Uma semana em Buenos Aires (para quem já foi e para quem ainda vai)

por Eduardo Vessoni*

A capital da Argentina é daqueles lugares que quanto mais a gente visita, mais dá vontade de voltar.
Tem sempre um museu novo, uma exposição recém inaugurada, um tour temático interessante ou até algum atrativo tradicional para ser revisitado.
Neste roteiro exclusivo que preparamos, a cidade mais agitada da Argentina prova que nenhuma crise financeira é capaz de tirar o talento que a capital portenha tem para se renovar (ou manter as velhas tradições).
PRIMEIRO DIA
Para quem desembarca na cidade pela primeira vez, a sugestão é ir direto aos cartões postais obrigatórios de Buenos Aires.
Nada melhor do que começar por endereços como La Plaza de Mayo, o centro nervoso e histórico dos acontecimentos políticos mais importantes da Argentina, a Catedral Metropolitana, cuja fachada neoclássica abriga colunas em homenagem aos 12 Apóstolos, e o Obelisco, em plena avenida 9 de Julio.
Dica ‘Viagem em Pauta’: O Bus Turístico é aquele típico ônibus de dois pisos com o sistema “Hop-on Hop-off” e que permite embarcar e desembarcar em cada uma das atrações estabelecidos em duas rotas disponíveis. Os valores vão de $ 161 (24 horas) a $ 218 (48 horas) ou R$ 48 e R$ 59, respectivamente.

Bus Turístico (foto: turismo.buenosaires.gob.ar)
Bus Turístioco (foto: turismo.buenosaires.gob.ar)


SEGUNDO DIA
O roteiro segue pela zona sul de Buenos Aires, onde se localiza o turístico (porém obrigatório) bairro La Boca, antiga área marítima. Caminito, com suas casas coloridas revestidas de chapa de zinco, é o ponto de partida por este bairro que ganhou sua famosa rua de pedestres, nos anos 50, graças ao pintor Benito Quinquela Martín.
Procure ir nos finais de semana, quando há maior circulação de visitantes, pois os arredores do bairro não são recomendados para quem não é da região.
Aproveite para conhecer o Museo de la Pasión Boquense, localizado no famoso estádio do Boca Juniors, La Bombonera. Segundo os jornais ingleses The Observer e The Sun, ver ali uma partida entre Boca Juniors e River Plate é um dos 50 espetáculos esportivos que todo fã de futebol deve ver antes de morrer.

Museo de la Pasión Boquense (foto: museoboquense.com/Divulgação)
Museo de la Pasión Boquense (foto: museoboquense.com/Divulgação)

Outra atração imperdível em La Boca é a Usina del Arte, uma antiga usina de 1916 em estilo florentino transformada na primeira sala de Buenos Aires desenhada, exclusivamente, para espetáculos sinfônicos.
Usina del Arte (foto: Eduardo Vessoni)
Usina del Arte (foto: Eduardo Vessoni)

Ao lado de La Boca, estão localizados outros bairros obrigatórios da cidade como San Telmo Puerto Madero, o bairro vanguardista de Buenos Aires que transformou antigas docas em restaurantes.
Dica ‘Viagem em Pauta’: O Fuudis é um curioso tour de gastronomia social que leva pequenas grupos a almoçar ou jantar em endereços diferentes de um mesmo bairro. Esta é uma oportunidade única de provar o aperitivo, a entrada, o prato principal e a sobremesa em quatro estabelecimentos diferentes, durante uma mesma refeição.
As responsáveis pelo projeto organizam saídas a bairros como San Telmo, Palermos Soho e Hollywood, Puerto Madero e Villa Crespo.


TERCEIRO DIA
Com a cidade já explorada pelo viajante de primeiro desembarque, é hora de se dedicar a alguns museus de Buenos Aires.
Na nossa opinião, o Malba (Museo de Arte Latinoamericano), museu com um acervo de 400 obras de artistas latino-americanos do século 20, continua sendo o mais interessante de todas as opções da cidade. É ali que se encontra o brasileiríssimo ‘Abapuru’ de Tarsila do Amaral.

MALBA (foto: Divulgação)
MALBA (foto: Divulgação)

Outro destaque não muito longe dali é o Parque de la Memoria, local diante do Rio da Prata que homenageia os mortos e desaparecidos durante a ditadura militar argentina.
Dica ‘Viagem em Pauta’: Milla de los Museos é um roteiro cultural autoguiado que vai de Palermo a Retiro e inclui espaços de exposição como o Museo Evita e o Museo Nacional de Bellas Artes.


QUARTO DIA
Hoje é dia de conhecer o setor norte de Buenos Aires, onde se localizam outros ícones não só da cidade como de toda a Argentina..
Comece pelo Cementerio de La Recoleta, o famoso cemitério que guarda os restos mortais de Eva Perón e que abriga diversas construções declaradas Monumento Histórico Nacional, e siga poucos metros até a Basílica Nuestra Señora del Pilar, uma obra jesuítica de 1732.

