Melhor época para ir ao Pantanal

Dizem que por ali nenhuma temporada é igual à outra.

Aliás, nenhum dia se parece a outro. Basta sair para um passeio bem cedo (às 5h30 da manhã para ser bem exato) para ter diante dos olhos uma fauna exibida formada por anfitriões como ariranha, capivara, jacaré, tuiuiú e onça-pintada.

E se esse Patrimônio Natural da Humanidade um dia foi cenário de caça incontrolada, hoje é um paraíso para amantes da vida selvagem. Saem as espingardas e entram câmeras fotográficas que disparam sobre a bicharada alheia à presença humana.

Final de tarde na região do Rio Claro, no Pantanal Norte, no Mato Grosso (foto: Eduardo Vessoni)

LEIA TAMBÉM: “Destinos do Brasil para conhecer em maio”

Maior planície alagável do planeta e menor bioma do Brasil, o Pantanal tem 210 mil km² e abriga quase mil espécies de animais (sem contar as 3,5 mil espécies de plantas), segundo o ICMBio.

Mas o ciclo da vida ali tem data para acontecer e planejamento é fundamental para visitar a região.

QUANDO IR
inverno (de julho a setembro): Essa é a melhor temporada para ver animais no Pantanal. O nível dos rios baixam e os bichos buscam água e alimento, nas margens de estradas, para delírio dos visitantes. No entanto, a temporada de 2016 se estendeu até o início de novembro e era possível encontrar felinos, ainda no final da temporada.

Os dias podem ser quentes e abafados, mas com noites mais frescas, a 21° C, aproximadamente.

verão (de janeiro a março): As chuvas do período começam a alagar a planície, com céus, alternadamente, claros e nublados; e os animais buscam refúgio em áreas mais elevadas. É nessa época que os répteis botam seus ovos e começa a migração de aves. As temperaturas são elevadas e chegam a 32°C aproximadamente.

outono (de abril a junho): Com o fim da temporada de precipitações, os céus do Pantanal ficam mais claros e os campos assumem tons mais verdes.

primavera (de agosto a dezembro): Temporada de céu claro, acasalamento de mamíferos e migração de aves como andorinhas e gaviões.

(* fonte: Araras Eco Lodge)

ONDE FICA
O Pantanal se localiza entre o noroeste do Mato Grosso do Sul e o sul do Mato Grosso, no Centro Oeste brasileiro.

A região é dividida em Pantanal Norte (MT), formada por destinos como Cáceres (220 km de Cuiabá), Poconé (102 km) e Barão de Melgaço (110 km); e Pantanal Sul (MS), com destaque para cidades como Miranda (198 km de Campo Grande), Aquidauana (130 km) e Corumbá (420 km).

Transpantaneira, no Pantanal Norte, no Mato Grosso (foto: Eduardo Vessoni)

Agências de Bonito, no Mato Grosso do Sul, costumam oferecer passeios de um dia para o Pantanal Sul. Fuja dessa roubada. O Pantanal é uma região complexa e nem sempre se exibe fácil em tours apressados que começam cedo e terminam no final do mesmo dia.

Quem vai para pescar, procure ficar em destinos como Cáceres (MT) e Porto Murtinho (MS). Para ver vida animal, vá para Poconé (MT) e Miranda (MS).

O QUE TEM PARA VER

NO PANTANAL NORTE
⇒ Transpantaneira
A MT-060 tem 140 km de extensão, entre Poconé, portal do pantanal mato-grossense, e a localidade de Porto Jofre.

Transpantaneira (foto: Eduardo Vessoni)

Essa estrada de terra com trechos precários é melhor aproveitada a bordo de carros 4×4. Com 123 pontes – a maioria delas em madeira -, a Transpantaneira é conhecida pelas áreas alagadas que atraem animais em busca de alimentos e água.

A obra em si já é um atrativo imperdível do Pantanal Norte.

⇒ Parque Estadual Encontro das Águas

Observação de onças, no Pantanal Norte, no Mato Grosso (foto: Eduardo Vessoni)

Considerado o melhor local para observação de onças, no Pantanal Norte, esse atrativo tem mais de 100 mil hectares, recortados por rios, onde é possível ver animais como capivaras, jacarés, ariranhas, onças e aves.

