Candidata a Patrimônio Mundial, Paraty recebe FLIP e tem atrações únicas

Ilha do Cedro, em Paraty (foto: Wind Charter/Divulgação)

Desde que comerciantes estrangeiros e piratas descobriram o potencial daquelas terras isoladas e abrigadas da Baía da Ilha Grande, Paraty se tornou um dos endereços mais cobiçados do litoral brasileiro.

Endereço da 18ª edição da FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty), que acontece de 25 a 29 de julho, essa cidade do litoral sul do Rio de Janeiro acaba de se tornar candidata ao primeiro sítio misto brasileiro, reconhecido como Patrimônio Mundial, em 2019.

O IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) apresentou à Unesco um dossiê de candidatura ao título mundial de Patrimônio Cultural e Natural, no próximo ano.

Em nota, a instituição informou que será um recorte de mais de 130 mil hectares, incluindo não só o centro histórico de Paraty mas também o Parque Nacional da Serra da Bocaina; o Parque Estadual da Ilha Grande; a Reserva Biológica Estadual da Praia do Sul; e a Reserva Ecológica Estadual da Juatinga.

CONFIRA ATRAÇÕES

⇒ estrada Cunha-Paraty

Vista da Estrada Cunha-Paraty (foto: Eduardo Vessoni)

Considerada uma das mais cenográficas do Brasil, essa estrada vai do interior paulista ao litoral sul fluminense.

Sem nenhuma atração turística, a estrada passa pelo Velho Caminho do Ouro e pelo interior do Parque Nacional da Serra da Bocaina. Ainda assim, prepare-se para cruzar uma das mais belas estradas brasileiras, uma continuação da SP-171, entre Guaratinguetá e Paraty.

SAIBA MAIS:“Confira as condições da estrada Cunha-Paraty, entre SP e RJ”

⇒ praias isoladas

Praia Grande de Cajaíba, em Paraty (foto: Eduardo Vessoni)

O casario colonial bem preservado de Paraty é um dos cenários mais belos do Sudeste do Brasil. Mas a melhor notícia é que, a poucos metros daquele centro histórico tombado pelo IPHAN, fica algumas das mais belas faixas de areia do litoral fluminense.

Localizada a pouco mais de 40 km de Cunha, no interior de São Paulo, a região tem 60 praias, aproximadamente, cujo acesso à maioria delas se dá por barco.

VEJA TAMBÉM: “7 praias paradisíacas de Paraty”

⇒ aluguel de veleiro

Esquece aquela história de que embarcações movidas a vela são exclusividades de celebridades e endinheirados.

Por a partir de R$ 700 a diária, é possível alugar um veleiro para até 4 pessoas, equipado com duas cabines e cozinha.

Veleiro no Saco do Mamanguá, em Paraty (foto: Eduardo Vessoni)

E nem precisa dominar o vocabulário marítimo das palavras que não fazem sentido para quem não domina as técnicas da navegação. Para quem não tem a carteira de habilitação para condução de embarcações, o Arrais, é possível viajar com um skipper, como são chamados os capitães de pequenas embarcações.

SAIBA MAIS: “Veleiro em Paraty: confira dicas e tarifas de aluguel”

⇒ Saco do Mamanguá

Saco do Mamanguá visto do alto da trilha do Pico do Pão de Açúcar, em Paraty (foto: Eduardo Vessoni)

Esse tranquilo canal é considerado o único fiorde do Brasil e se estende por oito quilômetros até uma área de mangue, cujas margens veem crescer uma sequência (polêmica, diga-se de passagem) de construções luxuosas que se escondem na Mata Atlântica.

Esse braço de mar com 2 km de largura abriga mais de 30 pequenas praias exclusivas que podem ser acessadas por barco ou por uma trilha.

SAIBA MAIS: “Saco do Mamanguá, em Paraty, tem vista única do alto do Pico do Pão de Açúcar”

⇒ liveaboard de mergulho

Liveaboard Enterprise tem saídas exclusivas para mergulhos em Paraty e na Ilha Grande (foto: JP Cauduro/Divulgação)

A embarcação, exclusiva para mergulhadores e acompanhantes, tem saída da Marina do Engenho, em Paraty.

As viagens são a bordo de um catamarã com cabines individuais com chuveiro, chef de cozinha que prepara todas as refeições (inclusive os necessários lanches para matar a larica, entre um mergulho e outro) e assistência em todas as operações de mergulho. VEJA VÍDEO

SAIBA MAIS
FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty)
De 25 a 29 de julho
flip.org.br

IPHAN na FLIP
Confira programação da Casa do Iphan durante a Flip

 

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*