Conheça rota dedicada a Dom Quixote, na Espanha

Vista dos moinhos de Consuegras (foto: Hugo Díaz Regañón/Wikimedia Commons)
Vista dos moinhos de Consuegras (foto: Hugo Díaz Regañón/Wikimedia Commons)

Num lugar da Mancha, de cujo nome não quero lembrar-me, vivia, não há muito, um fidalgo…”

Com essa introdução, a Espanha ganhou o mundo da literatura com sua primeira novela da Idade Moderna e viu o clássico ‘Don Quijote de la Mancha’ se transformar em um dos livros mais famosos da história das letras, considerada uma das obras mais traduzidas depois da Bíblia.

Mais de 400 anos depois de seu lançamento, essa obra de aventuras (e desventuras) do cavaleiro andante pelas terras de La Mancha que confundiu a realidade com a ficção, escrita por Miguel de Cervantes no século 17, é tema de um roteiro de carro que passa por 13 cidades e povoados relacionados com Cervantes.

1. Alcalá de Henares
Patrimônio da Humanidade e local de nascimento de Miguel de Cervantes, Alcalá de Henares é a primeira cidade da rota dedicada ao escritor, a pouco mais de 30 km de Madri.

Conhecida também como Cidade do Saber, Alcalá abriga atrações como o Corral de Comedias, termo usado para se referir a um tipo de teatro público que funcionava ao ar livre no interior de pátios de edifícios residenciais, e a Plaza de Cervantes, que abriga um monumento a Cervantes, obra erguida em 1879.

(foto: Eduardo Vessoni)
Fachada do Museo Casa Natal de Cervantes (foto: Eduardo Vessoni)

Destaque: Em funcionamento no mesmo imóvel onde o escritor nasceu, o Museo Casa Natal de Cervantes, se localiza em um solar, onde são recriados ambientes residenciais espanhóis dos séculos 16 e 17, em dois andares. O acervo abriga uma coleção bibliográfica com as edições mais importantes de Cervantes, como uma publicação lisboeta de 1605 e a primeira edição espanhola ilustrada de 1674.

2. Madri
A capital da Espanha é endereço de alguns locais relacionados a Cervantes como a Casa Alberto, taberna de 1827 onde o escritor teria criado obras como “Os trabalhos de Persiles e Sigismunda” e a segunda parte de Dom Quixote; e a Biblioteca Nacional, que conserva um exemplar da primeira edição de sua obra mais famosa.

Convento de las Trinitarias Descalzas, em Madrid (foto: Wikimedia Commons)
Convento de las Trinitarias Descalzas, em Madrid (foto: Wikimedia Commons)

Destaque: Acredita-se que a igreja e convento das Trinitarias Descalzas (Calle Lope de Vega, 18) abrigue os restos mortais de Cervantes e de sua esposa Catalina de Salazar y Palacios, onde se localiza o monumento funerário criado em homenagem ao casal.

3. Esquivias
Essa cidade da província de Toledo, a pouco mais de 40 km de Madri, é a cidade natal da esposa do escritor, onde o casal se casou, em 1584.

Casa de Cervantes, em Esquivias (foto: Sociedad Cervantina/Divulgação)
Casa de Cervantes, em Esquivias (foto: Sociedad Cervantina/Divulgação)

Destaque: Preservada com as características dos casarões do século 16, a Casa de Cervantes funciona, atualmente, como museu e desde 1971 é declarada Monumento Histórico-Artístico. Seu acervo abriga edições em diferentes idiomas da obra ‘El Ingenioso Hidalgo Don Quijote de la Mancha’, cuja mais antiga é um livro inglês do século 17; e documentos do século 16 como os livros paroquiais que comprovam a existência de alguns personagens de Dom Quixote que, de fato, viveram em Esquivias.

4. Consuegra
Os famosos gigantes que Dom Quixote insistia em querer lutar contra são a imagem mais famosa dessa cidade a 60 quilômetros de Toledo.

Vista dos moinhos de Consuegras (foto: Hugo Díaz Regañón/Wikimedia Commons)
Vista dos moinhos de Consuegras (foto: Hugo Díaz Regañón/Wikimedia Commons)

Destaque: Do alto do cerro Calderico é possível ver os 12 moinhos de vento que inspiraram Miguel de Cervantes a criar a clássica luta contra aqueles imaginários gigantes do livro ‘Don Quijote de la Mancha’.

