1º de abril: conheça destinos no mundo que parecem mentira

Pode esfregar os olhos, dizer que é manipulação de imagens e tudo… Mas esses destinos existem e são todos turísticos, (quase) sempre com fácil acesso para visitantes.

Para comemorar o 1º de abril, conhecido como ‘Dia da Mentira’, o Viagem em Pauta selecionou os destinos mais surpreendentes do planeta, donos de cenários que parecem mentira.

Tem deserto na Bolívia que teria inspirado o pintor Salvador Dalí; vulcão congelado que dá pra andar sobre ele, em plena Antártica; caverna brasileira que só pode ser conhecida em um rapel negativo de 72 metros de profundidade; e tem até um museu submarino, nas Ilhas Canárias.

LEIA TAMBÉM: “8 cenários surreais pelo mundo”

CONFIRA FOTOS

  • (foto: Eduardo Vessoni)
    ROCAS DE DALÍ (Bolívia): Dizem que o pintor espanhol Salvador Dalí teria se inspirado nessa região para pintar alguns de seus quadros. Nada provado, mas esses contornos surrealistas fazem desse vale uma das experiências mais impactantes, visualmente, em todo território boliviano, na Reserva Nacional de Fauna Andina Eduardo Avaroa. Trata-se de um conjunto único de rochas vulcânicas, próximo ao salar de Chalviri (foto: Eduardo Vessoni)

  • Laguna Verde vista do vulcão Licancabur (foto: Wikimedia Commons)
    LAGUNA VERDE (Bolívia): A mistura de sal, arsênico e cobre dão os tons verde-turquesa dessa lagoa de 17 km², aproximadamente. rodeada por altas montanhas e picos nevados. Destaque para o imponente Licancabur, vulcão que fica na fronteira da Bolívia com o Chile (foto: Wikimedia Commons)

  • (foto: Javierosh/Flickr-Ceative Commons)
    SALAR DE UYUNI (Bolívia): Localizado no sul da Bolívia, a quase 600 km de La Paz, o Salar de Uyuni é daqueles lugares que o viajante custa a acreditar que existe, afinal de contas são 12 mil km² de sal, o que lhe garantiu os títulos de “a maior planície de sal do mundo” e o de “o único ponto natural brilhante que é possível ser avistado do espaço” (foto: Javierosh/Flickr-Ceative Commons)

  • Great Blue Hole, em Belize (foto: Eric Pheterson/Flickr-Creative Commons)
    GREAT BLUE HOLE (Belize): Considerado uma das atrações turísticas mais famosas da região do mar do Caribe, esse buraco a 69 km da costa de Belize é um dos melhores pontos de mergulho do planeta (“o melhor do mundo”, segundo Jacques Cousteau) (foto: Eric Pheterson/Flickr-Creative Commons)

  • Zhangye Danxia, na China (foto: Kashif Pathan/Flickr-Creative Commons)
    ZHANGYE DANXIA (China): Considerado um dos mais belos cenários da China, o Parque Geológico Nacional Zhangye Danxia, na Província de Gansu, ocupa uma área de 510 km² e abriga essas impressionantes formações rochosas de cores raras, esculpidas pelos ventos e pelas chuvas, resultado do depósito de minerais, há mais de 24 milhões de anos (foto: Kashif Pathan/Flickr-Creative Commons)

  • Parque Nacional Bryce Canyon, a 4 horas de Las Vegas, nos Estados Unidos (foto: PiConsti/Flickr-Creative Commons)
    BRYCE CANYON (Estados Unidos): Situado a mais de 6.500 metros sobre o nível do mar, esse parque nacional do estado de Utah, próximo ao icônico Zion National Park, abriga formações rochosas em forma de pirâmide, conhecidas como hoodoos, e fica a quatro horas de Las Vegas (foto: PiConsti/Flickr-Creative Commons)

  • Museo Atlántico de Lanzarote (foto: Divulgação)
    MUSEO ATLÁNTICO (Ilhas Canárias): Localizado na costa sul de Lanzarote, um dos sete destinos das Ilhas Canárias, na Espanha, o Museo Atlántico fica a 12 metros de profundidade, aproximadamente, e em uma área que abrange 2.500 m²useo Atlántico de Lanzarote (foto: Divulgação)

