Com dólar a R$ 4,38, confira destinos para conhecer no Brasil

Vista aérea do cânion Itaimbezinho, em Cambará do Sul (foto: Roni Bittencourt)

Nos últimos dias, o dólar vem apresentando forte alta e pode mudar os rumos de quem pretende viajar para o exterior.

Na última sexta-feira (20 de setembro), o dólar turismo fechou em R$ 4,38. Segundo o jornal O Estado de São Paulo, a moeda já tem alta acumulada de 2,54% neste mês.

E como o que a gente quer é ver você na estrada, o Viagem em Pauta selecionou alguns dos nossos destinos preferidos para viajar pelo Brasil.

LEIA TAMBÉM: “Fernando de Noronha para mãos de vaca: dicas para economizar”

CONFIRA DESTINOS

Montanhas Capixabas
(Espírito Santo)

Pedra Azul, nas Montanhas Capixabas (foto: Eduardo Vessoni)

Famosa pela produção de orgânicos e de culinária com influências europeias, a região é endereço para quem curte aventura, em parques que contam com trilhas, piscinas naturais e estradas cenográficas.

SAIBA MAIS: “Montanhas Capixabas: o turismo sobe a serra, no Espírito Santo”

Cunha
(São Paulo)

Cunha, a 230 km da capital paulista (foto: Eduardo Vessoni)

Esse destino do interior paulista, a 230 km de São Paulo, no Alto Vale do Paraíba, é um dos poucos endereços do estado que reúnem serra e mar.

Por ali, a viagem tem cerâmicas, campos de lavanda, trilhas cênicas em trechos preservados de Mata Atlântica e mesa farta, no melhor estilo comida de fazenda.

SAIBA MAIS: “O que fazer em Cunha, destino de artes e aventura do interior de São Paulo”

Chapada dos Veadeiros
(Goiás)

Esse Patrimônio Mundial Natural pela UNESCO abriga cidades como Alto Paraíso, destino dos místicos e alternativos; São Jorge, vilarejo pé na areia que tem acesso às experiências mais aventureiras da região; e Cavalcante, procurada por casais e famílias.

SAIBA MAIS: “Dicas para economizar na Chapada dos Veadeiros, em Goiás”

Serra do Roncador
(Mato Grosso)

A 380 km de Goiânia, em Goiás, esse destino ainda pouco conhecido pelo brasileiro tem atividades de fácil acesso como o Vale dos Sonhos e outras as mais aventureiras como o roteiro no Bateia, na Serra do Taquaral.

Cachoeira São Francisco, na Serra do Roncador, no Mato Grosso (foto: Eduardo Vessoni)

SAIBA MAIS: “Conheça o destino brasileiro que inspirou o filme ‘Z – A Cidade Perdida’”

Galinhos
(Rio Grande do Norte)

A 170 km de Natal, esse destino rústico têm charretes e bugues como opções de transporte, lagoas que viram piscinas naturais entre dunas móveis, praias isoladas que surgem e desaparecem no ritmo da maré, montanhas de sal que riscam o horizonte das salinas locais e um mangue que serve de cenário para passeios gastronômicos de barco.

LEIA TAMBÉM: “Galinhos: o Rio Grande do Norte que passa devagar”

Canindé do São Francisco
(Sergipe)

Navegação no rio São Francisco, em Canindé do São Francisco (foto: Eduardo Vessoni)

Endereço turístico mais famoso do Sergipe, Canindé de São Francisco é ponto de partida dos passeios de barcos até o Paraíso do Talhado, trecho do rio São Francisco, onde o visitante também pode nadar nos cânions do Xingó, banhar-se no rio e fazer esportes de aventura.

SAIBA MAIS: “Conheça atrações turísticas do Sergipe, o menor estado brasileiro”

Belém
(Pará)

Rio Guamá, visto do mirante do Mangal das Garças, em Belém (foto: Eduardo Vessoni)

Gastronomia de autor, pequenos museus de acervo discreto e cenografia caprichada, passeios fluviais com preços camaradas e uma floresta amazônica que fica bem ali na porta de casa.

Sem dúvida, a capital do Pará é uma das melhores cidades para quem quer conhecer a região.

LEIA TAMBÉM: “1ª vez na Amazônia: Belém ou Manaus?”

Jalapão (Tocantins)

Fervedouro do Soninho, no Jalapão (foto: Eduardo Vessoni)

Com uma densidade demográfica que não chega a um habitante por km² e vegetação semelhante às das savanas africanas, o Jalapão é um dos destinos turísticos mais isolados do Brasil.

A paisagem árida abriga montanhas em forma de platô, dunas móveis, cachoeiras, praias de água doce e poços naturais cristalinos que não deixam o visitante afundar, conhecidos como fervedouros ou ressurgência, um fenômeno em águas borbulhantes.

LEIA TAMBÉM: “Conheça atrações naturais do Tocantins”

Serra Gaúcha
(Rio Grande do Sul)

Véu da Noiva, em Canela (foto: Eduardo Vessoni)

Enquanto Gramado é o endereço para ver e ser visto, a vizinha Canela é o lugar para estar do lado de fora, cuja atração mais conhecida é a Cascata do Caracol, uma queda d’água de 131 metros de altura.

No entanto, a região abriga destinos turísticos como Bento Gonçalves, São Francisco de Paula e Nova Petrópolis.

SAIBA MAIS: “Roteiro pelas vinícolas da Serra Gaúcha”

Cambará do Sul
(Rio Grande do Sul)

A Terra dos Cânions fica a 240 km de Porto Alegre e abriga atividades de beleza única, na borda de cânions, como o Parque Nacional Aparados da Serra, endereços de uma das caminhadas mais cênicas do Brasil.

SAIBA MAIS: “O que fazer em Cambará do Sul, no Rio Grande do Sul”

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*