Melhores destinos do Brasil para conhecer em maio

Praia Grande de Cajaíba, em Paraty (foto: Eduardo Vessoni)

Na hora de programar as próximas férias, é mais importante saber “quando” do que “onde”.

Não adianta se animar com as clássicas promoções de passagens aéreas para Manaus, em dezembro, se a região da Amazônia fica sob intensas chuvas, nessa época do ano. Ou então desembarcar no Pantanal, em plena temporada de cheia e ter passeios cancelados devido aos alagamentos naturais em solo pantaneiro.

Para ajudar na programação da sua viagem, o Viagem em Pauta selecionou os melhores destinos nacionais para conhecer em maio:

⇒ CUNHA
(São Paulo)

Por ali, a experiência vem em forma de tradicionais trabalhos de cerâmica, campos de lavanda para visitas demoradas, trilhas cênicas em meio a trechos preservados de Mata Atlântica e, como ninguém é de ferro, mesa farta, no melhor estilo comida de fazenda.

Vista do Lavandário de Cunha, uma das atrações de Cunha (foto: Eduardo Vessoni)
Vista do Lavandário de Cunha, uma das atrações de Cunha (foto: Eduardo Vessoni)

Tudo isso, a 230 km de São Paulo, no Alto Vale do Paraíba e bem próximo a Paraty, no Rio de Janeiro.

PROGRAME-SE: “Entre a serra e o mar, Cunha é destino de artes e aventura”

LEIA TAMBÉM: “Conheça os lavandários de Cunha, a 230 km de São Paulo”

PARATY
(Rio de Janeiro)

Praia Grande de Cajaíba, em Paraty (foto: Eduardo Vessoni)

Com o fim das chuvas na região Sudeste, é uma boa pedida para quem quer conhecer um destino histórico e passear pelo centro antigo da cidade.

LEIA TAMBÉM: “Veleiro em Paraty: confira dicas e tarifas de aluguel”

Mas muito além dos casarões históricos e dos concorridos encontros literários, Paraty esconde sua versão mais inusitada, do alto do Pico do Pão do Açúcar.

Com início na Praia do Cruzeiro, no Saco do Mamanguá, essa trilha de uma hora, aproximadamente, leva até o alto desse pico com vista panorâmica da região.

Outro destaque da região é a Estrada Cunha-Paraty.

Sem nenhuma atração turística, a estrada passa pelo Velho Caminho do Ouro e pelo interior do Parque Nacional da Serra da Bocaina. Ainda assim, prepare-se para cruzar uma das mais belas estradas brasileiras, uma continuação da SP-171, entre Guaratinguetá e Paraty.

LEIA TAMBÉM: “Confira as condições da estrada Cunha-Paraty, entre SP e RJ”

⇒ CHAPADA DOS VEADEIROS
(Goiás)

Cachoeira do Abismo, o principal atrativo da ‘Trilha do Abismo’, na Chapada dos Veadeiros (foto: Eduardo Vessoni)

A temporada de chuvas começa a dar uma trégua, o Cerrado está florido e as cachoeiras apresentam maior volume de água.

Eis a hora de desembarcar em um dos destinos de aventura mais místicos do Brasil: a Chapada dos Veadeiros, a 245 km de Brasília e a 418 km de Goiânia.

SAIBA MAIS: “Sete experiências inusitadas da Chapada dos Veadeiros, em Goiás”

LEIA TAMBÉM: “Atrações escondidas da Chapada dos Veadeiros, em Goiás”

⇒ PANTANAL
(Mato Grosso e Mato Grosso do Sul)

No Mato Grosso e no Mato Grosso do Sul, tanto a chuva como a seca definem o cenário que o visitante irá encontrar em destinos como o Pantanal. Por ali, o período de seca, que vai de maio a setembro, é considerado o melhor para visitação e observação de animais.

Nessa época, começa a temporada de vazante na região do Pantanal, que segue até setembro. É o período em que chove menos e as temperaturas atingem níveis suportáveis, favorecendo a observação da vida selvagem.

Confira as condições das estradas e do clima, antes de encarar a viagem pelo Pantanal.

SAIBA MAS: “O que fazer no Pantanal”

⇒ SERRA DO RONCADOR
(Mato Grosso)

Cachoeiras, vida intraterrestre, sítios arqueológicos, portal para outras dimensões e até um corredor subterrâneo para Machu Picchu.

Bateia I, uma das opções de cachoeiras na Serra do Roncador, no Mato Grosso (foto: Eduardo Vessoni)

Se algum desses assuntos te interessa, a sua próxima parada é na Serra do Roncador, uma impressionante sequência de montanhas com 800 km de extensão, a mais de 500 km de Cuiabá.

Assim como toda a região de Cerrado, a Serra do Roncador é melhor aproveitada na temporada de seca, entre abril e outubro, aproximadamente.

VEJA VÍDEO

SAIBA MAIS: “Cachoeiras e mistérios da Serra do Roncador, no Mato Grosso”

LEIA TAMBÉM: “Conheça o destino brasileiro que inspirou o filme ‘Z – A Cidade Perdida’”

SUL DA BAHIA

Itaquena, uma das praias isoladas, entre Trancoso e a Praia do Espelho (foto: Eduardo Vessoni)

É nas praias do litoral sul da Bahia, onde carros não entram e banhistas só chegam com certo esforço, que acontecem as travessias em bike, entre Porto Seguro e Caraíva, uma viagem de quase 50 km, feita sobre duas rodas e combinada com um trekking, no trecho final.

LEIA TAMBÉM: “Praias isoladas do litoral sul da Bahia se exibem em viagem de bicicleta”

RIO SÃO FRANCISCO
(Sergipe)

Passeio em barco a remo, no rio São Francisco, em Sergipe (foto: Eduardo Vessoni)

Desde que viu surgir cânions navegáveis, após a construção da Hidrelétrica de Xingó, no extremo noroeste de Sergipe e em pleno rio São Francisco, o município de Canindé de São Francisco virou uma espécie de meca do turismo sergipano e passou a atrair grupos que fazem bate e volta, a partir da capital Aracaju.

O destino recebe visitantes durante todo o ano, mas o clima é mais ameno para passeios e atividades ao ar livre, de maio a agosto.

LEIA TAMBÉM: “Confira roteiros para conhecer Sergipe, o menor estado brasileiro”

SAIBA MAIS: “Principal destino do turismo sergipano, Velho Chico tem experiências únicas”

AMAZÔNIA

De janeiro a junho, a Amazônia assiste a um dos espetáculos mais fascinantes da maior floresta tropical do planeta. É nessa época que igarapés confundem a nossa mente com copas de árvores que se fundem no reflexo das águas, em canais estreitos formados por pequenos braços de rio.

Durante o inverno amazônico, as chuvas fortes caem sobre a região, formando esses corredores alagados que podem ser navegados por pequenas embarcações.

Vista das florestas alagadas da Amazônia, em Manaus (foto: Eduardo Vessoni)

VEJA TAMBÉM: “1ª vez na Amazônia: Belém ou Manaus?”

LEIA TAMBÉM: “Igarapés são destaque da estação de chuvas na Amazônia”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*