Visita a áreas protegidas do Brasil tem aumento de 320%, em 10 anos

Final de tarde na Amazônia (foto: Eduardo Vessoni)
Final de tarde na Amazônia (foto: Eduardo Vessoni)

Eis que viajantes brasileiros começam a voltar os olhos para áreas protegidas em território nacional.

Segundo números divulgados pelo ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), houve aumento de 320% nas visitas a parques, florestas e áreas de proteção ambiental brasileira, nos últimos dez anos.

De 2006 para 2015, por exemplo, o número subiu de 1,9 milhão para 8 milhões de visitantes. Considerando-se apenas os Parques Nacionais, o aumento foi de 2,9 milhões de visitantes para 7,2 milhões.

No topo do ranking geral das Unidades de Conservação do País, está o Parque Nacional da Tijuca (RJ), com mais de dois milhões de visitantes em 2015, seguido do Parque Nacional do Iguaçu, no extremo oeste do Paraná.

Já o Parque Nacional de Jericoacoara subiu da 9ª posição, em 2013, para o 3º lugar no ranking de parques, em 2014, um aumento de 100 mil para mais de 400 mil visitantes.

LEIA TAMBÉM: “Brasil é eleito um dos 16 melhores lugares para visitar em 2016”

Recentemente, o desenvolvedor de análises de julgamento U.S. News & World Report divulgou o ranking global Best Countries, em que dá ao Brasil o título de “melhor país do mundo para o turismo de aventura”. A conquista da primeira posição, entre os 60 países avaliados, engloba subitens como beleza cênica, clima agradável e amabalidade, entre outros.

O Brasil ficou na frente de países como Itália (2º lugar), Espanha (3º), Tailândia (4º), Nova Zelândia (5º), Austrália (6º), Grécia (7º), Costa Rica (8º), Portugal (9º) e México (10º).

Vista do monte Dedo de Deus, no Parque Nacional da Serra dos Órgãos (foto: Wikimedia Commons)
Vista do monte Dedo de Deus, no Parque Nacional da Serra dos Órgãos (foto: Wikimedia Commons)

LEIA TAMBÉM: “Brasil é eleito melhor destino de aventura do mundo”

Recorde de visitação em 2015
Em 2015, três parques nacionais brasileiros tiveram recorde de visitações.

Localizada em Goiás, no Centro-Oeste, a Chapada dos Veadeiros teve 56.629 visitantes, no ano passado, o que representa um crescimento de 43,5% em relação ao ano anterior. A vegetação típica do cerrado, cachoeiras, formações rochosas e trilhas foram responsáveis pelo maior registro de turistas desde 2012.

Vista da queda de 120 metros do Salto do Rio Preto I, na Chapada dos Veadeiros, em Goiás (foto: Eduardo Vessoni)
Vista da queda de 120 metros do Salto do Rio Preto I, na Chapada dos Veadeiros, em Goiás (foto: Eduardo Vessoni)

Outro parque que também fechou o ano com aumento do número de visitantes é o da Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso. Atrativos como cachoeiras, cavernas, lagoas e trilhas atraíram 174.855 visitantes, em 2015, considerado o maior número já registrado desde 2010, um crescimento de 29% em relação a 2014.

Em 2015, o Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná, registrou o maior número de visitantes desde 2012, com mais de 1,6 milhão de turistas. De acordo com os resultados do Índice de Competitividade do Turismo Nacional 2015, divulgado em dezembro, Foz do Iguaçu está entre os dez destinos mais competitivos do País.

Conheça parques nacionais do Brasil

Parque Nacional da Tijuca (RJ)

Parque Nacional da Tijuca, no Rio de Janeiro (foto: Parque da Tijuca/Divulgação)
Parque Nacional da Tijuca, no Rio de Janeiro (foto: Parque da Tijuca/Divulgação)

Com 3.113.913 de visitantes, em 2014, o Parque Nacional da Tijuca tem quase 4 mil hectares de Mata Atlântica e abriga ícones do Rio de Janeiro como o Morro do Corcovado, onde a estátua do Cristo Redentor se exibe do alto de seus 30 metros de altura, a Pedra da Gávea e o Parque Lage.

O local é considerado a maior floresta urbana do mundo replantada pelo homem.

Parque Nacional da Serra dos Órgãos (RJ)

Vista do monte Dedo de Deus, no Parque Nacional da Serra dos Órgãos (foto: Wikimedia Commons)
Vista do monte Dedo de Deus, no Parque Nacional da Serra dos Órgãos (foto: Wikimedia Commons)

Nos municípios de Teresópolis, Petrópolis, Magé e Guapimirim, essa área protegida de, aproximadamente, 20 mil hectares, é um dos principais pontos do País para a prática de montanhismo, como escalada e rapel.

O parque possui três sedes, em Teresópolis, Petrópolis e Guapimirim, e a principal atração são suas trilhas, que juntas formam 200 km de percurso, incluindo uma trilha suspensa, acessível também para cadeirantes.

