O que fazer em Cambará do Sul, a ‘Terra dos Cânions’, no Rio Grande do Sul

Trilha do Mirante, no cânion Fortaleza, no Parque Nacional da Serra Geral (foto: Eduardo Vessoni)

Dona do maior conjunto de cânions da América do Sul, a gaúcha Cambará do Sul vê crescer sob os pés uma cadeia de montanhas de 250 quilômetros de bordas de cânions, entre os Campos de Cima da Serra e o litoral, entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Nessa cidade a menos de 200 km de Porto Alegre, o turismo é de descoberta e os serviços turísticos são tímidos, ainda que, nos últimos anos, a população local tenha, por fim, se dado conta do potencial da região.

Em Cambará do Sul, não espere pelo turismo fácil, assim, bem na porta de casa. Mas o que não faltam por ali são roteiros para ver essas formações milenares com imensas fissuras em seu interior.

CONFIRA MAIS DICAS: “Dicas e roteiros em Cambará do Sul, no Rio Grande do Sul”

VEJA VÍDEO

ATRAÇÕES

 Cânion Itaimbezinho
A 18 km de Cambará, no Parque Nacional dos Aparados da Serra, é o mais famoso da região e conta com melhor infraestrutura para o turista.

Mas para ver aqueles paredões imensos, do alto ou por baixo, é precisar caminhar por trilhas bem sinalizadas e com mirantes de madeira.

CONFIRA TRILHAS: “Dicas e roteiros em Cambará do Sul, no Rio Grande do Sul”

 Cânion Fortaleza
Assim como o Itambezinho, o Fortaleza é um dos únicos cânions abertos para visitação pelas bordas superiores.

Localizado no Parque Nacional da Serra Geral, a 23 km de Cambará, o Fortaleza é o mais profundo, com paredões verticais que chegam a 900 metros de altura, e o mais largo da região, com 7,5 km.

E, por ali, a regra também é caminhar (e muito), mas tenha em conta que esse parque tem sinalização falha ou inexistente, na maioria das trilhas.

 

Trilha do Tigre Preto, no Interior do cânion Fortaleza (foto: Eduardo Vessoni)

VEJA TRILHAS NO CÂNION FORTALEZA

 Outros cânions
Segundo guias locais, a nova administração dos parques da região tem planos para abrir novas rotas, em cânions locais, mas as opções ainda se concentram apenas no Itaimbezinho e no Fortaleza, os mais conhecidos e mais imponentes da região.

Uma alternativa é a caminhada pelas bordas dos cânions Malacara, Churriado, Corujão e Rio-Leão, uma trilha de 24 km, feita em 8 horas.

Uma opção mais leve é a caminhada até as piscinas do Malacara, uma caminhada de dificuldade baixa e seis quilômetros de extensão.

Cachoeira dos Venâncios

Cachoeira dos Venâncios (foto: Gus Valentim/Flickr-Creative Commons)

Essa sequência de quedas d’água fica a 23 km de Cambará, na fazenda da Cachoeira, e é alimentada pelo Camisas, rio que nasce no Parque Nacional dos Aparados da Serra.

VEJA TAMBÉM: Onde ficar em Cambará do Sul (RS)

Cerveja artesanal

Du Perau (Divulgação)

O jovem Rodrigo Valim é responsável pelo primeiro pub da cidade, a Cervejaria Du Perau, conhecida pela Grota Bier (a partir de R$ 10). Vendida nas versões IPA, Red e Stout, essa cerveja é elaborada com águas dos cânions de Aparados da Serra.

Destaque para o hambúrguer de linguiça, servido em ambiente roqueiro, com trilha sonora e decoração dedicados ao estilo.

A casa costuma ter música ao vivo, com bandas gaúchas como Chimarruts, e tem público jovens, entre 18 e 35 anos, dos quais 50% é formado por turistas.

SAIBA MAIS
Cervejaria Du Perau
Avenida Getúlio Vargas, 1249 – Cambará do Sul
Tel.: (54) 9 9711-4652
De 2ª a 4ª, das 18h até último cliente; 5ª a domingo, a partir das 16h

Geleia artesanal
A poucos quilômetros do centro da cidade, já em área rural, a Fazenda Macanauda é conhecida pela produção de geleias com produtos orgânicos como amora, mirtilo e framboesa, temperadas com produtos como gengibre, manjericão, pimenta e alecrim.

Geleias da Sabores da Querência, em Cambará do Sul (foto: Eduardo Vessoni)

SAIBA MAIS
Sabores da Querência
Sítio Querência Macanuda
RS 427 – km 3 (Cambará do Sul)
Tel.: (54) 9976-3313
www.saboresdaquerencia.com.br

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*