Crônicas para viajantes

Mania de viajante
por Eduardo Vessoni
Todo viajante tem uma mania.
Uns compram lembrancinhas (quase sempre inúteis depois da viagem), outros garantem cartões-postais para a coleção particular (confesso que tenho inveja de viajantes organizados que conseguem alimentar esse hábito). Tem também o viciado em postar nas redes sociais, alucinadamente, todos os momentos das férias ou fazer check-in no celular a cada atração conquistada.
3b4fc-6cc3b3pia
Faltou falar ainda do colecionador de xícaras personalizadas (já tentei adquirir essa mania, mas a parede da cozinha ficou pequena depois da nona peça) e do cara que guarda todos os canhotos de passagem aérea (esta, realmente, eu nunca consegui entender).
E o que dizer daqueles que só embarcam com o pé direito ou realizam rituais de eficácia questionável? (Durante a pesquisa para coletar exemplos de outros viajantes também cheios de mania, encontrei o relato de uma que sempre dá dois toques com a mão direita na fuselagem do avião antes do embarque. Ela garante que por conta disso, nenhuma aeronave caiu com ela dentro).
Acabei lembrando também daqueles que conferem, a cada instante, se os documentos estão no mesmo lugar depois da inspeção na imigração (esta, sim, uma auto-citação feita sem temor de ser tachado de compulsivo).
E por falar em saúde mental, lembrei agora dos que não viajam sem ingerir remedinhos para dormir, dos que não conseguem dormir nem com remedinhos (eu, no caso) e dos que tomam remedinhos, dormem e ficam na poltrona do corredor, atrapalhando a vida de quem não tomou remedinho, não dormiu e precisa ir no banheiro para descarregar o que bebeu para tentar dormir.
Já que estamos falando de comportamento em público, vale lembrar aqueles que insistem em se comportar como ainda estivessem em seu país de origem, mantendo os mesmos hábitos como se não houvesse um oceano inteiro (às vezes, dois) separando aquelas duas culturas (quem já viajou ao lado de um grupo de turistas chineses sabe do que estou falando).
Este blog não é sobre personalidades, muito menos sobre fofocas do mundo de celebridades, mas não custa nada dar uma variada e montar uma listinha (outra mania de jornalista de turismo) com as manias dessa gente que, a princípio, parece tão normal.
Dizem as más línguas (e os sites especializados em notícias inúteis) que o cineasta Woody Allen só faz viagens a bordo de um avião particular para evitar os germes. Parece que a atriz Uma Thurman só relaxa fazendo ioga (mesmo que seja no corredor do avião, no colchãozinho que ela carrega na bagagem de mão) e Jennifer Lopez só se hospeda em hotéis com a sua própria roupa de cama (as opções de lençóis com menos de 250 fios não lhe caem bem).
Na última viagem que fiz a Berlim, meu guia me confessou que havia ciceroneado Madonna durante sua temporada na cidade e que a cantora viaja acompanhada de um especialista em DNA que a acompanha em todos os lugares, limpando móveis e objetos tocados por ela. Parece que a musa pop tem um receio (bastante exagerado) de ter fragmentos de seu DNA copiado (!?)
Bom… eu também tenho manias de viajante e, como um perfeito maníaco, vou colocá-las em uma lista (a primeira das minhas manias):

  • Adoro fazer listas (que são sempre lidas e relidas até o início da pauta seguinte);

  • Eu nunca confio no que está escrito no bilhete de embarque e tenho pavor em perder o avião. Por isso, confiro a tela de saídas de voos e portão de embarque a todo tempo. (Aliás eu já falei que chego sempre com umas cinco horas de antecedência no aeroporto?)

  • Nunca viajo na poltrona da janela. Remedinhos para dormir nunca foram meu forte e preciso estar sempre em movimento. (Talvez eu recorra à técnica da ioga da Uma Thurman, na próxima viagem);

  • Tenho uma necessidade (quase descontrolada) de caminhar no avião. Aquelas notícias sobre tromboses e outros entupimentos sanguíneos sempre me desesperaram;

  • Em tempos de espaços reduzidos em aeronaves, poltronas ao lado da saída de emergência são disputadas no tapa (ou na base da cobrança de tarifa extra). Pois eu abro mão da minha. Confesso que sempre me desesperou a ideia de esbarrar, sem querer, em alguma daquelas maçanetas e abrir a porta do avião em pleno voo;

saida de emergencia
– Não gosto de desembarcar aos domingos em uma cidade nova (acho que o tédio dominical tem poder duplicado quando chego a uma cidade desconhecida em dia de descanso);

  • Costumo guardar documentos de viagem e outros papéis importantes sempre no mesmo lugar da mochila;

  • Reviso, constantemente, se guardei documentos de viagem e outros papéis importantes no mesmo lugar da mochila;

  • Aliás, tenho medo de perder apenas duas coisas durante uma viagem a trabalho: o passaporte e o computador com todas as fotos já feitas das atrações (E nem adianta me sugerir fazer back-up fora de casa. Já carrego equipamento demais e as nuvens virtuais me causam tontura). Certa vez em um hostel na Austrália, houve um alarme falso de incêndio e fomos obrigados a deixar os quartos. Saí do meu com o laptop na mão e o passaporte no bolso, enquanto os outros saíam apenas de pijama e chinelos.

  • Acordo sempre duas horas antes de qualquer compromisso matutino durante viagens a trabalho (eu sempre acho que vou ter algum imprevisto durante o café da manhã);

Sim, todo viajante tem sua mania (no meu caso, muitas).
Umas são mais leves, outras com nível avançado de compulsão. Mas o que a gente tem em comum é a, indispensável, mania de sempre querer trocar de casa por alguns dias, colocar os pés na estrada e nos juntar a tantos outros viajantes cheios de manias mundo afora.
Salvar

8 Comentário

  1. Mas o turista mais chato é aquele que pensa que está na sua cidade e procura a melhor churrascaria da Thailandia, ou da Polonia, e depois fica criticando a qualidade da maionese.
    Alias, turista deveria ir subindo de categoria, pra fazer uma viagem ao Japão, deveria antes fazer um estagio internacional começando por Argentina, Chile, EUA e depois uma voltinha pela Europa. É comum pessoas fazerem a primeira viagem a Asia e ficarem tristes e bicudas por não terem comida de “qualidade”.

  2. kkkk adorei o post, quantas manias temos, né?
    Bom…no quesito lembrancinhas, sei que para alguns (a maioria rs) minha mania de comprar imãs é brega rs Pode até ser, mas não consigo deixar de lado, fazer o quê? kkkkk
    O importante é ser feliz e aproveitar a viagem da melhor maneira possível, com manias ou não…

  3. Adorei, Edu! TODOS, sem exceção, temos várias manias viajantes, é claro! Eu me encaixo super na freak que revisa se o passaporte está ok 12344566778 vezes, na loka do Instagram e também chego suuuuper antes do voo no aeroporto, na vibe “vai que”. E o novo visu do blog ficou lindo, viu? bj!

  4. Que legal o blog e o texto! Me identifiquei com algumas manias! Achei quase todas válidas. A Jennifer Lopez levar a própria roupa de cama…Antigamente eu levava meu travesseiro para tudo quanto é lugar, mas depois começou a ficar inviável por que ocupava espaço…Uma mania que acabou sendo vencida pelo cansaço!
    Mas o seu caso de sair do hostel com um lap top e o passaporte também é muito eu…Eu largaria tudo para atrás, mas pegaria esses dois itens!

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*