Cachoeira do Santuário é atração emocionante da Chapada das Mesas (MA)

Cachoeira do Santuário, na Chapada das Mesas (foto: Adilson Zavarize/ Divulgação)

É como ter uma experiência sagrada, daquelas que acontecem em rincões isolados do país, onde poucos ousaram chegar. Cachoeiras lapidam pedras escuras, dentro de um corredor que fica em um cânion, por onde passa um rio que só se tem acesso com água na altura da cintura.

Localizada na Chapada das Mesas, na região sul do Maranhão, a Cachoeira do Santuário é uma queda de águas invocadas que formam um poço de até três metros de profundidade, dentro de um cânion.

Local de cerimônia dos índios Timbira, até hoje, o Santuário é uma das 25 cachoeiras próprias para banho, no Santuário Ecológico de Pedra Caída.

VEJA VÍDEO

A queda de 46 metros, dentro de um salão natural de arenito, é um dos cenários mais emocionantes de toda a região.

E eu, humildemente, arriscaria dizer que é um dos endereços mais impressionantes de todo o Brasil.

“É um região com um potencial hídrico muito forte e o Santuário é como a nossa mãe, o carro-chefe”, descreve Flávio Rodrigues da Silva, do complexo Pedra Caída.

E a melhor notícia é que se trata de uma atração de nível baixo de dificuldade, para todas as idades e com acesso por passarelas de madeira, em meio à mata.

Só não vai mesmo quem gosta pouco de cachoeira.

LEIA TAMBÉM: “Destinos do Nordeste para quem não gosta de praia”

Cachoeira do Capelão, uma das atrações de Pedra Caída, na Chapada das Mesas (foto: Eduardo Vessoni)

ATRAÇÕES DE PEDRA CAÍDA

Tirolesas
Com acesso por uma trilha de pouco mais de 800 metros ou por um teleférico de 400 metros de extensão, o ponto mais alto de Pedra Caída fica a 398 metros.

É dali que os mais intrépidos encaram uma das duas tirolesas do complexo, uma descida de 1.200 e outra de 1.400, ambas até a sede do local.

Os nomes, tirolesas do Desespero e do Pânico, são quase como um convite para querer desistir. Mas é a Chapada das Mesas em sua forma mais ampla e bem aos nossos pés.

O acesso até o ponto mais alto do complexo pode ser por trilha (abaixo, à direita) ou por um teleférico (foto: Eduardo Vessoni)
O acesso até o ponto mais alto do complexo pode ser por trilha (abaixo, à direita) ou por um teleférico (foto: Eduardo Vessoni)

Pirâmide Mística
Construída pelo proprietário do complexo para que os visitantes pudessem encontrar paz interior, essa estrutura de vidro tem atividades como a caminhada por um espiral para renovação de energia e pode ser combinada por quem faz tirolesa ou a trilha até o ponto mais alto do complexo.

Cachoeiras
Outro destaque molhado de Pedra Caída são as trilhas curtas até as cachoeiras dos Capelão e da Caverna, distantes três quilômetros, uma da outra.

Ambas contam com aceso fácil por passarelas de madeira que cortam trilhas em área fechada. O destaque fica para a segunda parada, cuja queda de 12 metros fica dentro de uma caverna.

Vista da entrada para a Cachoeira da Caverna, no Santuário Ecológico de Pedra Caída, na Chapada das Mesas (foto: Eduardo Vessoni)

LEIA TAMBÉM: “Conheça destinos brasileiros para amantes de cachoeiras”

CHAPADA DAS MESAS
Na divisa do Maranhão com o Tocantins, a região abriga um dos parque nacionais mais novos do Brasil.

O Parque Nacional da Chapada das Mesas tem 160 mil hectares, aproximadamente, e foi criado em 2005.

O parque conta com apenas duas atrações, oficialmente abertos ao público (as cachoeiras do Prata e de São Romão) e tem o município de Carolina como ponto de apoio para os visitantes, de onde saem os principais passeios pela região.

Os outros atrativos, como o Santuário Ecológico de Pedra Caída, ficam no entorno e também são atendidos pelas poucas agências de turismo que atuam na região.

Chapada das Mesas, no sudoeste do Maranhão (foto: Eduardo Vessoni)

E onde fica?
A Chapada das Mesas fica a distantes (e sofridos) 850 km de São Luís, capital do Maranhão.

Por isso, a melhor opção é o aeroporto de Imperatriz, a 220 km de Carolina.

O minúsculo terminal local recebe voos diretos de São Paulo ou com escalas, em Brasília, operados apenas pela Azul e pela Gol.

Uma alternativa é o voo que parte de São Paulo para Araguaína, no norte de Tocantins e a cerca de 120 km de Carolina, com a Passaredo.

De ônibus até Carolina (www.jr4000.com.br), são cerca de quatro horas de viagem ou três horas, em transfers particulares, a partir de Imperatriz.

CONHEÇA TAMBÉM: “Cachoeiras e mistérios da Serra do Roncador, no Mato Grosso”

SAIBA MAIS
Turismo oficial de Carolina
www.seturcarolina.com.br

Santuário Ecológico de Pedra Caída
Rod. BR-010, s/n – Carolina
Entrada: R$ 60 (atividades como cachoeiras, teleférico e tirolesa são pagas à parte, a partir de R$ 25)
www.pedracaida.com

Cia do Cerrado
Transfers do aeroporto de Imperatriz até Carolina e pacotes de 2 a 6 dias de duração, com acomodação na Pousada do Lajes
www.ciadocerrado.com.br

* O Viagem em Pauta visitou a região com apoio da Secretaria de Turismo de Carolina e da agência Cia do Cerrado

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*