Confira imagens do primeiro museu subaquático do Atlântico

Museo Atlántico de Lanzarote (foto: Divulgação)
Museo Atlántico de Lanzarote (foto: Divulgação)

Não bastasse o cenário vulcânico surreal de Lanzarote, esse projeto submarino traz novas perspectivas cenográficas para essa ilha espanhola a mil km da Europa.

Assinado por Jason deCaires Taylor, artista britânico conhecido por suas esculturas no fundo do mar, o Museo Atlántico de Lanzarote, nas Ilhas Canárias, abriga obras afundadas que recriam (e discutem) cenas cotidianas como a crise humanitária de refugiados, a era dos selfies e as novas tecnologias.

O museu se localiza na costa sul de Lanzarote, um dos sete destinos das Ilhas Canárias, na Espanha, a 12 metros de profundidade, aproximadamente, e em uma área que abrange 2.500 m².

Esse conjunto de esculturas é considerado o primeiro museu subaquático do Atlântico.

LEIA TAMBÉM: “Espanha tem bar e restaurante dentro de lava vulcânica”

Museo Atlántico de Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)
Museo Atlántico de Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)

Mais do que beleza cênica e entretenimento para mergulhadores, esse projeto é um alerta para a defesa dos oceanos e servirá de endereço para a criação de um imenso arrecife artificial que ajudará no desenvolvimento de biomassa marinha e na reprodução de espécies de Lanzarote, criando refúgios e um novo habitat.

Descrito pela revista Foreign Policy como o “Jacques Cousteau do mundo da arte”, Jason DeCaires Taylor, em mais de 20 anos de experiência como mergulhador, cria instalações vivas submarinas que propõem uma discussão sobre a consciência ambiental.

Segundo o Centro de Arte, Cultura y Turismo de Lanzarote, um dos apoiadores da iniciativa, Taylor “cria misteriosos mundos submarinos, onde a arte evolui como consequência dos efeitos da natureza”.

A obra “Contenido” propõe uma reflexão sobre o uso das novas tecnologias e a febre da autorreferência (foto: Divulgação)
A obra “Contenido” propõe uma reflexão sobre o uso das novas tecnologias e a febre da autorreferência (foto: Divulgação)

A primeira etapa da preparação da exposição, concluída no último mês de fevereiro, inclui seis conjuntos de esculturas como a impressionante “El Rubicón”, formada por 35 figuras humanas, cujos moldes foram feitos com moradores da ilha de Lanzarote.

Os marinheiros abandonados em um naufrágio no Senegal estão representados em “La Balsa de Lampedusa”, obra que faz um paralelo com a atual crise dos refugiados na Europa.

Já “Contenido” propõe uma reflexão sobre o uso das novas tecnologias e a febre da autorreferência, cuja “crua realidade de alguns se converte em espetáculo para os outros”.

LEIA TAMBÉM: “Casa de José Saramago é atração emocionante da Espanha“

VEJA IMAGENS

  • Museo Atlántico de Lanzarote (foto: Divulgação)
    Museo Atlántico de Lanzarote, nas Ilhas Canárias, na Espanha (foto: Divulgação)

  • Afundamento de umas das obras do artista britânico Jason deCaires Taylor, em Lanzarote, nas ILhas Canárias (foto: Divulgação)
    Afundamento de umas das obras do artista britânico Jason deCaires Taylor, em Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)

  • Afundamento de umas das obras do artista britânico Jason deCaires Taylor, em Lanzarote, nas ILhas Canárias (foto: Divulgação)
    Afundamento de umas das obras do artista britânico Jason deCaires Taylor, em Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)

  • Detalhe da obra “El Rubicón”, formada por 35 figuras humanas que dirigem a um mesmo destino, cujos moldes foram feitos com moradores da ilha de Lanzarote, nas Canárias (foto: Eduardo Vessoni)
    Detalhe da obra “El Rubicón”, formada por 35 figuras humanas, cujos moldes foram feitos com moradores da ilha de Lanzarote, nas Canárias (foto: Eduardo Vessoni)

  • Detalhe da obra “El Rubicón”, formada por 35 figuras humanas que dirigem a um mesmo destino, cujos moldes foram feitos com moradores da ilha de Lanzarote, nas Canárias (foto: Eduardo Vessoni)
    Detalhe da obra “El Rubicón”, formada por 35 figuras humanas, cujos moldes foram feitos com moradores da ilha de Lanzarote, nas Canárias (foto: Eduardo Vessoni)

  • Instalação de umas das obras do artista britânico Jason deCaires Taylor, em Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)
    Instalação de umas das obras do artista britânico Jason deCaires Taylor, em Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)

  • Obras do artista britânico Jason deCaires Taylor, antes de ser afundada em Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)
    Obras do artista britânico Jason deCaires Taylor, antes de serem afundadas em Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)

  • Obras do artista britânico Jason deCaires Taylor, antes de ser afundada em Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)
    Obras do artista britânico Jason deCaires Taylor, antes de serem afundadas em Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)

  • A obra “Contenido” propõe uma reflexão sobre o uso das novas tecnologias e a febre da autorreferência (foto: Divulgação)
    A obra “Contenido” propõe uma reflexão sobre o uso das novas tecnologias e a febre da autorreferência (foto: Divulgação)

  • Museo Atlántico de Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)
    Museo Atlántico de Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)

  • Museo Atlántico de Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)
    Museo Atlántico de Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)

  • Museo Atlántico de Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)
    Museo Atlántico de Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)

  • Vista da obra “El Rubicón”, formada por 35 figuras humanas que dirigem a um mesmo destino, cujos moldes foram feitos com moradores da ilha de Lanzarote, nas Canárias (foto: Eduardo Vessoni)
    Vista da obra “El Rubicón”, formada por 35 figuras humanas, cujos moldes foram feitos com moradores da ilha de Lanzarote, nas Canárias (foto: Eduardo Vessoni)

  • “La Balsa de Lampedusa”, uma das obras do Museo Atlántico,em Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)
    “La Balsa de Lampedusa”, uma das obras do Museo Atlántico,em Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)

  • “La Balsa de Lampedusa”, uma das obras do Museo Atlántico,em Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)
    “La Balsa de Lampedusa”, uma das obras do Museo Atlántico,em Lanzarote, nas Ilhas Canárias (foto: Divulgação)

  • Museo Atlántico de Lanzarote, nas Ilhas Canárias, na Espanha (foto: Divulgação)
    Museo Atlántico de Lanzarote, nas Ilhas Canárias, na Espanha (foto: Divulgação)

SAIBA MAIS
Centro de Arte, Cultura e Turismo
A exposição do Museo Atlántico acontece, em Lanzarote, desde o dia 1º de março, das 10h às 16h, em dias de condições meteorológicas favoráveis.
As reservas devem ser feitas pelo email reservasma@centrosturisticos.com ou em centros de mergulho de Lanzarote.
www.centrosturisticos.com

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*