Sete roteiros para conhecer o litoral da Bahia, de norte a sul

Muito antes do Brasil virar Brasil, o litoral baiano já arrancava adjetivos em cartas e relatos históricos de quem passava por ali.

Piscinas naturais que emergem bem na beira da praia; falésias que se erguem sobre faixas de areia e uma sequência de outros cenários que só podem ser vistos por quem chega a pé ou de bicicleta.

De norte a sul, a costa da Bahia é garantia de viagens por uns dos trechos mais cenográficos de todo o litoral brasileiro.

VEJA TAMBÉM: “Praias da Bahia que você não deve deixar de visitar”

MANGUE SECO

Vista da dupla de coqueiros Romeu e Julieta, em Mangue Seco, no extremo norte do litoral baiano (foto: Eduardo Vessoni)

Localizado em uma península a 220 km de Salvador, no extremo norte da Bahia, é o destino com melhor infraestrutura da região e que ainda vive sob as sombras de coqueiros e de Tieta, a personagem de Jorge Amado que deu fama Mangue Seco.

No destino, que pode ser combinado com a Praia do Saco, no Sergipe, o turismo acontece em torno de duas atrações: passeios de bugue nas dunas da região e os de barco no rio Real.

LEIA TAMBÉM: “Mangue Seco e Praia do Saco são destinos paradisíacos, entre Bahia e Sergipe” 

PORTO SEGURO – TRANCOSO

Porto Seguro é o centro nervoso do litoral sul baiano que trocou a serenidade das águas mansas para se embriagar em barracas de axé e na rua que virou passarela alcoólica.

Após cruzar em balsa o rio Buranhém até Arraial d’Ajuda, o viajante pode seguir por praias como Apaga-Fogo, Araçaípe, Delegado, dos Pescadores, Mucugê, Pitinga e Taípe, todas em Arraial d’Ajuda.

Rio da Barra, uma das atrações naturais do roteiro de bicicleta, entre Arraial d’Ajuda e Trancoso, no litoral sul da Bahia (foto: Ediuardo Vessoni)

Esse trecho é marcado por longas barreiras de corais que represam águas mornas, em piscinas naturais; mar de ondas fracas e uma vegetação formada por amendoeiras e coqueiros.

A partir de Pitinga, a viagem ganha cenários selvagens, marcados por areia mais firme, piscinas naturais de águas mornas que se formam na maré baixa e ondas fortes que quebram nos recifes que margeiam a orla.

SAIBA MAIS: “Praias isoladas do litoral sul da Bahia se exibem em viagem de bicicleta”

TRANCOSO – PRAIA DO ESPELHO

Esse roteiro é mais exigente, pois é preciso caminhar sobre terreno de areia fofa, cruzar rios e grandes extensões de praia (quase) sem sombra.

Mas todo o esforço será recompensado com baías de águas quentinhas, barreiras de corais na beira da praia e uma sensação de que poucos puderam chegar até ali.

Rio dos Frades, entre Trancoso e a Praia do Espelho, no sul da Bahia (foto: Eduardo VESSONI)

A caminhada começa com a travessia pela ponte de madeira sobre um mangue que dá acesso à Praia dos Coqueiros, a faixa de areia mais próxima a Trancoso.

Dali para frente, a sensação de ser o único vai crescendo, conforme se avança rumo ao sul, passando por longas extensões de praias com piscinas naturais e quase todas sem acesso para carros, como Itapororoca e Itaquena.

Itaquena, uma das praias isoladas, entre Trancoso e a Praia do Espelho (foto: Eduardo Vessoni)

CONFIRA O ROTEIRO COMPLETO: “5 praias do litoral sul da Bahia com acesso apenas de bicicleta ou a pé”

PRAIA DO ESPELHO – CARAÍVA

Caraíva, no litoral sul da Bahia (foto: Eduardo Vessoni)

Vai ser difícil deixar para trás o cenário mais exibido do litoral sul da Bahia, mas esse roteiro de 11 km, entre a Praia do Espelho, o nome fantasia da Praia do Curuípe, e Caraíva é um dos mais fotogênicos da linha abaixo de Porto Seguro.

A pouco mais de 100 km de Porto Seguro, Caraíva é uma vila de pescadores com ruas de areia que têm acesso proibido para carros, cujo único acesso são viagens breves de canoa.

SAIBA MAIS: “Trilha entre a Praia do Espelho e Caraíva é a Bahia que passa devagar”

PRADO

Praia do Moreira, no distrito de Cumuruxatiba, em Prado, no extremo sul da Bahia (foto: Eduardo Vessoni)

Nesse roteiro por nove praias, entre Prado e Cumuruxatiba, o visitante chega de carro ou de bicicleta, passando por faixas de areia, aos pés de falésias coloridas com até 40 metros de altura.

O acesso é por uma estrada simples à beira mar que leva visitantes a uma sequência de praias isoladas do extremo sul da Bahia.

SAIBA MAIS: “Roteiro de 32 km passa por praias isoladas de Prado, no extremo sul da Bahia”

CUMURUXATIBA – BARRA DO CAHY – CORUMBAU

Foi na discreta Barra do Cahy que os europeus pisaram, pela primeira vez, em território que viria a se tornar o Brasil.

Barra do Cahy, no extremo sul da Bahia (foto: Eduardo Vessoni)

Localizada no município de Prado, no extremo sul da Bahia, a Barra do Cahy parece do mesmo jeito da época em que aqueles homens avistaram terras do lado de cá do continente: praias desertas e extensas faixas de areia virgens.

O local fica a 18 km de Cumuruxatiba, aproximadamente,  pode ser combinado em passeios de barco com Cumuru, como essa vila também é conhecida, e Corumbau, o último destino do município de Prado, ao lado de Caraíva, já em Porto Seguro.

SAIBA MAIS: “Conheça a 1ª praia do Brasil”

ABROLHOS

Farol da Santa Bárbara, visto da ilha Siriba, em Abrolhos (foto: Enrico Marcovaldi/Instituto Baleia Jubarte)

Criado em 1983, o Parque Nacional Marinho dos Abrolhos protege uma área de pouco mais de 91 mil hectares e é formado por outras ilhas menores e sem acesso de visitantes, como a Redonda, Sueste e Guarita.

A 250 km de Porto Seguro, Caravelas serve como base para quem embarca nos passeios de observação de baleias, em direção ao Parque Nacional Marinho dos Abrolhos.

Fora da temporada de baleias, de julho a novembro, é possível fazer passeios de até 3 dias para práticas de snorkel e mergulho.

SAIBA MAIS: “Saiba como é viajar em um liveaboard, em Abrolhos, na Bahia”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*