[palestra]: “Viagens que contam histórias”

Você acredita que vai fazer uma viagem, mas em seguida a viagem é que te faz, ou te desfaz” - Nicolas Bouvier

 

Embora o turismo moderno seja uma “invenção” recente, que surge como consequência da Revolução Industrial, no século 19, os deslocamentos não são novidades para a humanidade.

Ao longo de sua história, a espécie humana percorreu territórios por diferentes motivos: busca pela sobrevivência, mudanças climáticas, comércio, religião, conquista de terras, doenças, trabalho, etc.

Mas esta apresentação não é uma sequência de relatos de experiências turísticas em destinos conhecidos. É sobre como viajar amplia nosso conhecimento do mundo e de nós mesmos.

Neste encontro, Eduardo Vessoni traz ao público as histórias de personagens que também escreveram a História, colecionadas ao longo de mais de uma década que o jornalista dedicou, exclusivamente, às editorias de turismo e cultura.

Durante a apresentação, tais histórias são atualizadas com as experiências que o próprio jornalista teve nos destinos citados.

Conheça algumas das viagens deste encontro:

Lá na América Latina
Entre janeiro e outubro de 2009, sem voltar para casa, o jornalista Eduardo Vessoni fez uma viagem de mais de 40 mil km, passando por 84 cidades de países hispânicos da América do Sul.

foto: Eduardo Vessoni

O objetivo era visitar destinos que fugissem das imagens estereotipadas do continente, desembarcando em lugares pouco conhecidos do viajante brasileiro, como uma comunidade quilombola na Bolívia; a versão indígena da Argentina, no norte do país; a amazônia peruana; e os misteriosos rituais fúnebres de uma sociedade desconhecida da Colômbia.

O verdadeiro Indiana Jones

foto: Wikipedia Commons

Por essa, nem os fãs podiam imaginar: Indiana Jones nasceu no Brasil.

A mais de 500 km de Cuiabá, no Mato Grosso, a Serra do Roncador viu nascer uma das histórias mais misteriosas das expedições do Centro-Oeste brasileiro. Foi ali que o coronel britânico Percy Fawcett desapareceu, em 1925, em busca de uma civilização perdida, conhecida como Cidade Z.

Suposto portal para Atlântida e passagem para a Terra Oca, o Roncador mudaria também os rumos da reportagem no Brasil, nas décadas seguintes, inspirando expedições em busca de Fawcett, encabeçadas por nomes como Edmar Morel, Antônio Callado e Orlando Villas Boas.

Sua história teria inspirado a criação de Indiana Jones, personagem dos filmes dirigidos por Steven Spielberg.

Expedição Transantártica Imperial
Em 1914, Ernest Shackleton pretendia cruzar a pé a Antártica, pela primeira vez na história da humanidade.

Viagem em Pauta na Antártica, em 2013 (foto: Eduardo Vessoni)

A bordo do icônico navio Endurance, organizou essa travessia que ficaria conhecida como a última grande viagem da Era dos Descobrimentos. Mas, por questões climáticas, a empreitada seria interrompida a apenas 160 km da Antártica e a tripulação de 27 homens vagaria por resgate, durante dois anos.

Esse explorador irlandês ficou conhecido como um exemplo de líder de sucesso por conta da capacidade de seguir até o fim no comando de uma viagem fracassada, sem nenhuma baixa.

Em 2013, Eduardo Vessoni esteve na Antártica para a realização de matérias sobre o centenário da viagem de Shackleton.

Contos de Fadas
O fim da história você já sabe. Mas de onde vêm os contos de fadas mais famosos da literatura mundial?

Esse roteiro na Alemanha passa por mais de 60 cidades e endereços relacionados com a vida e a obra de Jacob e Wilhelm Grimm, autores dos contos de fadas mais famosos.

João e Maria, no Museu dos Irmãos Grimm, em Steinau, na Alemanha (foto: Eduardo Vessoni)

Ao longo de 600 km de extensão, o viajante passa tanto por locais citados nos contos dos Grimm, como o Castelo de Trendelburg (onde teria ocorrido a história original de Rapunzel), como também por cidades relacionadas à vida desses irmãos nascidos em Hanau, oficialmente, a ‘Cidade dos Irmãos Grimm’.

A viagem segue por Steinau, onde passaram a infância; Marburg, cidade em que começaram a colecionar os primeiros relatos orais que dariam origem aos contos de fadas; e Kassel, onde criaram a Gramática Alemã e, atualmente, guarda manuscritos originais e a maior coleção de obras dos Grimm.

Conheça outras palestras

SOBRE O PALESTRANTE
Formado pela Universidade São Judas, Eduardo Vessoni é jornalista e tem mestrado em Letras pela USP, onde pesquisou sobre os imaginários que a imprensa e o brasileiro têm acerca da América Latina hispânica.

Por 12 anos, trabalhou como professor de língua espanhola e português para estrangeiros, em escolas de idiomas e universidades da capital e do interior paulistano, além de atuar como coordenador pedagógico.

Desde 2008, atua como jornalista das editorias de turismo e cultura, uma experiência que já rendeu o desembarque em mais de 40 países e publicações nos principais jornais do país (O Globo, Folha e Estadão); portais de notícias (UOL, IG, Catraca Livre e MSN); em revistas de bordo (Avianca, Gol e TAP Portugal); e revistas especializadas como Raça Brasil, Leituras da História, Viajar pelo Mundo, Viagem e Turismo e Guia Quatro Rodas, entre outras).

Vessoni já se apresentou como palestrante na editora Disal, Seven Idiomas, Seminário de gestão pedagógica da escola CNA, Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, e nas unidades São Caetano e Jundiaí da rede Sesc.

Atualmente, edita também o site Viagem em Pauta.

SERVIÇO
público alvo: jovens e adultos, estudantes dos ensinos Médio e Superior, público em geral interessado em viagem

duração:
2 horas

espaço:
a palestra está desenhada para ambientes fechados, equipados com flipchart (ou lousa) e projetor (estrutura a cargo do contratante). De acordo com o perfil da plateia, dinâmicas podem ser propostas ao longo da apresentação, por isso é recomendado um espaço que possibilite alteração de móveis como mesa, cadeiras ou carteiras.

valor: sob consulta pelo email: eduardo@viagemempauta.com.br

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*