Galinhos: o Rio Grande do Norte que passa devagar

foto: Pousada Peixe Galo/Divulgação

Tanto destino isolado por ser descoberto em terras potiguares, e você aí achando que o Rio Grande do Norte era só Natal, Pipa e Genipabu.

A 170 quilômetros ao norte de Natal, Galinhos segue fazendo turismo em outro ritmo.

No ritmo do vento, da maré de canais estreitos do manguezal e das torres eólicas que alteram o cenário das dunas de areia.

CONFIRA VÍDEO

VEJA TAMBÉM: “10 destinos imperdíveis do Rio Grande do Norte”

Principal destino da Costa Branca, Galinhos tem pouco mais de 2.700 habitantes (incluindo o distrito vizinho de Galos) e parece ter dado as costas para o turismo de massa.

E nem os grupos de turistas que chegam da capital para passeios apressados de meio dia conseguem alterar aquele clima de vila de pescador, nessa península que avança como uma língua estreita de areia,  entre o mar e o rio Aratuá.

O nome desse polo turístico do extremo norte do estado é uma referência à importante produção de sal na região. É dali que sai cerca de 90% de todo o sal produzido no Brasil.

Passeio de bugue nas dunas de Galinhos, a 170 km de Natal (foto: Eduardo Vessoni)

LEIA TAMBÉM: “10 motivos para visitar a desconhecida Galinhos, no Rio Grande do Norte”

Quem passa mais de um dia em Galinhos conta com praias isoladas, escondidas entre dunas; passeios de bugue; navegação em mangues; e até aulas de esportes náuticos, que seguem no ritmo dos ventos fortes da região que dão velocidade a atividades como kitesurfe e Stand Up Paddle.

Nesse vídeo, você conhece o passeio de bugue pelo Parque de Dunas; visita a Praia do Farol, onde os finais de tarde costumam ser exagerados; e acompanha o passeio ecológico com almoço preparado na hora por um morador local que virou, praticamente, cartão-postal do destino: o Jr. Tubarão.

Torres eólicas de Galinhos vistas a partir da Praia do Farol (foto: Eduardo Vessoni)

LEIA TAMBÉM: “O dia em que o Tubarão fez o almoço do pirata”

SAIBA MAIS

ONDE FICAR
Por ali é tudo tão exclusivo que Galos conta com apenas um hotel.

Localizada em frente ao píer de desembarque no vilarejo de Galos, a Pousada Peixe Galo é a única opção de hospedagem nesse distrito de Galinhos, cujo destaque é a piscina com vista para o rio. Diárias, a partir de R$ 190 (casal)
www.pousadapeixegalo.com.br

foto: Pousada Peixe Galo/Divulgação

COMO CHEGAR
Com ruas de areia e passeios completos, Galos dispensa carros, cujo estacionamento de Pratagil serve de base para quem vai com veículo próprio. É dali que saem as embarcações simples até Galos, em uma viagem de 10 minutos, aproximadamente.

De Natal, pega-se a RN-063 (rodovia estadual) e a BR-406.

Quem não dispensa o acompanhamento de uma agência, o Viagem em Pauta recomenda a Atlantis Travel, que tem roteiros personalizados em carros 4×4 na Costa Branca e na região do Seridó, no sertão potiguar.

Aliás, o meio de transporte mais popular em Galos e Galinhos são essas charretes que fazem passeios e transfers em pontos turísticos do destino.

VEJA TAMBÉM: “10 destinos imperdíveis do Rio Grande do Norte”

 

* O Viagem em Pauta viajou com o apoio da Atlantis Travel e da GoPro.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*