[crônica] Luz vermelha

Toda vez que ela acende, é sinal de enrosco.

No detector de metais, bateria fraca do celular ou tanque do carro na reserva. Código inválido, erro de leitura ou saldo insuficiente também são motivos para ela aparecer.

Dia desses, a maldita acendeu justo na minha vez, na hora do embarque em um voo entre a Cidade do Panamá e São Paulo.

Neurótico com trâmites aeroportuários, já fui pensando em excesso de bagagem, objeto suspeito ou fora do padrão. Mas dessa vez ela surpreendeu.

A Copa Airlines, a companhia que me levara até Belize, me traria para casa na posição horizontal, com pão quente e talheres que não quebram na hora de cortar o bife. Eu acabava de ter um upgrade na vida (com hora marcada para terminar, em Guarulhos).

Em tempos de aéreas mãos de vaca, voltar na executiva é como fazer outra viagem.

VEJA TAMBÉM: “[vídeo] Mergulho em Belize”

foto: Ghost of Kuji/Flickr-Creative Commons
foto: Ghost of Kuji/Flickr-Creative Commons

Executivas confortam, mas também dispersam.

Poltrona que sobe, que desce e que estica. Monitor que se esconde entre fileiras, bebidas que ficam sempre ali à disposição, comida com gosto de comida, talheres que fazem barulho de talheres e pernas que cabem na poltrona.

O casal da frente mal trocou um par de frases. Ele se entretinha com um filme de luta e ela ia acompanhando, paralisada, o aviãozinho que avançava na tela com a progressão do voo.

A passageira ao lado começou montando uma planilha em um arquivo de Powerpoint, logo selecionou um filme para ver no monitor do assento e ligou o Tablet para se distrair com um joguinho. Tudo ao mesmo tempo. Ampulheta piscando, filme rolando e pontos avançando.

Eu não sabia se pedia a massa recheada ou o filé alto com legumes. Queria mesmo ter dormido o voo todo, mas a luz vermelha não me deixou.

LEIA TAMBÉM: “O tornado, o marroquino e a Mulher Melancia”

*Fiz essa viagem a convite da Copa Airlines para conhecer o novo voo direto entre a Cidade do Panamá e Belize, uma viagem a bordo de um discreto e eficiente Embraer 190.
Em 2h20 de viagem, o novo voo CM 281 parte de Belize duas vezes por semana, às terças e sextas-feiras, às 14h17, e chegas ao Centro de Conexões das Américas às 17h34. O voo de regresso, o CM 280, parte do Panamá às terças e sextas-feiras, às 11h27, chegando a Belize às 12h52.

Salvar

Salvar

Salvar

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*