Papeete é a capital e a porta de entrada para o Taiti, na Polinésia Francesa

À primeira vista, a movimentação exagerada do centro pouco lembra aquela viagem no estilo Robinson Crusoé que a gente sempre sonhou em terras polinésias: trânsito intenso, resorts gigantes e um mar de tons, facilmente, comparado a qualquer praia mediana do litoral paulista.

Mas isso não é tudo na principal ilha desse território francês ultramarino.

Capital do Tahiti, Papeete não só é a porta de entrada obrigatória para turistas estrangeiros mas também o início de uma viagem por praias de águas turquesas em ilhotas isoladas, em destinos vizinhos como Moorea, Raiatea, Taha’a e Bora Bora.

Muito além das pranchas e da parafina, onde as ondas da vila de Teahupo’o colocaram o Taiti na rota dos melhores picos de surfe do mundo, o destino esconde endereços mais selvagens em trilhas que seguem ilha adentro, piscinas naturais que se formam entre extensas plataformas de corais e até uma cachoeira que cai sobre um poço, a poucos metros do mar.

Não poderia haver introdução melhor sobre o que vem pela frente nessa sua viagem pelas ilhas do Taiti.

VEJA VÍDEO

DADOS GERAIS

foto: Eduardo Vessoni

capital: Papeete, no Taiti

moeda:
XPF (franco do Pacífico) / 1 euro tem o valor fixo de 119,33 francos

idiomas:
francês, taitiano e inglês

visto:
isento para brasileiros até 90 dias

turismo:
 tahititourisme.com.br

fuso horário:
-7 horas (Brasília)

COMO CHEGAR

foto: Divulgação

Brasileiros têm duas opções para chegar ao Taiti: via Estados Unidos ou pelo Chile.

Quem voa com companhias aéreas estadunidenses como a American Airlines, faz conexão com a parceira Air Tahiti Nui, cujo voo Los Angeles-Papeete dura cerca de 9 horas, além de outras 12 horas entre São Paulo e Los Angeles.

Via Chile, a travessia é com a LATAM e tem paradas na Ilha de Páscoa ou na Nova Zelândia. Do Brasil, com até 3 paradas, a viagem dura de 19 a 32 horas.

QUANDO IR

foto: Tahiti Tourisme

As temperaturas são altas o ano inteiro, mas a melhor época vai de março a novembro, aproximadamente, quando o clima é mais seco. De dezembro a fevereiro as temperaturas são mais elevadas, mas aumentam as chances de chuvas.

A alta temporada costuma ser julho e agosto. As temporadas intermediárias (de abril a junho e de setembro a novembro) costumam oferecer preços mais camaradas.

SAIBA MAIS: “Polinésia Francesa possível: dicas para economizar nas ilhas do Tahiti”

Ilha adentro
Tahiti Iti (‘pequena Taiti’, em português) é uma península que se isola ao sul do Taiti. Foi ali, em Teahupo’o, que o brasileiro Gabriel Medina conquistou o bicampeonato mundial no WSL Championship Tour, em 2018.

Tahiti Iti, próximo a Papeete (foto: Eduardo Vessoni)

Tahiti Iti é o lugar onde o Tahiti se agranda, em vales que se abrem em direção ao mar, com imensas cachoeiras que rasgam picos montanhosos que parecem recém-lapidados. E tudo isso dá para ver da própria embarcação que faz tours na região.

O Viagem em Pauta conheceu a região, acompanhado do simpático casal Matahi e Poema. A bordo de uma lancha, os passageiros fazem um passeio de sete horas de duração, entre Vairao e Te Pari, no extremo sul da ilha, cujo acesso é apenas por barco.

O roteiro começa pela manhã, na costa de Teahupoo, endereço famoso pelos pontos de surfe de nível internacional, onde o capitão Matahi faz paradas bem próximas à barreira responsável pelas ondas.

A viagem segue com outras paradas em pontos de águas claras (e mais profundas) para prática de snorkel e observação de vida marinha.

