Confira os melhores destinos do Brasil para conhecer no outono

A massa de turistas que entopem os destinos nacionais mais populares já passou, o sol não castiga mais os viajantes, as chuvas dão uma trégua em quase todo o Brasil  e as temperaturas amenas convidam para cair, novamente, na estrada.
Faltaram argumentos? Então acrescente também fatores como a baixa temperatura e os tradicionais descontos oferecidos em hotéis e agências.
O outono chegou, no último fim de semana, e para celebrar a data o Viagem em Pauta selecionou destinos no Brasil que são a cara da estação.
LEIA TAMBÉM: “Confira os melhores destinos brasileiros para visitar nos próximos feriados”
Confira os melhores destinos do Brasil para conhecer no outono:
PARATY

Vista do casario histórico de Paraty (foto: Otávio Nogueira/Flickr-Creative Commons)
Vista do casario histórico de Paraty (foto: Otávio Nogueira/Flickr-Creative Commons)

Entre maio e agosto, essa cidade histórica do Rio do Janeiro já não recebe tantas chuvas como em outros períodos do ano e o destino é palco de eventos concorridos como a Festa do Divino, no Dia de Pentecostes (50 dias após o domingo de Páscoa), e a FLIP, Festa Literária Internacional de Paraty que acontece em julho, já na temporada de inverno.
Além de seu protegido centro histórico tombado pelo IPHAN como Patrimônio Nacional, o destino tem acesso a cachoeiras e atrações como Trindade, vila de pescadores a 30 km de Paraty, e o Saco do Mamanguá, uma entrada de mar com 8 km de extensão formada por  mais de 30 praias e mangues preservados.
LEIA TAMBÉM: “Veleiro em Paraty pode ser mais econômico do que diária de pousada”
CIRCUITO DAS ÁGUAS
Vista de Águas de Lindoia, no Circuito das Águas, em São Paulo (foto: circuitodasaguaspaulista.sp.gov.br)
Vista de Águas de Lindoia, no Circuito das Águas, em São Paulo (foto: circuitodasaguaspaulista.sp.gov.br)

Localizada na Serra da Mantiqueira, no interior de São Paulo, essa rota é formada pelas cidades de Amparo, Serra Negra, Socorro, Águas de Lindoia, Lindoia, Jaguariúna e Pedreira.
É nessas estâncias hidrominerais que viajantes encontram opções que vão desde o balneário projetado por Burle Max, em Águas de Lindoia, até prática de esportes radicais em destinos de ecoturismo como Socorro. SAIBA MAIS
CIDADES HISTÓRICAS DE MINAS
Ouro Preto, em Minas Gerais, um dos destinos recomendados para abril (foto: Embratur/Divulgação)
Ouro Preto, em Minas Gerais, um dos destinos recomendados para conhecer durante o outono (foto: Embratur/Divulgação)

As chuvas dão uma trégua também nas regiões Sul e Sudeste, onde é possível conhecer as Cidades Históricas de Minas, cujos destinos mais populares são Ouro Preto e Tiradentes.
Outra opção mineira é a Serra do Cipó, pois no outono as chuvas não atrapalham mais os passeios e ainda há bastante verde na paisagem, cujos destaques são cachoeiras e grutas.
CHAPADAS
Vista da queda de 120 metros do Salto do Rio Preto I, na Chapada dos Veadeiros, em Goiás (foto: Eduardo Vessoni)
Vista da queda de 120 metros do Salto do Rio Preto I, na Chapada dos Veadeiros, em Goiás (foto: Eduardo Vessoni)

Poucas chuvas e temperaturas mais amenas favorecem também uma viagem para o Parque Nacional do Veadeiros, declarado Patrimônio Natural Mundial pela UNESCO.
Localizado em Goiás, entre Alto Paraíso e Cavalcante, esse parque possui 65 mil hectares de cerrado e é destino popular para quem procura aventura em trilhas e cachoeiras da região.
Entre as atrações naturais mais procuradas estão as trilhas de acesso aos saltos I e II do Rio Preto, na Vila de São Jorge; e as cachoeiras Almécegas I e II, em Alto Paraíso, onde está uma das quedas mais altas da região.
A Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso, é também um bom destino nessa época, pois faz menos calor por ali e ainda dá para aproveitar a cheia dos rios para curtir as cachoeiras. Já na Bahia, a Chapada Diamantina é outro endereço recomendado para essa temporada, devido às poucas chuvas na região.
LEIA TAMBÉM: “Chapada dos Veadeiros abriga trilhas alternativas por cachoeiras e piscinas naturais”
PANTANAL
Jacaré observado em passeio pelo Pantanal mato-grossense, destino indicado para maio (foto: Tambako The Jaguar/Flickr-CreativeCommons)
Jacaré observado em passeio pelo Pantanal mato-grossense, destino indicado para maio (foto: Tambako The Jaguar/Flickr-CreativeCommons)

O período da vazante dos rios, entre maio e setembro, é o mais indicado para visitar a região. É nessa época que os animais dão as caras como jacarés, aves e onças.
Localizado entre os estados do Mato Grosso do Sul e o Mato Grosso, esse ecossistema com quase 140 mil km² é um dos maiores territórios úmidos do mundo e sua diversidade animal lhe rendeu o título de Patrimônio Natural Mundial e Reserva da Biosfera pela UNESCO.
JALAPÃO
Fervedouro do Soninho, no Jalapão (foto: Eduardo Vessoni)
Fervedouro do Soninho, no Jalapão (foto: Eduardo Vessoni)

