O que fazer em Bonito, no Mato Grosso do Sul

É alta a probabilidade de deixar Bonito com a sensação de ter deixado algo para trás, sem ser visitado. Afinal de contas, esse destino que virou referência de ecoturismo no Brasil abriga 40 atrações oficiais, sendo 32 delas de estilos diferentes.

Localizado no oeste do Mato Grosso do Sul, a 265 km da capital Campo Grande, Bonito tem flutuações no rio mais cristalino do Brasil; grutas milenares que podem ser visitadas sem muito esforço; roteiros ciclísticos; e até esportes radicais como o rapel negativo de 72 metros de altura, no Abismo Anhumas.

Melhor época para conhecer Bonito

CONFIRA ATRAÇÕES

Flutuação

Com águas que entraram para as listas mundiais de transparência, devido à alta concentração de calcário que serve como filtro natural, os rios de Bonito são conhecidos pelas flutuações, atividade aquática em que o visitante segue a correnteza do rio, equipado com colete, máscara e snorkel.

O mais famoso é o da Nascente Sucuri, uma fazenda com mais de 8 mil hectares, onde é possível flutuar por 1.800 metros do rio Sucuri, considerado o “mais cristalino do Brasil”.

Outros destaques do destino são as flutuações no Rio da Prata, a 50 km de Bonito, no município de Jardim. Para quem fica na cidade, o Aquário Natural, na nascente do rio Baía Bonita, é a opção mais próxima.

Grutas
Sem dúvida, a do Lago Azul  é a mais popular de todas, cujo acesso é por uma trilha de 300 metros que leva à boca natural com 40 metros de diâmetro.

Destaque para o impressionante lago azulado que dá nome à atração, uma formação natural com 90 metros de profundidade e que abriga fósseis milenares de mamíferos como a preguiça-gigante e o tigre-dente-de-sabre.

Gruta Lago Azul (foto: Eduardo Vessoni)

A vizinha Gruta de São Miguel, a 4 km dali, costuma ser vendida em um combinado com a Lago Azul.

Em 1h10 de visita, o turista cruza uma ponte pênsil de 180 metros de extensão, na mesma altura das copas das árvores, e outros 160 no interior dessa caverna de 4.250 metros de extensão e 65 milhões de anos.

Abismo Anhumas
Sem dúvida, essa é a versão mais radical de todo o destino.

A 23 km do centro de Bonito, essa caverna com entrada vertical tem acesso obrigatório por um rapel negativo (quando não se coloca os pés em nenhum local de apoio), com 72 metros de profundidade até a plataforma flutuante sobre o lago dentro do abismo.

Rapel de acesso ao Abismo Anhumas (foto: Eduardo Vessoni)

Radical e complexa, a experiência exige treinamento prévio, na sede da agência, no centro da cidade.

A atividade é exigente e pode ser combinada com passeios de bote no interior da caverna, flutuações sobre cones naturais de até 20 metros de altura e mergulho com cilindro para credenciados.

Veja fotos do Abismo Anhumas, uma das atrações mais exclusivas de Bonito

Ciclismo

Ciclismo em Bonito (foto: Eduardo Vessoni)

Nesse roteiro de 17,5 km (14 km sobre asfalto e outros 3 km, margeando o rio Formoso) o ciclista faz paradas para banhos em rios; cruza área de mata ciliar, onde o tour ganha tom off road; e, no final, planta uma árvore, em uma área de reflorestamento. SAIBA MAIS

Turismo rural
Bonito conta também com bem estruturadas fazendas que incluíram o turismo nas suas opções de negócios.

Na Ceita Corê, empreendimento a 36 km do centro da cidade, é possível fazer uma trilha de 1.800 metros de extensão que passa por seis cachoeiras, com tempo para paradas para banho e breves explicações botânicas sobre árvores encontradas durante a caminhada.

Fazenda Mimosa (foto: Eduardo Vessoni)

Localizada a 24 km de Bonito, a Estância Mimosa fica em área de RPPN (Reservas Particulares do Patrimônio Natural) e oferece atrações como cavalgadas e uma trilha de 3,5 km com parada em sete cachoeiras.

Destaque para o almoço na beira do fogão à lenha, feito com produtos orgânicos plantados na própria fazenda.

LEIA TAMBEḾ: “5 experiências imperdíveis de Bonito, referência de ecoturismo no Brasil”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*