Tasmânia é a Austrália surreal: confira fotos

A 240 km ao sul da Austrália, a Tasmânia é dona de um cenário que a gente só pensava encontrar em filmes e animações.

No menor estado da Austrália, é possível caminhar em florestas úmidas de árvores retorcidas, ver cachoeiras escondidas em matas fechadas e dar de cara com animais que não podem ser encontrados em nenhuma outra parte do planeta, como o invocado ‘Diabo da Tasmânia’ (aquele mesmo do desenho animado que ajudou a divulgar a ilha para o resto do mundo, mas quase entrou em extinção, por conta de um raro câncer facial genético que impossibilitava a sua alimentação).

Com 300 km de norte a sul e outros 340 km de leste a oeste, essa ilha de pouco mais 500 mil habitantes tem cerca de 40% de seu território formado por parques nacionais e reservas, o que garantiu ao ar local o título de “um dos mais puros do mundo”.

A viagem por ali é de extremos.

Vista da Nelson Falls Track, uma das trilhas do selvagem Parque Nacional Franklin-Gordon Wild Rivers, no centro-oeste da Tasmânia, na Austrália (foto: Eduardo Vessoni)

O oeste selvagem é marcado pela grande quantidade de chuvas, daí aqueles cenários montanhosos e verdes; e a costa leste é conhecida pelas praias de areias claras e águas turquesas, em terras planas que recebem poucas chuvas.

Seja qual for seu roteiro e seu ponto de partida (veja abaixo como chegar na Tasmânia), certamente, essa será uma das viagens mais impactantes durante sua estadia na Austrália.

VEJA FOTOS

  • Russel Falls, atrativo no Mount Field National Park, o primeiro parque nacional da Tasmânia (de 1916) e a uma hora de Hobart (foto: Eduardo Vessoni)

  • Trilha no Mount Field National Park, cujo interior guarda atrativos como a Tall Trees Walk, trilha por uma floresta que abriga algumas das árvores mais altas do planeta (foto: Eduardo Vessoni)

  • O pademelon, é uma espécie de canguru em miniatura e um dos animais endêmicos que podem ser observados em florestas do Parque Nacional Cradle Mountain-Lake Saint Claire, uma das atrações naturais mais visitadas da Tasmânia, no centro-norte da ilha (foto: Eduardo Vessoni)

  • O Parque Nacional Cradle Mountain-Lake Saint Claire é Patrimônio da Humanidade e um dos endereços mais emblemáticos da Tasmânia. Na foto, vista da trilha Dove Lake, um percurso de três horas, ao longo de 6 km pelo interior da Floresta Balroom (foto: Eduardo Vessoni)

  • Trilha Weindorfers, no interior do Parque Nacional Cradle Mountain-Lake Saint Claire, na Tasmânia (foto: Eduardo Vessoni)

  • Vista da Cataract Gorge, reserva a pouco minutos de Launceston, uma das principais portas de entrada para a Tasmânia, na Austrália (foto: Eduardo Vessoni)

  • Vista do centro de Launceston, uma das principais portas de entrada para a Tasmânia, na Austrália (foto: Eduardo Vessoni)

  • Vista da Nelson Falls Track, uma das trilhas do selvagem Parque Nacional Franklin-Gordon Wild Rivers, no centro-oeste da Tasmânia, na Austrália (foto: Eduardo Vessoni)

  • Os parques nacionais da Tasmânia, ao sul da Austrália, é habitat de animais endêmicos como os vombates, animais herbívoros da família dos marsupiais, conhecidos pela lentidão que facilita a aproximação com os humanos (foto: Eduardo Vessoni)

  • Binalong Bay, baía na costa leste da Tasmânia, conhecida por suas praias de águas cristalinas e areias claras. O local é conhecido como um dos destinos mais bonitos de toda a Austrália (foto: Steve Bittinger/Flickr-Creative Commons)

  • A Bay of Fires é um setor costeiro que se estende por mais de 50 km, entre a Baía de Binalong, no sul, e Eddystone Point, no norte, na costa leste da Tasmânia (foto: Robert Montgomery/Flickr-Creative Commons)

  • Pôr do sol na Bay of Fires, na costa leste da Tasmânia, na Austrália (foto: Timothy M Roberts/Flickr-Creative Commons)

  • Maior marsupial carnívoro, o Diabo da Tasmânia ganhou a atenção de cientistas quando 90% de sua população selvagem foi dizimada e quase entrou em extinção, por conta de um raro câncer facial genético que impossibilitava a sua alimentação (foto: Flickr-Domínio Público)

SAIBA MAIS

Turismo da Tasmânia
www.discovertasmania.com

Como chegar
As principais porta de entrada para a ilha são Launceston e Hobart, no norte e sudeste da Austrália, respectivamente.

Ambas cidades recebem voos provenientes de Sydney e Melbourne, operados por companhias como JetStar (a partir de 47 dólares australianos), Qantas (a partir de 151 dólares australianos) e Virgin Australia (desde 159 dólares australianos).

De Sydney, a viagem para Hobart dura cerca de 1h55; de Melbourne, o voo leca cerca de 1h15.

foto: Spirit of Tasmania;Reprodução

O destino recebe também navios que partem de Melbourne, diariamente, uma viagem de cerca de 10 horas até Devonport, na costa norte da Tasmânia. SAIBA MAIS

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*