Mangue Seco e Praia do Saco são destinos paradisíacos, entre Bahia e Sergipe

Elas são vizinhas, dividem a mesma geografia, mas nem parece que estão separadas apenas por um rio.

Localizado em uma península, a 220 km de Salvador (BA), Mangue Seco é o destino pé na areia com melhor infraestrutura e que vive sob as sombras de coqueiros e de Tieta, a personagem de Jorge Amado que deu fama à região.

Do outro lado do rio Real, a Praia do Saco é a versão isolada do litoral sergipano, a 74 km da capital Aracaju. É mais simples, porém com as atrações naturais mais procuradas por quem visita a região.

Ambas fazem parte de um combinado perfeito para quem visita os litorais sul de Sergipe e o norte da Bahia: ruas de areia, dunas para passeios e praias (quase) desertas. Confira as atrações da baiana Mangue Seco e da Praia do Saco, em Sergipe.

LEIA TAMBÉM: “5 motivos para visitar o litoral sul da Bahia”

MANGUE SECO
A viagem começa no Atracadouro Porto do Cavalo, no município de Estância, a 74 km de Aracaju, e segue em navegações calmas pelo rio Real até o píer simples de acesso a Mangue Seco.

A população desse povoado não passa de 200 habitantes. Então já dá para ter uma ideia da exclusividade nesse destino que é dono da última praia no extremo norte do litoral baiano.

Vista de Mangue Seco, no extremo norte do litoral da Bahia, no limite com Sergipe (foto: Eduardo Vessoni)
Vista de Mangue Seco, no extremo norte do litoral da Bahia, no limite com Sergipe (foto: Eduardo Vessoni)

Em Mangue Seco, o turismo acontece, basicamente, em torno de duas atrações: os passeios de bugue nas dunas da região que se movimentam de acordo com a pressa dos ventos; e o rio Real, cujas águas salgadas do mar recebe pequenas embarcações que fazem paradas em atrações como a Ilha da Sogra.

Com quase 30 km de praias, Mangue Seco costuma ser explorado a bordo de bugues que realizam roteiros sobre as dunas, entre cajueiros e coqueirais, com duração que varia de 20 minutos a 1h30. Entre as paradas obrigatórias estão o Morro do Caju, a duna mais alta do povoado, e a dupla de coqueiros Romeu e Julieta.

LEIA TAMBÉM: “Trilha entre a Praia do Espelho e Caraíva é a Bahia que passa devagar”

Vista da dupla de coqueiros Romeu e Julieta, em Mangue Seco, no extremo norte do litoral baiano (foto: Eduardo Vessoni)
Vista da dupla de coqueiros Romeu e Julieta, em Mangue Seco, no extremo norte do litoral baiano (foto: Eduardo Vessoni)

O passeio custa de bugue custa R$ 90 (20′ de duração); R$ 130 (45 minutos com 5 paradas em atrativos como o Morro do Caju, o ponto mais alto de Mangue Seco e os coqueiros Romeu e Julieta); e R$ 170 (1h30).

Os profissionais responsáveis pelo passeio ficam no centro de Mangue Seco.

PRAIA DO SACO
A 74 km da capital Aracaju, no município de Estância, essa praia é considerada uma das mais belas de Sergipe (e uma das 100 mais bonitas, em todo o mundo)

O turismo por ali segue no mesmo ritmo da vizinha Mangue Seco.

Vista aérea da Praia do Saco, em Sergipe (foto: Secretaria do Turismo e do Esporte de Sergipe/Divulgação)
Vista aérea da Praia do Saco, em Sergipe (foto: Secretaria do Turismo e do Esporte de Sergipe/Divulgação)

Ponto de encontro de seis rios com o Atlântico, o que garante a presença de manguezais, a Praia do Saco é conhecida pela cenográfica Ilha da Sogra, um banco de areia temporário com 1 km de extensão, entre o rio e o mar, e que, segundo lendas locais, recebe esse nome por conta da história de um morador que teria esquecido a sogra sobre esse banco de areia para ir à cidade resolver problemas.

A maré subiu, a ilha desapareceu e o destino ganhava um dos mais famosos atrativos naturas da região.

LEIA TAMBÉM: “Aracaju, capital de Sergipe, é a pequena notável do litoral do Nordeste”

Vista da ILha da Sogra, entre Sergipe e a Bahia (foto: Eduardo Vessoni)
Vista da Ilha da Sogra, entre Sergipe e a Bahia (foto: Eduardo Vessoni)

A região da Praia do Saco, uma enseada de 5 km de extensão com manguezais, praias isoladas e dunas suntuosas recortada por coqueiros, é ponto de partida também dos tradicionais passeios de bugue nas dunas e praias.

Passeio de bugue nas dunas da Praia do Saco, no litoral sul de Sergipe (foto: Eduardo Vessoni)
Passeio de bugue nas dunas da Praia do Saco, no litoral sul de Sergipe (foto: Eduardo Vessoni)

Outros destaques da região são a Lagoa Grande, considerada a maior do estado, com 9 km de extensão, onde é possível nadar entre tambaquis; e a Praia de Abaís, uma faixa de areia com 20 km de extensão e águas agitadas, ideais para prática de esportes náuticos como kitesurfe.

LEIA TAMBÉM: “O museu mais arretado do Nordeste”

SAIBA MAIS
Turismo da Bahia
www.bahia.com.br

Turismo de Sergipe
www.turismosergipe.net

COMO CHEGAR
O caminho mais curto é via Aracaju, de onde o viajante segue até Porto do Mato e de lá toma uma lancha até Mangue Seco.

Outra opção é seguir pela Linha Verde, sentido Salvador, até a praia Costa Azul, já em território baiano. Porém, esse caminho depende da maré e exige travessia em carro 4×4.

ONDE FICAR
Pousada Fantasias do Agreste
Inaugurado há 11 anos, esse hotel pé na areia conta com 18 quartos (diárias com café da manhã, a partir de R$ 180), cujo destaque é o pátio interior feito de madeira.

No restaurante do hotel, aberto também para não hóspedes, prove a moqueca de peixe com dourado ou pescada amarela (R$ 70) e a moqueca com molho de camarão (R$90). No jantar, destaque para o happy hour com mini porções de macaxeira, carne de sol, cuscus, calabresa e ovos mexidos (R$ 19,90).
www.pousadafantasiasdoagreste.com.br

(* O Viagem em Pauta visitou Aracaju com o apoio da Secretaria do Turismo e do Esporte de Sergipe, e da GoPro)

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*