No entanto, o ponto máximo do passeio é Te Pari, uma área preservada que guarda uma cachoeira escondida entre a vegetação fechada, em frente ao mar, e piscinas naturais que se formam entre extensas plataformas de corais.​

Piscinas naturais de Te Pari, em Tahiti Iti, ao sul de Papeete (foto: Eduardo Vessoni)

LEIA TAMBÉM: “Bora Bora: paraíso das águas, na Polinésia”

DICA EM PAUTA
Com quase 200 mil habitantes, o Taiti é, de longe, a ilha mais povoada de toda a região. Para você ter uma ideia, Moorea, o segundo destino polinésio mais habitado, abriga 16 mil pessoas.

Por isso, se você fizer questão de passar mais tempo em Papeete, a sugestão é deixar a cidade para ser visitada no início da viagem, a fim de evitar o choque de urbanidade no retorno de ilhas paradisíacas da Polinésia Francesa.

Lagoa do Tahiti, vista da piscina do Manava Suite Resort Tahiti (foto: Eduardo Vessoni)

Só não esqueça que para voltar para casa (você não vai querer, mas esse dia vai chegar, sim), é preciso retornar ao Aeroporto Internacional de Faa’a, em Papeete, de onde saem os voos internacionais.

ONDE FICAR

Papeete é conhecida pelos resorts de grandes dimensões e com atrativos próprios.

O Manava Suite Resort Tahiti  tem quartos amplos de até 59 m², com vista para a lagoa do Tahiti ou para o jardim interno. O destaque é o centro aquático com opções de atividades extras (pagas à parte) como aluguel de jet ski, caiaque e SUP. Para julho, a diária custa a partir de 28.832 XPF (240 euros).

Apresentação de música da Polinésia, no Sofitel Tahiti Ia Ora, em Papeete (foto: Eduardo Vessoni)

O Sofitel Tahiti Ia Ora é outro gigante da capital do Taiti, onde é possível ficar tanto em quartos como nos cobiçados bangalôs sobre a água. Diárias a partir de R$ 1.090. O hotel é conhecido pelo buffet aberto ao público, acompanhado de uma apresentação de danças do Taiti, às sextas-feiras, no melhor estilo “show para gringo ver”.

Quem não se importa em passar a noite em quartos coletivos, o novo Mahana Lodge Hostel & Backpacker, em Papeete, tem camas a partir de R$ 125, mas a reserva só pode ser feita em metabuscadores como Booking, Hoteis.com e Hostel World.

ILHAS DA SOCIEDADE

Localizado no setor oeste da Polinésia Francesa, esse arquipélago abriga os destinos mais famosos da região, como Bora Bora, Moorea e Tahiti, onde fica a capital Papeete, a porta de entrada para turistas estrangeiros. VEJA MAPA

Taha'a, uma das ilhas do Tahiti, na Polinésia Francesa (foto: Eduardo Vessoni)
Taha’a, uma das ilhas do Tahiti, na Polinésia Francesa (foto: Eduardo Vessoni)

A Polinésia é formada também pelas Ilhas Tuamotu (Rangiroa, Tikehau, Manihi e Fakarava), Ilhas Marquesas, Ilhas Gambier (Mangareva) e Ilhas Austrais (Rurutu, Tubuai, Raivavae e Rimatara)

CLIQUE E CONHEÇA ALGUMAS DAS ILHAS DO TAITI

Bora Bora          Taha’a         Moorea          Raiatea


SAIBA MAIS
Turismo oficial do Tahiti
www.tahititourisme.com.br

Tahiti Boat Excursion & Surf
O passeio entre Vairao e Te Pari custa US$ 120 por pessoa e inclui almoço a bordo com bebidas, e paradas para snorkel, banho de cachoeira e observação de surfistas em alto mar, em Teahupo’o.
www.tahitiboatexcursionsurf.com

LEIA TAMBÉM: “Moorea: playground natural da Polinésia Francesa”

+ VÍDEOS





* O Viagem em Pauta visitou a Polinésia Francesa a convite do Atout France e do Tahiti Tourisme

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*