  • foto: Eduardo Vessoni
    LANZAROTE (Espanha): Essa ilha das Canárias abriga mais de 200 vulcões, cujas primeiras erupções teriam começado, há 180 milhões de anos (foto: Eduardo Vessoni)

  • Rapel de 72 metros, no Abismo Anhumas, em Bonito, Mato Grosso do Sul (foto: Eduardo Vessoni)
    ABISMO ANHUMAS (Bonito): O Buraco, como o local também é chamado, possui uma fenda de 72 metros de altura, o equivalente a um edifício de 26 andares, que só pode ser alcançada em um rapel negativo (foto: Eduardo Vessoni)

  • Interior da São Bernardo, uma das cavernas do complexo de Terra Ronca, no extremo nordeste de Goiás (foto: Eduardo Vessoni)
    TERRA RONCA (Goiás): Localizada no extremo nordeste de Goiás, Terra Ronca é cenário de uma das experiências de aventura mais fascinantes, em território brasileiro. Essa região de mais de 600 milhões de anos abriga quase 300 cavernas, no Parque Estadual de Terra Ronca (PETeR) (foto: Eduardo Vessoni)

  • Dead Pan, na região de Sossusvlei, na Namíbia (foto: Eduardo Vessoni)
    SOSSUSVLEI (Namíbia): Essa região árida, que em língua ‘nama’ significa, curiosamente, ‘local de coleta de água’, abriga as mais altas dunas do planeta, a 325 metros sobre o nível do mar. Em uma área de 50 mil km², vida e morte se exibem em cenários formados por imagens como as florestas petrificadas do Dead Pan (foto), cujo solo amarelado de argila abriga árvores de quase mil anos que, há milhares de anos, foram surpreendidas pelo mar de areia trazida por correntes do Atlântico, a 60 km dali (foto: Eduardo Vessoni)

  • Telluride, no Colorado, é cenário do filme 'Os 8 odiados', o mais novo filme do diretor Quentin Tarantino (foto: Visit Telluride/Ryan Bonneau)
    COLORADO (Estados Unidos): Cenário do último filme Quentin  Tarantino, ‘Os 8 odiados’, Telluride fica no sudoeste do estado do Colorado. Um dos atrativos naturais locais são as Montanhas de San Juan, parte das Montanhas Rochosas; além de um resort de esqui, considerado um dos principais destinos estadunidenses para a prática do esporte (foto: Visit Telluride/Ryan Bonneau)

  • Skellig Michael, na Irlanda, é a ilha que serviu de cenário para o filme Star Wars (foto: SkelligIslands.com/trivago)
    SKELLING MICHAEL (Irlanda): Essa ilha irlandesa serviu de cenário para o último filme da saga ‘Star Wars’. Esse é um destino quase que desconhecido dos estrangeiros que visitam o país e com acesso apenas em alguns períodos do ano e com tempo bom (foto: SkelligIslands.com/trivago)

  • ESTRADA DO REI: Plantadas pela família Stuart, no século 18, as árvores de The Dark Hedges formam essa bela avenida de faias, considerada uma das atrações naturais mais fotografadas da Irlanda do Norte. Na segunda temporada, o local se transformou na Estrada do Rei, por onde Ayra Stark escapa de Porto Real, acompanhada de Yoren, Gendry e Torta Quente (foto: Giuseppe Milo/Flickr-Creative Commons)
    DARK HEDGES (Irlanda do Norte): Plantadas pela família Stuart, no século 18, as árvores de The Dark Hedges formam essa bela avenida de faias, considerada uma das atrações naturais mais fotografadas da Irlanda do Norte. O local já serviu de cenário para cenas da série ‘Game of Thrones’. Na segunda temporada, o local se transformou na Estrada do Rei, por onde Ayra Stark escapa de Porto Real, acompanhada de Yoren, Gendry e Torta Quente (foto: Giuseppe Milo/Flickr-Creative Commons)

  • Churún-Merú, na Venezuela (foto: AirPano/Divulgação)
    CHURÚN-MERÚ (Venezuela): Com 400 metros de altura, essa é uma das menores quedas d’água do Parque Nacional Canaima, na Venezuela, e fica no interior de um cânion (foto: AirPano/Divulgação)

