Parque nacional do Brasil passa a exigir certificado de febre amarela

Suspensa desde o último dia 2 de fevereiro, a visita ao Parque Nacional do Caparaó, entre Minas Gerais e Espírito Santo, será restabelecida no próximo sábado (25/2).

No entanto, o acesso será permitido apenas aos que portarem documento oficial de imunização contra febre amarela, de acordo com portaria assinada ontem, 24 de fevereiro, pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão responsável pela gestão das unidades de conservação federais.

Vista do Parque Nacional do Caparaó, entre Minas Gerais e o Espírito Santo (foto: Eltuir Umbelina/WikiMedia Commons)

Conforme informou o ICMBIO em nota para a imprensa, a verificação do documento de vacinação será feita pelas secretarias municipais de Saúde dos municípios de Alto Caparaó (MG) e Dores do Rio Preto (ES), nos acessos aos atrativos do parque pelas portarias de Alto Caparaó (MG) e Pedra Menina (ES), respectivamente.

O fechamento dessa área preservada de quase 32 mil hectares havia ocorrido por conta do surto da doença na região, que chegou a matar 150 macacos no Caparaó.

LEIA TAMBÉM: “Brasil é eleito melhor destino de aventura do mundo”

O acordo foi feito em conjunto com as prefeituras de Alto Caparaó e Dores do Rio Preto, que se comprometeram a apoiar o parque, indicando técnicos da área de saúde para fazer a conferência dos cartões de vacinação até que a situação esteja normalizada.

Localizado na Serra do Caparaó, o Parque Nacional do Caparaó é considerado um dos ícones do montanhismo no Brasil e endereço importante de um dos mais representativos trechos de Mata Atlântica do estado do Espírito Santo.

É ali que ficam também cinco dos dez picos brasileiros mais altos, entre eles o Pico da Bandeira (3º mais alto), com 2.892 metros de altitude.

LEIA TAMBÉM: “Parques Nacionais pouco conhecidos pelos brasileiros”

DICAS

⇒ Para tomar a vacina, gratuitamente, basta se dirigir a um dos postos de saúde do SUS. No entanto, é importante lembrar que deve ser tomada com antecedência de, no mínimo, dez dias, antes da viagem. Para saber mais informações sobre como tirar o certificado, acesse o site da Anvisa

⇒ Não vá ao Parque Nacional do Caparaó sem que estar imunizado contra a febre amarela. Autoridades recomendam também o uso de repelentes.

Amanhecer no Parque Nacional do Caparaó, entre Minas Gerais e o Espírito Santo (foto: WikiMedia Commons)

⇒ Não moleste os macacos. Segundo o ICMBIO, os primatas não transmitem o vírus e têm, inclusive, função de sentinela, o que significa que esses animais alertam para o surgimento da doença e por onde o vírus está se espalhado.

⇒ No Carnaval e finais de semana enquanto durar a restrição, a conferência da documentação da vacinação será feita nas portarias de Alto Caparaó (MG) e Pedra Menina (ES), sendo obrigatória, também, a apresentação de documento pessoal com foto e cartão de vacinação.

⇒ Durante a semana, visitantes deverão comparecer aos postos de saúde dos municípios citados para terem verificação da documentação e fazerem retirada do Comprovante de Autorização de Acesso, documento nominal, individual e datado, que deverá ser apresentado nas portarias da unidade de conservação. Por isso, faça isso, antes de se dirigir às entradas do parque. 

LEIA TAMBÉM: “Conheça os 5 parques nacionais mais visitados do Brasil”


SAIBA MAIS
Parque Nacional do Caparaó
Diariamente, das 7h às 12h e das 13h às 18h.
Ingresso: R$ 16 (brasileiros) e R$ 32 (estrangeiros)
Os postos de saúde de Alto Caparaó (MG) e Pedra Menina (ES) estão abertos de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.
Tel.: (32) 3747-2086 (Portaria de Alto Caparaó – MG) e (28) 3559-3096 (Portaria de Pedra Menina – ES)
* fonte: ICMBIO

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*