

Faixas de areia grossa e escura sobre o mar são as principais características dessa que é considerada uma das primeiras vilas da ilha, na costa oeste.

De águas calmas, essa atração a 27 km do centro de Florianópolis é procurada por praticantes de caiaque e Stand Up Paddle, além de ser um dos mais concorridos polos gastronômicos de todo o estado, devido à famosa criação de ostras. Um dos destaques dessa prática econômica é o Ostra Experience, em que o visitante tem contato com o processo de cultivo desses moluscos, em fazendas marinhas.

A região, colonizada por açorianos, ainda mantêm certos hábitos da cultura portuguesa como a arquitetura local, cujo destaque é a Igreja da Nossa Senhora da Lapa do Ribeirão, erguida no século 18.

Ribeirão da Ilha (foto: Eduardo Vessoni)
Ribeirão da Ilha (foto: Eduardo Vessoni)

1. Santo Antônio de Lisboa

Eis nossa faixa de areia preferida de toda a ilha. Menos pela beleza dessa tranquila praia interior, voltada para a Baía Norte, e mais por sua história.

Localizada a 14 km do centro de Florianópolis, no distrito de mesmo nome, essa praia fica na primeira vila da ilha, onde construções açorianas são a principal atração local. A área abriga a primeira rua com calçamento de Santa Catarina, construção de 1845 para receber o então imperador do Brasil, Dom Pedro II.

A Igreja de Nossa Senhora das Necessidades, próxima à praia, e o artesanato da Casa das Artes e Tramóias são alguns dos destaques desse destino. O local é conhecido também para a prática de SUP e caiaque, com vista para a clássica ponte Hercílio Luz.

Santo Antonio de Lisboa (foto: Eduardo Vessoni)
Santo Antonio de Lisboa (foto: Eduardo Vessoni)
SAIBA MAIS
Site oficial do turismo de Santa Catarina
www.turismo.sc.gov.br

 

3 Comentário

  1. Realmente, são praias lindas. Mas esqueceram de mencionar duas prais , cujmo mar é espetacular: Cachoeira do Bom Jesus e Canasvieiras, cuja atração turística são os passeios de barcos piratas, cujo acesso é atravé do trapiche(único do litoral norte). É a preferida pelos Argentinos. A energia positiva que circula nesta pequena praia é indescritível. Nunca deixo de visitar Canasvieiras.

    • Infelizmente praia de Canasvieira anda bem suja,moro em Florianópolis e saiu mto no noticiário sobre isso. As mais bonita com certeza são as do sul da ilha. Exceto Ribeirão da Ilha,pois se trata de rota gastronômica e não praia.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*