Basílica Nuestra Señora del Pilar (foto: turismo.buenosaires.gob.ar/Divulgação)
Basílica Nuestra Señora del Pilar (foto: turismo.buenosaires.gob.ar/Divulgação)

Para continuar a rota com tons religiosos, visite também o Parque Temático Tierra Santa, que reconta 20 séculos da história cristã da Humanidade, ou tome o ônibus turístico que passa por quatro bairros de Buenos Aires relacionados com a vida do Papa Francisco, argentino nascido no bairro de Flores. Saiba mais sobre o roteiro papal.
Dica ‘Viagem em Pauta’: Experimente o jantar a portas fechadas do Casa Coupage, considerado o primeiro restaurante de sommeliers da Argentina. Localizado em Palermo, no interior da própria residência da família do sommelier Santiago Mymicopulo, o restaurante com apenas nove mesas oferece um longo e prazeroso jantar de oito pratos harmonizados com nove diferentes tipos de vinhos que fazem o jantar fazer sentido até para quem não entende nada de vinhos.
Não há placas do lado de fora e e necessário fazer reserva com antecedência.

Casa Coupage (foto: Divugação)
Casa Coupage (foto: Divugação)


QUINTO DIA
E lá se vai quase uma semana de boa gastronomia e muito vinho na capital argentina. Por isso talvez seja hora de começar a pensar em fazer exercícios, nem que sejam breves caminhadas pelos endereços verdes de Buenos Aires.
Confira a seleção de parques e outras áreas verdes da cidade no link.
Um dos nossos endereços  preferidos é a Reserva Ecológica Costanera Sur, uma área de 350 hectares, em pleno centro financeiro de Buenos Aires e com trilhas até o Rio da Prata.

 Reserva Ecológica Costanera Sur (foto: turismo.buenosaires.gob.ar/Divulgação)
Reserva Ecológica Costanera Sur (foto: turismo.buenosaires.gob.ar/Divulgação)

Dica ‘Viagem em Pauta’: Palermo é considerada a maior área verde de Buenos Aires e abriga rotas para fãs do ciclismo. O Circuito Cultural en dos Ruedas possui programas guiados que podem ser feitos a bordo de bicicletas elétricas. Os tours duram duas e percorrem nove km da cidade.As saídas são aos sábados, domingos e feriados e a reserva deve ser feita no Planetario Galileo Galilei. 
Valor por pessoa: $ 88 (R$ 23 por pessoa, aproximadamente).
Bicicletas em Buenos Aires (foto: Divulgação)
Bicicletas em Buenos Aires (foto: Divulgação)


SEXTO DIA
A viagem vai chegando ao final e, como todo bom viajante brasileiro, é hora de encher as malas (e as sacolas também).
Dona de 16 shoppings, como a cara Galerias Pacifico conhecido por sua cúpula pintada, a cidade abriga outlets como os de Palermo,. Villa Crespo e Belgrano; e as imperdíveis feiras de ruas que acontecem nos finais de semana como a do Caminito, em La Boca, e a autêntica Feria de Plaza Dorrego, em San Telmo, com seus antiquários e barracas de objetos antigos capazes de fazer o visitante perder-se por horas.
Dica ‘Viagem em Pauta’: O Wine Tour Urbano é um curioso roteiro em que o participante recebe uma taça e faz um roteiro autoguiado de degustação de vinhos em doze locais diferentes estabelecidos em um mapa entregue pela empresa.
Em cada uma das paradas, que ficam em um raio de no máximo 300 metros, o viajante etílico é recebido por um sommelier que dá explicações  sobre cepas e aromas, e ainda ajuda a planejar a próxima parada.
O tour é mensal, das 19h às 22h, e acontece em diferentes endereços da cidade, de acordo com a época do ano. ($200 pesos argentinos ou R$ 54, aproximadamente).


SÉTIMO DIA
E no sétimo dia… o viajante descansou e aproveitou as últimas horas em terras portenhas para arrumar a mala e dar aquela organizada nas compras feitas no dia anterior!!!
A propósito: para voltar ao aeroporto, utilize os excelentes serviços de remis, uma espécie de carro particular com motorista, cuja corrida tem valor fechado.
Em tempos de golpes constantes de motoristas de táxis, essa ainda é a opção mais segura. Uma das empresas mais tradicionais da cidade é a Manuel Tienda León, que também opera ônibus e táxis coletivos
Do terminal de Puerto Madero ao aeroporto de Ezeiza, por exemplo, a viagem de ônibus custa $ 120 (R$ 32, aproximadamente). Já o serviço de remis sai por $410 (R$ 111, aproximadamente).
SITE DE TURISMO DE BUENOS AIRES
www.turismo.buenosaires.gob.ar

 
* Este post foi preparado a partir de pesquisas no site de turismo oficial de Buenos Aires e das experiências do jornalista Eduardo Vessoni. na capital da Argentina.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*