Países da América do Sul, Centro-Oeste e Norte do Brasil são destinos mais procurados, em 2017

Dizem que crises econômicas estimulam a criatividade e trazem inovações. E no mundo do turismo não é diferente.

O buscador de preços de passagens aéreas Voopter divulgou, recentemente, um levantamento com base nas buscas do site e traçou um panorama com as tendências do mercado de viagens, em 2017. E para nossa surpresa, o brasileiro vem mudando seus hábitos (e destinos) na hora de escolher a próxima viagem.

Segundo o site, destinos que eram subestimados ganharam destaque entre os brasileiros, tão conhecidos pela mesmice na hora de definir seu roteiro. Afinal de contas, o mundo vai bem além de Buenos Aires, Miami, Nova Iorque, Porto de Galinhas, Floripa e Gramado, né?

Viagens mais curtas e econômicas também devem estar na pauta dos viajantes brasileiros, em 2017. Mas a surpresa é a procura por destinos nacionais menos populares como a Chapada dos Veadeiros (GO), o Jalapão (TO), Pantanal (MT), Belém e Alter do Chão (PA).

Passeio Furos & Igarapés, em Belém (foto: Eduardo Vessoni)

LEIA TAMBÉM: “10 destinos brasileiros para conhecer em 2017”

Para quem pretende viajar para o exterior, os países da América do Sul continuam na lista de preferência. Só não vale escolher, de novo, Buenos Aires, tá? (que o Viagem em Pauta tanto gosta).

O continente conta também com opções como o Uruguai, Chile, Peru e Colômbia, destinos que atraem cada vez mais turistas brasileiros.

Vulcão Lonquimay, visto da área externa do Corralco Resort de Montaña, no sul do Chile (foto: Eduardo Vessoni)

LEIA TAMBÉM: “Destinos da América do Sul que brasileiros não costumam incluir em suas viagens”

Aliás, o Voopter lembra que, em 2016, a capital uruguaia Montevidéu foi o destino sul-americano a apresentar as passagens internacionais com valores mais econômicos (a partir de R$348, taxas não incluídas).

Destino número 1 de 2017, de acorrdo com o guia Lonely Planet, o Canadá também está na lista de desejos do brasileiro, reforçada pela beleza do país e pela desburocratização dos vistos de entrada para brasucas que, a partir de maio, podem ingressar no território canadense de maneira mais barata e fácil, desde que já tenham o visto dos Estados Unidos.

Para fugir do óbvio, a África do Sul oferece excelente custo/benefício. No ano passado, entre julho e novembro, era possível encontrar passagens por R$ 800, sem taxas incluídas.

Outras opções são Maputo, em Moçambique, e Luanda, em Ruanda, em que as passagens de ida e volta giraram em torno de R$400 no ano passado.

LEIA TAMBÉM: “Conheça 8 experiências inusitadas para fazer na América do Sul”

VEJA DESTINOS MAIS PROCURADOS

  • Vista do do salto do Rio Preto, no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (foto: Eduardo Vessoni)

  • Detalhe da Almécegas 1, cachoeira localizada na Fazenda São Bento, próximo a Alto Paraíso (foto: Eduardo Vessoni)

  • Vista da trilha de acesso à Cachoeira Capivara, em Cavalcante, na Chapada dos Veadeiros (foto: Eduardo Vessoni)

  • Fervedouro do Soninho, no Jalapão (foto: Eduardo Vessoni)

  • Prainha da Cachoeira da Velha, no Tocantins (foto: Eduardo Vessoni)

  • Dunas do Jalapão (foto: Eduardo Vessoni)

  • Transpantaneira, no Pantanal Norte, no Mato Grosso (foto: Eduardo Vessoni)

  • Observação de onças, no Pantanal Norte, no Mato Grosso (foto: Eduardo Vessoni)

  • Ciclismo no Parque Estadual do Utinga, em Belém (foto: Eduardo Vessoni)

  • Ilha do Combu, próximo a Belém (foto: Eduardo Vessoni)

  • Alter do Chão, a 36 km de Santarém, é um dos destinos ideais para agosto (foto: Eduardo Vessoni)

  • Vista do povoado de Cabo Polonio, no Uruguai (foto: Eduardo Vessoni)

  • Playa Mansa, em José Ignacio, no Uruguai (foto: Eduardo Vessoni)

  • Vista do vulcão Lonquimay, na ciclovia Manzanar – Malalcahuello, no sul do Chile (foto: Eduardo Vessoni)

  • Corralco Resort de Montaña, no sul do Chile (foto: Eduardo Vessoni)

  • Localizado no interior da Reserva Nacional Los Flamencos, esse salar é um dos cenários obrigatórios, no Deserto do Atacama, no Chile (foto: Eduardo Vessoni)

  • Vulcão Osorno, uma das atrações naturais da travessia dos Lagos Andinos, entre a Argentina e o Chile (foto: Eduardo Vessoni)

  • Vista interior de uma das câmaras funerárias de Tierradentro, na Colômbia (foto: Eduardo Vessoni)

  • Bosque de las Estatuas, em San Agustín, na Colômbia (foto: Eduardo Vessoni)

  • Vista das Cataratas de Niagara, uma das mais famosas atrações naturais do Canadá

  • Jardins de tulipas de Ottawa, no Canadá (foto: Eduardo Vessoni)

  • Umhlanga Beach, em Durban, na África do Sul (foto: Eduardo Vessoni)

  • Vista da Cidade do Cabo, na África do Sul (foto: Eduardo Vessoni)

  • Union Buildings, em Pretória, na África do Sul(foto: Eduardo Vessoni)

DICAS

⇒ Em 2017, a dinâmica não deve mudar. As tarifas mais em conta costumam aparecer em março, abril, maio, setembro e outubro. Em abril de 2016, por exemplo, viajantes antenados encontravam tarifas para Santiago, no Chile, por a partir de R$ 397.

⇒ Com a grande quantidade de feriados prolongados, em 2017, faça buscas com antecedência e se cadastre em sistemas de alertas de tarifas, nos aplicativos de buscas de passagens que avisam o usuário quando um trecho aéreo atinge o valor que ele deseja pagar.

⇒ Procure embarcar um dia antes e/ou depois dos feriados, quando aumenta a probabilidade de conseguir bilhetes com melhores tarifas.

⇒ Calendários multidatas, disponíveis em buscadores de passagens, facilitam a pesquisa com a opção de selecionar até quatro dias, na ida e na volta, informando qual é o período mais barato para a viagem. 

* Com informações do Voopter

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*