10 destinos do Sul perfeitos para a temporada de inverno

Se você chegou até esse texto procurando dicas de atrações em Gramado, é melhor parar a leitura por aqui mesmo.

Não podemos negar que o principal destino da Serra Gaúcha é um dos endereços nacionais com melhor estrutura para receber visitantes, além de ter uma certa cenografia que tenta aproximar o Brasil da Europa.

Mas o Viagem em Pauta não quer ver você esquiando dentro de um galpão com neve artificial nem gastando os tubos para comer uma sequência de fondue ou chocolates de gosto questionável.

O Sul, mesmo em dias de frio, é um convite para estar do lado de fora, entre vinhedos, serras e montanhas. Nem que para isso, a gente precise exagerar nas roupas e acessórios de inverno.

Confira nossa seleção com 10 destinos do Sul que são perfeitos para a temporada de inverno:

PARANÁ

Morretes

foto: Eduardo Vessoni
foto: Eduardo Vessoni

A 380 km de São Paulo, essa cidade histórica do Paraná é uma das mais antigas do estado e guarda um bem conservado casario colonial, às margens do rio Nhundiaquara.

Programe-se para chegar próximo ao horário do almoço e, após uma volta sem roteiro definido pelo centro histórico, prove o regional ‘barreado’, prato de origem cabocla em que a carne é cozida em panela de barro vedada com farinha de mandioca por mais de 12 horas.

Estrada da Graciosa

foto: Eduardo Vessoni
foto: Eduardo Vessoni

Com quase 30 km de extensão, a PR-410 começou a ser construída em 1854 como caminho colonial e, atualmente, cruza uma das áreas de Mata Atlântica em melhor estado de preservação em todo o Brasil.

Suas curvas sinuosas ainda abrigam alguns trechos de paralelepípedos, por isso tire o pé do acelerador e aproveite para visitar um dos sete mirantes com vista panorâmica da Serra do Mar, onde se localizam também os quiosques que vendem a famosa coxinha de aipim.

SANTA CATARINA

Urubici

Morro da Igreja e Pedra Furada, na Serra Catarinense (foto: Otávio Nogueira/Flickr-Creative Commons)
Morro da Igreja e Pedra Furada, na Serra Catarinense (foto: Otávio Nogueira/Flickr-Creative Commons)

Vales profundos, montanhas recortadas por estradas estreitas e um dos climas mais frios do Brasil recebem os viajantes em uma das paradas mais impactantes de todo o Sul.

Localizada a 165 km de Florianópolis, na Serra Catarinense, a região ficou conhecida pelos 17,8° negativos registrados, em 1996.

O destino abriga atrações como o Morro da Igreja, no Parque Nacional de São Joaquim, onde se encontra a Pedra Furada, uma rocha com uma fenda central de 30 metros de diâmetro; e a Serra do Corvo Branco, uma sequência de montanhas que fazem divisa com o município de Grão-Pará, a 1.150 metros de altitude, e abriga a maior fenda em uma rocha arenítica de todo o Brasil.

Serra do Rio do Rastro
Mais uma vez a estrada é a protagonista do roteiro.

Comece a impressionante descida de 73 km a partir de Urubici pelas SC-430 e SC-438. Antes de se lançar nas curvas da SC-438, faça uma parada no Mirante da Serra para observar do alto a estrada que risca aquelas montanhas em direção ao nível do mar.

Vale Europeu
Esse roteiro de 49 municípios catarinenses, como Blumenau, Pomerode e Nova Trento, é uma homenagem às culturas europeias que desembarcaram na região, como a italiana e alemã.

Ecoturismo, santuários religiosos e festas típicas são os destaques. Em julho, a região recebe mais uma edição das travessias de 8 dias, feitas com bicicleta pela Rota Enxaimel, vinícolas, cachoeiras e grutas. Saiba mais

RIO GRANDE DO SUL

Reserva Ecológica do Taim
Esta área preservada de 34 hectares, entre a Lagoa Mirim e o Atlântico, no extremo sul do Brasil, é habitat de aves migratórias, jacaré-de-papo-amarelo, cisne-de-pescoço-preto e capivaras. Fechado para visita pública com fins turísticos, o local serve de bela paisagem para quem cruza a região rumo ao extremo sul.

LEIA TAMBÉM: “Buenos Aires: para ir de carro”

Ciclistas nos "Caminhos de Pedra", em Bento Gonçalves (foto: Eduardo Vessoni)
Ciclistas nos “Caminhos de Pedra”, em Bento Gonçalves (foto: Eduardo Vessoni)

Em Bento, o fogão nunca desliga e as barricas seguem maturando vinhos.
Capital Nacional do Vinho, essa cidade a 124 km de Porto Alegre é porta de entrada para o Vale dos Vinhedos, considerada a primeira região do Brasil a contar com selo de Indicação Geográfica e Denominação de Origem (DO), onde o visitante encontra diversas experiências inusitadas de enoturismo como piqueniques nos parreirais, colheitas noturnas de uvas e até roteiros de bicicletas.