5. Campo de Criptana
Essa cidade da comunidade autônoma de Castilla-La Mancha, a 49 km do destino anterior, também abriga os famosos moinhos de viento das aventuras de Dom Quijote, onde é possível fazer visitas guiadas.

Vista dos moinhos de Campo de Criptana (foto: M.Peinado/Flickr-Creative Commons)
Vista dos moinhos de Campo de Criptana (foto: M.Peinado/Flickr-Creative Commons)

Destaque: A vizinha Tolboso, a menos de 20 km dali, abriga a Casa Museo de Dulcinea, cuja moradora Ana Martínez Zarco de Morales teria inspirado a criação da imaginária “donzela mais formosa, a sem par Dulcinéia del Toboso”. A atração, localizada em uma típica casa de um fidalgo de La Mancha do século 16, ainda guarda ambientes como moinho, adega e pátios interiores.

6. Argamasilla de Alba
Cinquenta quilômetros mais adiante, o viajante literário encontra a Casa de Medrano, onde está a Cueva de Medrano, local em que Cervantes esteve detido e que, segundo a lenda, teria servido de cenário para as primeiras linhas das histórias de Dom Quixote.

Casa de Medrano, em Argamasilla de Alba (foto: Wikimedia Commons)
Casa de Medrano, em Argamasilla de Alba (foto: Wikimedia Commons)

Destaque: A região conta também com atrativos como a ‘Cueva de Montesinos’ e as ruínas dol Castillo de Rochafrida, na cidade de Ossa de Montiel; e Villanueva de los Infantes, endereço de atrações como a casa de Diego de Miranda, que teria inspirado Cervantes a criar o Caballero del Verde Gabán, e o Parque Natural de las Lagunas de Ruidera.

7. Ciudad Real
Rodeada por morros, essa cidade histórica, a menos de uma hora de trem de Madri, é a última parada da viagem dedicada a Miguel de Cervantes.

Destaque: O Museo del Quijote conta com exposição multimídia como quadros pintados pelo ilustrador José Jiménez Aranda, projeções sobre a obra de Cervantes, reconstruções de ambientes da época e uma biblioteca com 3.500 livros, relacionados ao muno cervantino.

LEIA TAMBÉM: “Casa de José Saramago é atração emocionante da Espanha”

CURIOSIDADES SOBRE MIGUEL DE CERVANTES
– Filho do cirurgião Rodrigo de Cervantes, Miguel de Cervantes teria se inspirado em um recipiente, usado para encaixar o pescoço dos homens que faziam a barba, para criar o famoso chapéu cortado do cavaleiro andante, um de seus adereços mais característicos.

– Antes de ser o escritor espanhol mais traduzido do mundo, Cervantes atuou como soldado contra os turcos na batalha de Lepanto, em 1571, que teria tirado os movimentos da mão esquerda de Cervantes

– Ao regressar da Itália com seu irmão Rodrigo, Cervantes foi detido por piratas turcos, em 1575, e levado para a Argélia, onde ficou preso por cinco anos até ser resgatado por padres da Ordem dos Trinitários, em 1580.

foto: spain.info/Divulgação
foto: spain.info/Divulgação

– Miguel de Cervantes trabalhou também como cobrador de impostos e, quase dez anos depois no cargo, foi preso em Sevilha, acusado de roubar parte dos tributos arrecadados para o financiamento das guerras em que a Espanha estava envolvida.

– Aos 58 anos, Cervantes foi, por fim, reconhecido como escritor, quando foi publicada a primeira parte da história de Dom Quixote e seu escudeiro Sancho Pança.

– É tanta devoção à imagem do escritor que a Espanha conta até com uma passeio ferroviário, entre Madri e Alcalá de Henares, em que atores dramatizam cenas da obra mais famosa de Cervantes, no Trem de Cervantes.

SAIBA MAIS: “400 anos depois de lançamento, Dom Quixote inspira turismo na Espanha”

SERVIÇO
Escritório de Turismo da Espanha
www.spain.info

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*