  • Vulcão Rano Kau, na Ilha de Páscoa (foto: Eduardo Vessoni)
    RANO KAU (Ilha de Páscoa): Localizado a 324 metros sobre o nível do mar, esse vulcão chileno é um dos três centros vulcânicos que deram origem à ilha, há 2,5 milhões de anos (foto: Eduardo Vessoni)

  • Castelo de Predjama (foto: Divulgação)
    CASTELO DE PREDJAMA (Eslovênia): Essa construção do século 12 foi erguida dentro de uma rocha, em um penhasco de 123 metros de altura. Conhecido como ‘castelo-caverna’, seu interior e as galerias subterrâneas estão abertas para visita pública (foto: Divulgação)

  • A câmara de magma do vulcão Thrihnukagigur é um a das atrações em seu interior (foto: Vilhelm Gunnarsson/Inside Volcano)
    VULCÃO THRIHNUKAGIGIPUR (Islândia): Considerada uma das maiores ilhas vulcânicas do mundo, a Islândia é endereço do vulcão Thrihnukagigur, um gigante adormecido há mais de quatro mil anos que pode ser visitado por dentro. Em uma de suas crateras, visitantes descem em um guindaste que funciona como um elevador até o solo de um dos salões internos do vulcão (foto: Vilhelm Gunnarsson/Inside Volcano)

  • Trilhas para caminhadas e ciclismo são os destaques naturais de Freudenstadt, uma das cidades da Floresta Negra, na Alemanha
    FLORESTA NEGRA (Alemanha): Esse território do sudoeste da Alemanha é declarado o maior parque natural de todo o país, um corredor verde com 16 mil km² (200 km de norte a sul e 80 km de leste a oeste), no estado de Baden-Württemberg, nas fronteiras com a França e a Suíça (foto: Eduardo Vessoni)

  • SALAR DE ATACAMA (Chile): Localizado no interior da Reserva Nacional Los Flamencos, esse salar é um dos cenários obrigatórios, no Deserto do Atacama, no Chile. São 320 mil hectares de um impressionante deserto formado por rochas de sal que rodeiam lagoas que servem de habitat para os três tipos de flamingos locais (foto: Eduardo Vessoni)
    SALAR DE ATACAMA (Chile): Localizado no interior da Reserva Nacional Los Flamencos, esse salar é um dos cenários obrigatórios, no Deserto do Atacama, no Chile. São 320 mil hectares de um impressionante deserto formado por rochas de sal que rodeiam lagoas que servem de habitat para os três tipos de flamingos locais (foto: Eduardo Vessoni)

  • Fervedouro do Soninho, no Jalapão (foto: Eduardo Vessoni)
    JALAPÃO (Brasil): Os fervedouros dessa região do Tocantins são nascentes subterrâneas com pressão no solo arenoso que evita que o visitante afunde. Conhecido como ‘ressurgência’, o fenômeno das águas borbulhantes é capaz de fazer qualquer adulto virar criança nesses poços de águas transparentes rodeadas por bananeiras, como o Fervedouro do Soninho (foto: Eduardo Vessoni)

  • Sol da meia-noite, na Finlândia (foto: Visit Finland/Divulgação)
    SOL DA MEIA-NOITE (Finlândia): Durante o verão no Hemisfério Norte, esse país nórdico é cenário do impressionante sol da meia-noite, fenômeno natural do Ártico que garante luz solar, durante 24 horas. Só para se ter uma ideia, na cidade de Utsjoki, na Lapônia, um único dia de verão pode durar até dois meses (foto: Visit Finland/Divulgação)

  • DECEPTION ISLAND (Antártica): Este é um dos destinos mais inusitados de toda a Península Antártica. Com acesso por um estreito canal de 150 metros, na baía Foster, a ilha está localizada no interior da cratera congelada de um vulcão (foto: Eduardo Vessoni)
    DECEPTION ISLAND (Antártica): Este é um dos destinos mais inusitados de toda a Península Antártica. Com acesso por um estreito canal de 150 metros, na baía Foster, a ilha está localizada no interior da cratera congelada de um vulcão (foto: Eduardo Vessoni)

Salvar

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*