Dia Mundial dos Oceanos: confira destinos imperdíveis do litoral brasileiro

Vista aérea da ilha Trindade (foto: Simone Marinho/commons.wikimedia.org)

“O oceano é essencial para avançarmos”.

A afirmação da UNESCO não deixa dúvidas, não só no que se refere aos meios de subsistência da Humanidade e do ambiente que nos sustenta, como também para setores como transporte, regulação do clima, pesca e (claro) o turismo.

Estabelecido pelas Nações Unidas, o dia 8 de junho é o Dia Mundial dos Oceanos e lembra sua importância na vida do planeta, desde que foi aprovado pela Assembleia Geral das Nações Unidas, em 2008.

E para lembrar como o oceano tem funções importantes (e paralisantes para quem viaja pelo Brasil), o Viagem em Pauta fez uma seleção dos melhores destinos litorâneos por onde passamos, nos últimos anos.

VEJA TAMBÉM: “20 praias do Brasil que parecem piscinas”

LEIA TAMBÉM: “Cinco ilhas brasileiras que você não conhece (e nem vai conhecer)”

VEJA DESTINOS

SÃO PAULO

foto: Eduardo Marquetti/Flickr-Creative Commons

Para fugir do convencional, há opções de praias em São Paulo que se mantêm quase intocadas, em grande contato com a natureza, sem nem precisar cruzar os limites do estado.

De norte a sul do litoral paulistano, selecionamos as praias mais isoladas, uma visita ideal para quem curte ecoturismo e banho em águas isoladas do Atlântico. Em lugares conhecidos, como Ilhabela, Ubatuba e Peruíbe, descubra quais são as praias mais secretas e selvagens, de difícil, acesso mas com uma beleza que compensa o esforço.

LEIA TAMBÉM: “Explore as praias selvagens do litoral de São Paulo”

PARATY
Rio de Janeiro

Praia Grande de Cajaíba, em Paraty (foto: Eduardo Vessoni)

Não dá pra negar. O casario colonial bem preservado de Paraty, no litoral sul do Rio de Janeiro, é um dos cenários mais cenográficos do litoral da região Sudeste do Brasil.

Mas a melhor notícia é que, a poucos metros daquele centro histórico tombado pelo IPHAN, fica algumas das mais belas faixas de areia do litoral fluminense, no limite com São Paulo. Localizada a pouco mais de 40 km de Cunha, no interior paulista, a abrigada baía de Paraty conta com, aproximadamente, 60 praias, cujo acesso à maioria delas se dá por barco.

SAIBA MAIS: “7 praias paradisíacas de Paraty”

ILHA GRANDE
Rio de Janeiro

Trekking em Ilha Grande (foto: Divulgação)

Eleita uma das 7 Maravilhas do Rio de Janeiro, essa é a maior ilha dessa baía de Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, onde estão cem faixas de areia, distribuídas em 12 enseadas.

O local tem acesso pela muvucada Ilha do Abraão, cuja movimentação turística pouco combina com as praias voltadas para o Mar de Fora, dono de alguns dos endereços mais selvagens e de difícil acesso em todo o destino.

SAIBA MAIS: “Trilha passa por praias paradisíacas do Mar de Fora, em Ilha Grande”

SUPERAGUI
Paraná

Praia de Superagui, no litoral do Paraná (foto: Eduardo Vessoni)

Localizado no município de Guaraqueçaba, o Parque Nacional de Superagui abriga quase 34 mil hectares de ilhas, canais, rios e terras continentais como o Vale do Rio dos Patos, além de uma fauna ameaçada de extinção como o mico-leão-da-cara-preta, papagaio-da-cara-roxa, suçuarana e bugio.

Nesta área declarada Sítio do Patrimônio Natural e Reserva da Biosfera pela UNESCO, carros não entram e o acesso se dá de barco, a partir do porto de Paranaguá, uma longa viagem de três horas em barcos de madeira que cruzam a vizinha mais famosa, a Ilha do Mel.

SAIBA MAIS: “Desconhecido do brasileiro, Parque Nacional de Superagui é surpresa do litoral do Paraná”

FLORIANÓPOLIS
Santa Catarina

PRAIA DA ARMAÇÃO (SC): Localizada ao lado do Parque Municipal da Lagoa do Peri, essa bela faixa de areia começa na Ponta da Companha e termina no lado sul do Morro das Pedras, de onde dá para observar baleias franca, entre os meses de julho e novembro (foto: Eduardo Vessoni)

Uns dizem que são 42. Outros, juram que chegam a 100.

O número exato de praias de Florianópolis ainda não é unanimidade, mas todo mundo sabe que algumas das mais belas faixas de areia do Sul do Brasil ficam nesse pedaço de terra do litoral de Santa Catarina.

Em Florianópolis, a protagonista é a água, em atrações naturais como praias, lagoas e rios. E ao longo dos seus quase 420 km², o destino garante opções para todos os estilos de banhistas.

