7 destinos brasileiros onde (ainda) vai dar praia

No lado de cá do continente, as temperaturas mais baixas já estão dando as caras, mas ainda sobram alguns dias para quem quer aproveitar os últimos dias de praia no litoral do Brasil.

Com céu limpo e dias com clima mais ameno, o início do outono ainda deve dar praia, em destinos como a Bahia, Paraíba e o Rio Grande do Norte. No Sul e Sudeste, destinos como Ilha Grande e Florianópolis fazem a última chamada para os banhistas retardatários que contam com a sorte de poderem viajar na baixa temporada.

Aliás, é nessa época que o destino mais exclusivo do Brasil baixa os preços, antes da época das chuvas. De abril a junho, o arquipélago de Fernando de Noronha participa da campanha “Mais Noronha”, quando estabelecimentos reduzem seus preços em até 30%.

LEIA TAMBÉM: Praias de água doce são alternativas no litoral brasileiro”

Caraíva (Bahia)

Caraíva, no litoral sul da Bahia (foto: Eduardo Vessoni)
Caraíva, no litoral sul da Bahia (foto: Eduardo Vessoni)

Caraíva é a Bahia que não deixa a gente querer voltar para casa; que nos convida caminhar por ruas estreitas de areia que beira o rio e risca o casario colorido de fachadas simples e eletricidade subterrânea, recém-chegada à região, uma solução exigida pela população local que trocou o ronco dos geradores pela invisibilidade dos cabos de luz enterrados, há 6 anos.

Naquelas terras onde a curta alta temporada vai apenas do Natal ao Carnaval, a sensação de que tudo segue igual se repete, quando a Bahia, mais uma vez, mostra sua versão mais isolada do seu litoral sul.

LEIA TAMBÉM: “Trilha entre a Praia do Espelho e Caraíva é a Bahia que passa devagar”

Sul da Bahia

Jacumã, praia que fica no roteiro que vai de Trancoso à Praia do Espelho, no litoral sul da Bahia (foto: Eduardo Vessoni)
Jacumã, praia que fica no roteiro que vai de Trancoso à Praia do Espelho, no litoral sul da Bahia (foto: Eduardo Vessoni)

Embora seja difícil ter dias inteiros com chuva, a temporada chuvosa do litoral sul da Bahia costuma ir de junho a agosto. Isso significa dizer que ainda dá tempo de colocar os pés (e o corpo todo) em um os destinos mais cenográficos do litoral brasileiro.

Entre Porto Seguro e Caraíva, o destino concentra um alto número de faixas de areia isoladas, onde carros não entram e banhistas só chegam caminhando ou de bicicleta, como Juacema e Itaquena.

LEIA TAMBÉM: Praias isoladas do litoral sul da Bahia se exibem em viagem de bicicleta”

Areia Vermelha (Paraíba)

Outro cenário surreal do litoral norte paraibano é Areia Vermelha, ilha com 1,5 quilômetro de extensão que se forma na maré baixa e dá lugar a piscinas naturais rodeadas por areias de tons avermelhados, no município de Cabedelo, região metropolitana de João Pessoa (foto: Cacio Murilo/PBTur)
Areia Vermelha, ilha com 1,5 km de extensão que se forma na maré baixa e dá lugar a piscinas naturais rodeadas por areias de tons avermelhados, no município de Cabedelo, região metropolitana de João Pessoa (foto: Cacio Murilo/PBTur)

Eis o estado nordestino que parece que nunca sai do estado de férias, mas sempre sem aquela muvuca de outros destinos litorâneos do Brasil.

A Paraíba guarda belas praias que valem a viagem por seu pequeno litoral, como Tambaba, no município de Conde, e Areia Vermelha, em Cabedelo, no litoral norte paraibano. O acesso até essa atração só é possível quando a maré está baixa.

Galos e Galinhos (Rio Grande do Norte)

Praoa do Farol, em Galinhos (foto: Eduardo Vessoni)
Praoa do Farol, em Galinhos (foto: Eduardo Vessoni)

Naquelas terras isoladas por dunas e mangues, quase nunca chove e o destino parece estar em constante alta temporada, mas sem a movimentação caótica de outros destinos nordestinos.

Localizados a 170 km de Natal, na costa norte do estado, esses dois vilarejos rústicos têm charretes e bugues como únicas opções de transporte, lagoas que viram piscinas naturais entre dunas móveis, praias isoladas que surgem e desaparecem no ritmo da maré, montanhas de sal que riscam o horizonte das salinas locais e um mangue que serve de cenário para passeios gastronômicos de barco.

LEIA TAMBÉM: “10 motivos para visitar a desconhecida Galinhos, no Rio Grande do Norte”

Fernando de Noronha (Pernambuco)

foto: Eduardo Vessoni
foto: Eduardo Vessoni

De abril a junho, a ilha mais cobiçada e cara do Brasil entra em liquidação. É nessa época que pousadas, restaurantes e companhias aéreas participam da campanha “Mais Noronha”, quando os preços costumam cair até 30%.

Só não se esqueça de que, a partir de maio, começa a temporada de chuvas no destino.

A época ideal para observação de desova de ovos de tartarugas vai de dezembro a agosto, com pico entre março e abril. E para quem quer surfar, a temporada perfeita vai de dezembro a março.

LEIA TAMBÉM: “Isolado e paradisíaco, arquipélago de Fernando de Noronha também tem opções econômicas”

Ilha Grande (Rio de Janeiro)

Praia do Aventureiro, em Ilha Grande (foto: Tatiana Melo/Divulgação)
Praia do Aventureiro, em Ilha Grande (foto: Tatiana Melo/Divulgação)

Dias de céu claro, temperaturas mais amenas e sem a agitação típica do verão, os meses de outono e primavera são os mais indicados para conhecer a maior ilha da região de Angra dos Reis.

Eleita uma das 7 Maravilhas do Rio de Janeiro, Ilha Grande tem acesso pela muvucada Ilha do Abraão, cuja movimentação turística pouco combina com as praias voltadas para o Mar de Fora, dono de alguns dos endereços mais selvagens e de difícil acesso em todo o destino.

SAIBA MAIS: ” Trilha passa por praias paradisíacas do Mar de Fora, em Ilha Grande”

Florianópolis (Santa Catarina)

PRAIA DA ARMAÇÃO (SC): Localizada ao lado do Parque Municipal da Lagoa do Peri, essa bela faixa de areia começa na Ponta da Companha e termina no lado sul do Morro das Pedras, de onde dá para observar baleias franca, entre os meses de julho e novembro (foto: Eduardo Vessoni)
Praia da Armação (SC): Localizada ao lado do Parque Municipal da Lagoa do Peri, essa bela faixa de areia começa na Ponta da Companha e termina no lado sul do Morro das Pedras, de onde dá para observar baleias franca, entre os meses de julho e novembro (foto: Eduardo Vessoni)

As temperaturas ainda não estão baixas e as praias, de águas mais geladas, podem ser apreciadas, até meados de abril.

Uns dizem que são 42. Outros, juram que chegam a 100. O número exato de praias de Florianópolis ainda não é unanimidade, mas todo mundo sabe que algumas das mais belas faixas de areia do Sul do Brasil ficam nesse pedaço de terra do litoral de Santa Catarina.

LEIA TAMBÉM: “10 praias únicas que você não deveria deixar de visitar em Florianópolis”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*