Parque Nacional do Iguaçu (PR)

Cataratas vista durante Macuco Safári (foto: Eduardo Vessoni)
Cataratas vista durante Macuco Safári (foto: Eduardo Vessoni)

Em 2014, mais de 1,5 milhão de pessoas passou por um dos cenários brasileiros mais cobiçados por viajantes.

Criado em 1939, o Iguaçu abriga o maior remanescente de floresta Atlântica da região sul do Brasil e protege uma biodiversidade formada por espécies representativas da fauna e flora brasileiras, das quais algumas ameaçadas de extinção, como a onça-pintada, puma, jacaré-de-papo-amarelo, papagaio-de-peito-roxo e o gavião-real.

Mas a principal atração do local, considerado uma das ‘7 Novas Maravilhas da Natureza’, ainda são as quedas d’água que podem chegar a 80 metros de altura.

LEIA TAMBÉM: “Centenária e cobiçada, Foz do Iguaçu abriga atrações para aventureiros”

Parque Nacional de Superagui (PR)

Ilha dos Pinheiros, no Parque Nacional de Superagui (foto: Eduardo Vessoni)
Ilha dos Pinheiros, no Parque Nacional de Superagui (foto: Eduardo Vessoni)

Localizado no município de Guaraqueçaba, o Parque Nacional de Superagui abriga quase 34 mil hectares de ilhas, canais, rios e terras continentais como o Vale do Rio dos Patos, além de uma fauna ameaçada de extinção como o mico-leão-da-cara-preta, papagaio-da-cara-roxa, suçuarana e bugio.

LEIA TAMBÉM: “Desconhecido do brasileiro, Parque Nacional de Superagui é surpresa do litoral do Paraná”

Parque Nacional da Chapada dos Guimarães (MT)

Véu da Noiva, atração no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães (foto: Wikimedia Commons)
Véu da Noiva, atração no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães (foto: Wikimedia Commons)

Localizado nos municípios de Cuiabá e Chapada dos Guimarães, esse parque nacional tem quase 33 mil hectares e abriga atrativos como a Cachoeira Véu de Noiva (86 metros de altura); a Casa de Pedra, como é conhecida a gruta de arenito esculpida pelo córrego Independência, onde é possível encontrar vestígios de inscrições rupestres; e a Cidade de Pedra, formações rochosas que podem ser vistas a partir dos mirantes instalados na beira dos paredões da Chapada dos Guimarães.

Parque Nacional de Jericoacoara (CE)

Jericoacoara, no Cearé (foto: Embratur/Divulgação)
Jericoacoara, no Cearé (foto: Embratur/Divulgação)

O destino é conhecido por atrações como o pôr do sol que pode ser visto a partir da Vila de Jericoacoara; prática de esportes náuticos como surfe, windsurfe, kitesurfe e Stand UpPaddle; e passeios de buggy e de canoa para observação de cavalos-marinhos no manguezal do Rio Guriú.

Segundo o Ministério do Turismo, mais de 400 mil pessoas passaram por esse parque nacional de 8,5 mil hectares, no litoral oeste do Ceará.

Parque Nacional da Serra das Confusões (PI)

foto: Otávio Nogueira/Flickr-Creative Commons
foto: Otávio Nogueira/Flickr-Creative Commons

Localizado no Piauí, a 620 km da capital, esse parque fica entre os municípios de Caracol, Guaribas, Santa Luz e Cristino Castro. O nome “Confusões” vem das rochas que mudam de cor conforme a luminosidade, podendo variar do acinzentado ao vermelho.

Além dos sítios arqueológicos com inscrições rupestres, uma das principais atrações é a Gruta do Riacho dos Bois, onde a água brota de dentro das rochas.

Parque Nacional de Anavilhanas (AM)

Parque Nacional de Anavilhanas (foto: Lincoln Barbosa/Commons Wikimedia.org)
Parque Nacional de Anavilhanas (foto: Lincoln Barbosa/Commons Wikimedia.org)

Considerado um dos maiores do mundo, esse arquipélago fluvial é formado por um impressionante labirinto de 400 ilhas e possui, aproximadamente, 130 km de extensão.

Atualmente, é possível se banhar nas praias de rio (de setembro a fevereiro); realizar trilhas aquáticas em igapós (de março a agosto); e visitar o “Flutuante dos Botos”, onde os visitantes podem alimentar os famosos botos amazônicos em um projeto acompanhado pelo ICMBIO, na Praia da Orla de Novo Airão.

LEIA TAMBÉM: “Cinco parques nacionais do Brasil que você (ainda) não conhece”

SAIBA MAIS
Ministério do Turismo
www.turismo.gov.br

Site oficial do turismo do Brasil
www.visitbrasil.com

Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO)
www.icmbio.gov.br

(* com informações do ICMBio e da Embratur)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*