Conheça o Trem nas Nuvens, uma das viagens ferroviárias mais altas do mundo

Longe de todos os velhos estereótipos do país, o norte da Argentina segue em outro ritmo. E a mais de 4 mil metros sobre o nível do mar.

Tren a las Nubes é um vertiginoso roteiro ferroviário circular, na cordilheira dos Andes, que parte de Salta e segue por 217 km até o Viaducto La Polvorilla, a 4.220 metros sobre o nível do mar.

Desenhado nos anos 20 pelo engenheiro estadunidense Ricardo Fontaine Maury, essa obra foi criada para conectar a argentina Salta e o Chile, através da cordilheira dos Andes, de modo que fosse possível fazer o transporte de minerais da chilena Antofagasta.

Tren a la Nubes, no norte da Argentina (foto: Divulgação)
O primeiro trajeto transandino do norte começou a ser construído no dia 20 de fevereiro de 1921, mas só seria concluído em 1948, unindo as vias chilenas e argentinas, em Socompa.Atualmente, é possível embarcar em dois roteiros, que combinam trem e ônibus ou apenas o trecho ferroviário.
O primeiro, que inclui trajetos de ônibus e trem, tem saída da cidade de Salta, passando por locais como Campo Quijano, Gobernador Solá e El Alfarcito, onde os passageiros são recebidos com um café da manhã rural.
A viagem segue até San Antonio de los Cobres, onde é feito o embarque no trem, até o clássico Viaducto la Polvorilla. Esse último trajeto tem duração de uma hora.
foto: Carlos Albertoni/Divulgação

A outra opção é a viagem apenas de trem, cujo trajeto vai da Estación de Trenes de San Antonio de los Cobres até o Viaducto la Polvorilla, a 4.200 metros sobre o nível do mar.

Esse complexo sistema em zigue-zague, cuja primeira viagem com fins turísticos só aconteceria no dia 16 de julho de 1972, é um das experiências de trem mais impressionantes de todo o mundo e é quase como tocar o céu daquele isolado território argentino de passado indígena.

LEIA TAMBÉM: “Quebrada de Humahuaca: a Argentina que você (ainda) não conhece”

A VIAGEM EM NÚMEROS

Como é

foto: Divulgação

O ponto mais alto alcançado pelo trem está a 4.220 metros sobre o nível do mar, onde fica o Viaducto La Polvorilla,  uma ponte de aço metal com mais de 220 metros de extensão, a 63 metros de altura.

O trajeto em zigue-zague passa por 29 pontes, 21 túneis e 13 viadutos.

Quanto custa

foto: Carlos Albertoni/Divulgação

A viagem, que pode ser feita apenas de trem ou combinada com ônibus, custa a partir de 2.920 pesos argentinos (cerca de R$ 257).

Saiba mais: www.trenalasnubes.com.ar

VÍDEO

VEJA TAMBÉM:
“Do Brasil à Africa: conheça viagens de trens pelo mundo”
“Saiba como é viajar de Veneza a Paris, a bordo do Orient-Express”

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. 1º de agosto: veja destinos que celebram o Dia da Pachamama - Viagem em Pauta
  2. 1º de agosto: veja destinos que celebram o Dia da Pachamama - Viagem em Pauta

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*