LEIA TAMBÉM: “10 sugestões de experiências inusitadas na Serra Gaúcha”

Canela
Ofuscada pela fama da vizinha Gramado, a apenas 7 km de distância, a simpática Canela tem provado que vai (bem) além de chocolates e fondues.

Com atrações que garantem programação para todo o período de estadia, o destino é lugar para estar do lado de fora.

Véu da Noiva, em Canela (foto: Eduardo Vessoni)
Cascata do Caracol, em Canela (foto: Eduardo Vessoni)

Destaques para a trilha aos pés da Cascata do Caracol, uma descida pelos 927 degraus até o pé da cascata; o cenográfico Parque da Ferradura, conhecido pelo vale circundado pelo rio Caí que dá nome à atração; e o Parque Municipal do Pinheiro Grosso, que abriga uma araucária de 42 metros de altura com mais de 700 anos.

São Francisco de Paula
Com pouco mais de 20 mil habitantes, São Chico abriga o Parque das 8 Cachoeiras, uma área verde de 130 hectares com trilhas bem sinalizadas e diferentes níveis de dificuldade.

Como não poderia ser diferente em terras gaúchas, o destino se apega às tradições e mostra seu passado em endereços como a arborizada avenida Júlio de Castilhos, onde se localiza o Monumento do Negrinho do Pastoreio, uma homenagem aos tropeiros que povoaram São Francisco de Paula; e o Monumento à Cuia, de onde é possível retirar água a 80° para preparar chimarrão.

Rota cervejeira

Cervejaria Farol, em Canela (foto: Eduardo Vessoni)
Cervejaria Farol, em Canela (foto: Eduardo Vessoni)

Entre chocolates, panelinhas fumegantes de fondue e vinhos produzidos em terras vizinhas, a Serra Gaúcha vem ganhando destaque em um setor impensável, há 15 anos: a cerveja artesanal.

Destinos como Gramado, Canela e Nova Petrópolis contam com esse roteiro temático, em que os visitantes conhecem e provam cervejas artesanais fabricadas na região.

Cervejas dos tipos Weiss, Pale Ale e Dunkel podem ser provadas em endereços como a Edelbrau (Nova Petrópolis), Rasen (Gramado) e a Cervejaria do Farol (Canela).

SAIBA MAIS: “3 cervejarias artesanais que valem a pena conhecer, na Serra Gaúcha”

4 Comentário

  1. “Não podemos negar que o principal destino da Serra Gaúcha é um dos endereços nacionais com melhor estrutura para receber visitantes, além de ter uma certa cenografia que tenta aproximar o Brasil da Europa.”
    Poderia ter sobrevivido sem essa não acha? Também acho que Gramado e Canela parecem cenográficas, mas o são de tão organizadas e perfeitas mesmo, longe da bagunça tipicamente brasileira, das calçadas e ruas despedaçadas, dos postes de madeira que caem em qualquer vendaval, das pichações e animais de rua que empesteiam tudo. Em Gramado a educação vem antes de tudo: significa florir os espaços, deixar tudo sempre limpo (incluindo banheiros públicos que chegam a ser mais limpos que a de shoppings luxuosos) e no seu devido lugar, não gritar como louco pelas ruas, respeitar a faixa de pedestres e demais sinalizações… Gramado é o que toda cidade brasileira deveria ser, ponto, pode parecer cenográfico e artificial pra quem vem de fora, mas para um europeu ou norte-americano, não seria nada de outro mundo, uma vez que a cultura gramadense e canelense nada mais é do fruto da colonização europeia, que não foi influenciada pela cultura brasileira.
    “Mas o Viagem em Pauta não quer ver você esquiando dentro de um galpão com neve artificial nem gastando os tubos para comer uma sequência de fondue ou chocolates de gosto questionável”.
    Dentro de um galpão com neve artificial? Gramado tem INÚMERAS atrações por toda cidade, tem o Mini-Mundo, os museus de Chocolate, Le Jardim, Aldeia do Papai-Noel, o Lago Negro e a própria neve (a de verdade) quando surge, além do Belvedere e as vinícolas que começam a pipocar por lá. Chocolates de gosto questionável? Lugano, Prawer e outras marcas de chocolate artesanal possuem filiais em todo país e se fossem ruins não fariam este sucesso todo, portanto, menos, bem menos.
    Excluir cidades tradicionais de inverno podem ser feitas sem depreciá-las em detrimento de outras. Pecou um pouco por este lado!

  2. Gramado e têm mais de 40 atrações para todos os gostos e idades seja público masculino ou feminino. O sulacontece.com traz diversas dessas atrações interessantes e bastante da gastronomia local.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*