Monumentos esculpidos em chocolate são nova atração de Gramado

Quando Gramado parece dar sinais de cansaço, com seu turismo de massa que entope ruas estreitas em datas festivas como Páscoa e Natal, essa cidade da Serra Gaúcha se reinventa e prova, mais uma vez, porque levou o título de “o melhor destino de viagem do Brasil”, segundo o site TripAdvisor.
Inaugurado na última sexta-feira (27 de março), o Parque Mundo de Chocolate é um espaço de três mil m² que abriga réplicas de monumentos do mundo esculpidos com a mais cobiçada das invenções alimentícias dos últimos séculos.
É como circular em aromáticas salas temáticas onde construções como o Cristo Redentor do Rio de Janeiro, a francesa Torre Eiffel e as pirâmides do Egito se exibem em generosas barras de chocolate esculpidas.
E não é pouco.
Para essa empreitada, concluída em tempo recorde de menos de três meses, foram usadas 20 toneladas de chocolate divididas em 200 imensas barras da matéria prima, aproximadamente. O trabalho foi encabeçado por seis especialistas confeiteiros que estiveram envolvidos na pesquisa e no desenho das peças, um trabalho que chegou a consumir, na reta final, 20 horas diárias.

Mundo do Chocolate, em Gramado (foto: Eduardo Vessoni)
Mundo do Chocolate, em Gramado (foto: Eduardo Vessoni)

A Torre Eiffell, atração da capital francesa que ganhou uma versão no parque, pesa 800 kg e foi construída com chocolate 70% de cacau.
Na sala ao lado, onde estão monumentos asiáticos, o Buda da Riqueza sorri carismático para os visitantes com seus 80 quilos de chocolate amargo e 80 centímetros de altura, um trabalho que levou 60 horas para ser concluído.
Outro trabalho que impressiona é a escultura do deus egípcio Anúbis, uma peça de 350 quilos de chocolate amargo e corante alimentício em pó dourado com dois metros de altura.
E de sala em sala, o visitante vai tendo ainda mais vontade de meter a boca em atrações como o Monte Rushmore e a Casa Branca, a Plaza de Toros de Madri, o Taj Mahal e até o carro do Mr. Bean (?), um veículo inteiro de chocolate, uma obra de 2,5 toneladas – a mais pesada de todo o acervo.
“Para nós foi um sonho participar desse projeto”, confessa o confeiteiro Fernando de Oliveira. E para quem visita essa espécie de Fantástica Fábrica de Chocolate sem Willy Wonka também.
Mundo do Chocolate, em Gramado (foto: Eduardo Vessoni)
Mundo do Chocolate, em Gramado (foto: Eduardo Vessoni)

O local conta ainda com um canal feito com chocolate quente que corre sobre uma gôndola (de chocolate, claro) como as de Veneza, na Itália, e uma impressionante sala que simula uma selva africana com animais como elefante, girafa e macaco (que a gente nem precisa falar do que são feitos, né?).
Expostos em um ambiente climatizado entre 18 e 21 graus, os trabalhos foram feitos com chocolate 70% de cacau por serem mais resistentes ao calor e foram pintados com manteiga de cacau, corante comestível e com o próprio chocolate, de modo que as peças apresentassem tons mais brilhantes.
“Estes trabalhos foram um mundo descoberto no próprio parque. A gente domina as técnicas do chocolate e a partir daí é que entra a criatividade”, descreve Abner Ivan, outro especialista responsável pelas esculturas.
Considerado o primeiro do gênero na América Latina, o parque foi criado pela Lugano, fábrica de chocolates artesanais que atua em Gramado desde 1976.
E já que você está em terras serranas, dá também para fazer uma degustação a cegas e visitar o Museu do Vinho, em Bento Gonçalves.
SAIBA MAIS
Parque Mundo de Chocolate
Avenida Borges de Medeiros, 2497 (no centro de Gramado/RS)
Diariamente, das 9h às 22h
Entrada: R$ 28 (meia entrada para estudantes e maiores de 60 anos)
www.chocolatelugano.com.br
Quem leva
Liga Receptivo
www.portalliga.com.br

Sobre o chocolate de Gramado

A gaúcha Gramado começou a fazer chocolates comerciais, em 1975, quando Jaime Prawer fundou a empresa Prawer com chocolates artesanais que saiam do modelo convencional que era encontrado na época.
Atualmente com 40 fábricas, entre elas a própria Prawer, Lugano (responsável pelas esculturas), Planalto e Caracol, a cidade de Gramado é responsável por uma produção anual que varia de 1.500 a 2.000 toneladas, das quais 50% são comercializados no destino e o restante é enviado para outras cidades do Brasil.
“A fama do chocolate de Gramado vem do clima da região e da forma de apresentar os produtos nas lojas. Este já é um símbolo da cidade”, descreve Caio Tomazelli, diretor de chocolates premium da Abicabi (Associação Brasileira das Indústrias de Chocolate, Cacau, Balas e Derivados).
Segundo estatísticas divulgadas pela própria instituição, o Brasil produziu 800 mil toneladas de chocolates, em 2013.
(* o Viagem em Pauta viajou a Gramado com o apoio da agência Mercatus e do Hotel Continental Canela)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*