LEIA MAIS: “10 praias únicas que você não deveria deixar de visitar em Florianópolis”

PRAIA DO SACO
Sergipe

Do outro lado do rio Real, a Praia do Saco é a versão isolada do litoral sergipano, a 74 km da capital Aracaju. É mais simples do que a vizinha Mangue Seco, na Bahia, porém com as atrações naturais mais procuradas por quem visita a região.

Ambas fazem parte de um combinado perfeito para quem visita os litorais sul de Sergipe e o norte da Bahia: ruas de areia, dunas para passeios e praias (quase) desertas.

SAIBA MAIS: “Mangue Seco e Praia do Saco são destinos paradisíacos, entre Bahia e Sergipe”

LITORAL SUL
Bahia

Praia do Espelho, no sul da Bahia (foto: Eduardo Vessoni)

Piscinas naturais que emergem bem na beira da praia, durante a maré preguiçosa; falésias imponentes que se erguem sobre nossas cabeças, como se espiassem o mar ali em frente; e uma sequência de outros cenários que só podem ser vistos por quem chega a pé ou de bicicleta.

Localizado no extremo sul da Bahia, em plena Costa do Descobrimento, Porto Seguro abrange uma área de mais de 2.400 km² e se divide em distritos que a gente nem precisa se perder em descrições demoradas, como Arraial d’Ajuda, Trancoso, Vale Verde e Caraíva.

LEIA TAMBÉM: “Praias isoladas do litoral sul da Bahia se exibem em viagem de bicicleta”

MARAGOGI
Alagoas

Maragogi, em Alagoas (foto: Eduardo Vessoni)

Localizado no litoral norte de Alagoas, em um ponto equidistante entre Recife e Maceió, esse destino é um lugar ainda a ser descoberto, daqueles que você volta 20 anos depois, e tudo segue no mesmo lugar.

Uma das mais visitadas de Alagoas, depois da capital Maceió, Maragogi é dona das maiores barreiras de corais do Brasil, possui uma das melhores visibilidades marinhas do País e se orgulha de ser considerada o Caribe brasileiro.

SAIBA MAIS: “Passeio de bugue em Maragogi é experiência única do litoral de Alagoas”

MARACAJAÚ
Rio Grande do Norte

Vista aérea dos parrachos de Maracajaú, no litoral do Rio Grande do Norte (foto: Corais de Maracajaú/Divulgação)

Localizados a 60 km ao norte de Natal, capital do Rio Grande do Norte, os parrachos de Maracajaú são um dos cenários mais impressionantes da costa litorânea potiguar, formado por uma barreira de corais, a 7 km da costa.

Tímidas e escondidas, ao longo do dia, aquelas formações naturais se transformam em piscinas naturais em alto mar, quando a maré baixa pela manhã, chegando a atingir níveis inocentes até para quem não tem intimidade com a água.

SAIBA MAIS: “Maracajaú: piscinas em alto mar, no litoral do Rio Grande do Norte”

GALOS/GALINHOS
Rio Grande do Norte

Praia do Farol, em Galinhos (foto: Eduardo Vessoni)

Localizados a 170 km de Natal, esses vilarejos rústicos têm charretes e bugues como únicas opções de transporte, lagoas que viram piscinas naturais entre dunas móveis, praias isoladas que surgem e desaparecem no ritmo da maré, montanhas de sal que riscam o horizonte das salinas locais e um mangue que serve de cenário para passeios gastronômicos de barco.

SAIBA MAIS: “10 motivos para visitar a desconhecida Galinhos, no Rio Grande do Norte”

BARRA DO CUNHAÚ
Rio Grande do Norte

Barra do Cunhaú (foto: Eduardo Vessoni)

vizinha Praia de Pipa segue no seu estilo hedonista de receber forasteiros, onde o espírito Paz e Amor dos anos 70 deu lugar a baladas fervidas, boutiques que destoam do espírito Flower Power daquela época e restaurantes bem decorados que exageram nas cifras do cardápio.

Mas do outro lado do estreito rio Catú, onde carros seguem sobre jangadas rústicas de madeira até a margem seguinte, a Barra do Cunhaú dá as costas para o turismo de massa e segue a vida na direção dos ventos.

SAIBA MAIS: “Barra do Cunhaú: o Rio Grande do Norte que você ainda não conhece”

FERNANDO DE NORONHA
Pernambuco

Localizado a 545 km de Recife, Fernando de Noronha é um arquipélago oceânico que emerge do fundo do Atlântico, cuja distância do litoral e a ausência de águas de rios e seus sedimentos garantem a esse destino pernambucano uma das melhores visibilidades do Brasil, podendo chegar a 50 metros de profundidade.

Mais do que riqueza em biodiversidade, Noronha fascina pelos cenários marinhos com fundos de pedra e de areia, pequenas cavernas e uma fauna exibida. E é ali, entre golfinhos, raias-chita, tubarões lixa e tartarugas-de-pente, que aspirantes a mergulhador se certificam para a prática de mergulho autônomo, em um dos mares mais cobiçados do litoral brasileiro.

SAIBA MAIS: “Fernando de Noronha para mãos de vaca: dicas para economizar”

VEJA TAMBÉM: “Brasil amplia número de praias e lagoas certificadas com Bandeira Azul”

 

* com informações da ONU e do ICNF (Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*