Cânions do Rio Araguaia

Expedição em botes pelo Rio Araguaia, em Goiás (foto: Eduardo Vessoni)

Até o Araguaia parece diminuir o ritmo para ver aqueles paredões talhados pelas águas do rio mais famoso de Goiás.

Longe dos lotados destinos que veem sua população triplicar nos meses do verão goiano, esse rio de mais de 2.100 km, que segue em direção ao Pará, guarda cenários que pouco lembram a muvuca dos tradicionais acampamentos ribeirinhos da alta temporada, entre junho e novembro.

Aruanã e Aragarças podem até arrastar visitantes de todas as partes, com melhor infraestrutura e praias urbanas, mas é em Baliza, a 410 km de Goiânia, que o Araguaia não tem pressa e se estreita em um cânion de 50 km de extensão com paredes rochosas que protegem praias.

Parada na Cachoeira do Encantado, quedas d’água que escorrem paralelas por paradões rochosos e caem no rio Araguaia, alimentadas pelo Córrego Encantado (foto: Nélio Carrijo/Divulgação)

VEJA TAMBÉM: “Sete experiências inusitadas da Chapada dos Veadeiros, em Goiás”

É ali que acontecem, entre julho e outubro, expedições que descem 70 quilômetros do Araguaia. Durante quatro dias, o Jangadão Ecológico acompanha até 30 pessoas que viajam a bordo de botes infláveis e pernoitam em áreas isoladas das margens do rio.

Diariamente, são percorridos em média 17 km, em deslocamentos de até seis horas de remada. Mas pode ficar tranquilo que não precisa ter nenhum conhecimento técnico para encarar aquelas águas calmas que se agitam com corredeiras moderadas de nível 2, ideais para iniciantes.

Descendo corredeiras do rio Araguaia, durante o Jangadão Ecológico (foto: Eduardo Vessoni)

A travessia rio abaixo começa sempre às quartas-feiras com um primeiro acampamento ainda em área urbana, na cidade mato-grossense de Ribeirãozinho, na fronteira com Goiás, no Vale do Araguaia.

Mas antes de fazer do bote seu meio de transporte, o visitante participa de um briefing completo com instruções de segurança, treinamento com técnicas de remadas e comportamento em equipe. No mais, é dividir-se em grupos, assumir sua embarcação e deixar que o Araguaia faça o resto.

E não é pouco o que ele tem para oferecer.

Confira vídeo

Atrações do Araguaia

Dá pra ver cachoeiras que caem sobre o rio; banhar-se em quedas quentes, aquecidas pelas rochas; fazer trilhas no Cerrado que dão acesso a piscinas naturais formadas por afluentes do Araguaia; e ser o primeiro a ver, da porta da barraca mesmo, as primeiras luzes do dia pintando aquele trecho mais isolado de rio.

Aquela formação de pedras moldadas pela ação constante das águas do Araguaia tem origem na queda de um corpo celeste na Terra, há 245 milhões de anos, aproximadamente. Segundo a Comissão Brasileira de Sítios Geológicos e Paleobiológicos, o Domo de Araguainha é considerado “o maior astroblema conhecido na América do Sul”, uma cratera de impacto que ocupa uma área de 1.300 km² e 40 km de diâmetro.

Esta é uma viagem para amantes da natureza, a fim de contemplar um cenário ainda pouco explorado. - Nélio Silva Carrijo-chefe da expedição
Cachoeira do Encantado, no Rio Araguaia, em Goiás (foto: Eduardo Vessoni)

VEJA TAMBÉM: “5 cenários surreais de Goiás que você não pode deixar de visitar”

Nélio rema contra o turismo de massa e procura “explorar sem degradar ou deixar intervenções” por onde a expedição passa. Por isso, o grupo desce com barcos de apoio e instrutores que orientam os participantes não só a serem responsáveis por sua viagem, remando seu bote e compactando sua própria bagagem, como também se envolvendo nas atividades necessárias para a evolução da expedição.

A gente nem precisa lembrar que o lixo e a limpeza da louça usada em cada refeição ficam por conta do freguês.

Ao longo da viagem, os participantes contam com infraestrutura como botes com coletes salva-vidas e remos, carro de apoio e três refeições diárias (feitas pela equipe, ali mesmo na beira do rio).

Acampamento do Jangadão Ecológico, no rio Araguaia, em Goiás (foto: Nélio Carrijo/Divulgação)

As dificuldades aparecem, gradativamente, de modo que os participantes podem ir se familiarizando com o equipamento, ao longo do avanço da expedição.

A descida de rio pode ser encarada por viajantes de qualquer idade e só em alguns trechos encontram obstáculos como corredeiras que podem ser vencidas, alternativamente, com passagem pelas margens do Araguaia.

Outro destaque é a Cachoeira do Encantado, quedas d’água que escorrem paralelas por paradões rochosos e caem no rio Araguaia, alimentadas pelo Córrego Encantado.

Localizada na APA do Encantado, em Baliza, essa queda é uma das mais de 70 cachoeiras e piscinas naturais que formam esse destino escondido do Alto Araguaia. Só nessa Área de Proteção Ambiental são 33 km de cânion, formados por uma sequência de paredões rochosos que seguem o curso do rio e se moldam com a passagem constante da água.

Praia no rio Araguaia, em Goiás (foto: Eduardo Vessoni)

No caminho, ainda dá tempo de fazer paradas em pequenas faixas de areia que emergem no período de vazão, formando praias para banho, e encarar pequenas trilhas, Cerrado adentro, que dão acesso a piscinas e cascatas naturais.

E o serviço é tao completo que o Araguaia conta até com a Cachoeira de Água Quente, uma pequena queda que escorre entre as rochas aquecidas pelo sol.

LEIA TAMBÉM: “10 experiências inusitadas de Goiás”

SAIBA MAIS
Site oficial do turismo de Goiás
www.goiasturismo.go.gov.br

Jangadão Ecológico
A travessia de 4 dias custa R$ 740 por pessoa e inclui todas as refeições e equipe de apoio (o valor não inclui bebidas e aluguel de barraca).
www.trilhasdocerrado.com.br

3 Comentário

  1. Gostaria que me mandassem mais informações sobre esse passeio,pois fiquei muito interessado, sou de Pernambuco e preciso me planejar antes de ir, mandem o endereçode contato para reserva.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*