Antigo destino de tropeiros que seguiam em direção ao centro do Brasil, essa região escondida do Tocantins tem entrado na lista de lugares exóticos a serem visitados por brasileiros.
Dizem que o Jalapão, a 180 quilômetro da capital Palmas, é visitável o ano inteiro, mas é entre maio e setembro que as chuvas dão uma trégua, as noites são mais frescas (entre 13° e 20º) e as atrações naturais estão perfeitas para prática de atividades como trilhas, navegação dos rios e banho nas cachoeiras de águas mais transparentes.
CURITIBA
Jardim Botânico de Curitiba (foto: Eduardo Vessoni)
Jardim Botânico de Curitiba (foto: Eduardo Vessoni)

Centro histórico compacto, boa gastronomia e área verde abundante (64,5 m² por habitante, segundo dados oficiais) já são suficientes para visitar a capital do Paraná em qualquer época do ano.
Mas é no outono que as altas temperaturas dão uma trégua antes da chegada dos meses frio de inverno.
SERRA GAÚCHA
Bondinhos aéreos de Canela, na Serra Gaúcha (foto: Eduardo Vessoni)
Bondinhos aéreos de Canela, na Serra Gaúcha (foto: Eduardo Vessoni)

Gramado, Canela, Bento Gonçalves, São Francisco de Paula e Nova Petrópolis são alguns dos destinos que merecem uma visita nessa região serrana do Rio Grande do Sul.
Enquanto Gramado é o endereço para ver e ser visto, a vizinha Canela é o lugar para estar do lado de fora, cuja atração mais conhecida é a Cascata do Caracol, uma queda d’água de 131 metros de altura.
Já Nova Petrópolis e São Chico, como São Francisco de Paula também é conhecida, fazem partem da Rota Romântica, roteiro que de 14 cidades que homenageia a cultura germânica trazida por imigrantes.
LEIA TAMBÉM: “Conheça opções de atrações para ver a Cascata do Caracol, na Serra Gaúcha”
BELÉM
Passeio Furos & Igarapés, em Belém (foto: Eduardo Vessoni)
Passeio Furos & Igarapés, em Belém (foto: Eduardo Vessoni)

O verão paraense vai de maio a outubro, meses da temporada seca no estado.
Belém é, de longe, a versão melhor estruturada da Amazônia turística, onde os serviços funcionam e os preços não são abusivos.
Gastronomia de autor que reúne regionalismo e cozinha internacional sem afetação; pequenos museus de acervo discreto e cenografia caprichada; rituais religiosos que conseguem unir todas as crenças; passeios fluviais sinceros que pouco se parecem às versões engana-turistas de outros destinos brasileiros da Amazônia, em que indígenas se fantasiam de índios para delírio da gringaiada; e uma floresta amazônica que fica bem ali na porta de casa.
LEIA TAMBÉM: “Belém, capital do Pará, comemora 400 anos com o melhor do turismo amazônico”
MANAUS
Final de tarde na Amazônia (foto: Eduardo Vessoni)
Final de tarde na Amazônia (foto: Eduardo Vessoni)

Uma boa pedida para essa época é conhecer a capital do Amazonas, que apesar das altas temperaturas, é destino para quem quer conhecer uma das principais florestas tropicais do planeta.
Em junho, por exemplo, pode-se navegar entre igapós e igarapés, visitar cachoeiras e nadar em praias fluviais.
LEIA TAMBÉM: “Com quantas letras se faz um cruzeiro literário na Amazônia?”

CONFIRA FOTOS DOS DESTINOS

  • Vista do casario histórico de Paraty (foto: Otávio Nogueira/Flickr-Creative Commons)
    Vista do casario histórico de Paraty (foto: Otávio Nogueira/Flickr-Creative Commons)

  • Vista de Águas de Lindoia, no Circuito das Águas, em São Paulo (foto: circuitodasaguaspaulista.sp.gov.br)
    Vista de Águas de Lindoia, no Circuito das Águas, em São Paulo (foto: circuitodasaguaspaulista.sp.gov.br)

  • Ouro Preto, em Minas Gerais, um dos destinos recomendados para abril (foto: Embratur/Divulgação)
    Ouro Preto, em Minas Gerais, um dos destinos recomendados para abril (foto: Embratur/Divulgação)

  • Vista da queda de 120 metros do Salto do Rio Preto I, na Chapada dos Veadeiros, em Goiás (foto: Eduardo Vessoni)
    Vista da queda de 120 metros do Salto do Rio Preto I, na Chapada dos Veadeiros, em Goiás (foto: Eduardo Vessoni)

  • Jacaré observado em passeio pelo Pantanal mato-grossense, destino indicado para maio (foto: Tambako The Jaguar/Flickr-CreativeCommons)
    Jacaré observado em passeio pelo Pantanal mato-grossense, destino indicado para maio (foto: Tambako The Jaguar/Flickr-CreativeCommons)

  • Fervedouro do Soninho, no Jalapão (foto: Eduardo Vessoni)
    Fervedouro do Soninho, no Jalapão (foto: Eduardo Vessoni)

  • Jardim Botânico de Curitiba (foto: Eduardo Vessoni)
    Jardim Botânico de Curitiba (foto: Eduardo Vessoni)

  • Bondinhos aéreos de Canela, na Serra Gaúcha (foto: Eduardo Vessoni)
    Bondinhos aéreos de Canela, na Serra Gaúcha (foto: Eduardo Vessoni)

  • Passeio Furos & Igarapés, em Belém (foto: Eduardo Vessoni)
    Passeio Furos & Igarapés, em Belém (foto: Eduardo Vessoni)

  • Final de tarde na Amazônia (foto: Eduardo Vessoni)
    Final de tarde na Amazônia (foto: Eduardo Vessoni)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*