O parque, que deve ser explorado em passeios de barcos motorizados, fica nas regiões de Poconé e Barão de Melgaço, no Mato Grosso.

LEIA TAMBÉM: “Observação de onças no Pantanal”

NO PANTANAL SUL
⇒ Day use
Essa não é a melhor forma de conhecer de verdade uma região tão ampla como o Pantanal. Mas quem não tem muito tempo, conta com tours de um dia, no Pantanal Sul, no Mato Grosso do Sul.

A cidade de Aquidauana serve como porta de entrada para a região e dá acesso a atrações naturais de Nhecolândia (distrito de Corumbá) e Miranda, onde estão os melhores hotéis da região.

⇒ Estrada-parque Pantanal
São quase 120 km de estrada de terra batida, em uma área de sete mil hectares, aproximadamente, entre os municípios de Miranda, Corumbá e Ladário.

Estrada-parque Pantanal, no Mato Grosso do Sul (foto: Helder Ribeiro/Flickr-Creative Commons)

Com menos vida animal às margens, essa via vai da BR-262, na região do Buraco da Piranha, até Corumbá, incluindo travessia de balsa, no Rio Paraguai.

Assim como a irmão mato-grossense, essa estrada é cortada por pontes de madeira e dá acesso aos hotéis-fazenda da região.

LEIA TAMBÉM: “Bonito: dicas no paraíso do ecoturismo no Brasil”

⇒ Expedição fotográfica
Entre os dias 25 e 30 de setembro de 2017, o Pantanal Sul recebe mais uma expedição com o fotógrafo Zig Koch.

Voltado para fotógrafos amadores, o roteiro com hospedagem no hotel Refúgio da Ilha, em Miranda, inclui aulas com dicas de fotografia, tours no Pantanal com enfoque em fotografia de vida selvagem e passagem por Bonito, também no Mato Grosso do Sul.

Saiba mais: www.gondwanabrasil.com.br 

ONDE FICAR

Para conhecer o Pantanal em sua melhor forma é se hospedando nos bem equipados hotéis-fazenda da região, onde você corre o risco de ver aquela bicharada toda bem na porta do seu quarto.

As tarifas não são baixas (sobretudo porque o público continua sendo, em sua maioria, turistas estrangeiros). Porém esse tipo de hospedagem vale pela facilidade e rapidez na hora de programar passeios (basta uma onça ser avistada na região para os funcionários organizarem, de última hora, uma saída de barco).

Vale lembrar também que você já estará em território pantaneiro, o que facilita suas saídas para passeios que começam cedo, às 5h30 da manhã.

A preparação de refeições também fica por conta dos hotéis, que costumam operar com sistema all inclusive.

⇒ Pousada Rio Claro (Pantanal Norte)
Menos turística e situado no início da Transpantaneira, o hotel conta com trilhas em área selvagem, saídas a cavalo e passeios de barco no rio Claro, onde é possível avistar animais como capivaras, jacarés e onças. Diárias a R$ 625 (quarto duplo e com pensão completa). www.pousadarioclaro.com.br

⇒ Hotel Pantanal Norte (Pantana Norte)
Com piscina e barcos para passeios, esse hotel tem quartos voltados para o rio Cuiabá. Diárias, a partir de R$ 880 (quarto duplo e pensão completa). www.portojofre.com.br

⇒ Refúgio Ecológico Caiman (Pantanal Sul)
Esse clássico do Pantanal fica em uma das maiores fazendas da região e é conhecido pelo projeto Onçafari que atua na preservação de onças e facilita a observação desses felinos.

Em uma área de 53 mil hectares, em Miranda, o local tem como destaque atividades exclusivas para hóspedes como aula de astronomia e safári fotográfico.

Para a temporada de março e junho de 2017, o hotel, que fica a 2h30 de Bonito, está oferecendo promoção para os hóspedes (4 noites pelo preço de 3 ou 5 noites pelo valor de 4). www.caiman.com.br

LEIA TAMBÉM: “5 experiências imperdíveis de Bonito, referência de ecoturismo no Brasil”

 SAIBA MAIS
Turismo oficial do Mato Grosso do Sul
www.turismo.ms.gov.br

Site do Mato Grosso
www.mt.gov.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*