Cinco roteiros turísticos para fazer, a partir de Maceió, capital de Alagoas

Não tem como escapar. Onde você for, sempre vai ter uma praia exibida de tons que vão do turquesa aos que a gente nem consegue classificar.

Com 230 km de extensão, o litoral de Alagoas tem opções que vão de praias urbanas a endereços isolados.

Maceió é a porta de entrada, um dos raros destinos nordestinos que contam com praias únicas, em plena capital.

A partir dali, é possível seguir rumo aos litorais norte e sul do estado, onde visitantes chegam a locais como a pouco frequentada Praia do Marceneiro e a de Antunes, na Costa dos Corais.

SAIBA MAIS: 
“Aos 200 anos, capital de Alagoas tem uma das melhores orlas urbanas do Nordeste”

Confira roteiros

⇒ PONTAL DA BARRA

É no litoral sul de Maceió que se concentram as famosas bordadeiras de filé, trabalho que tem inspiração no trançado das redes de pescadores locais e origem em Minho, província de Portugal.

Bordado de filé, em Pontal da Barra, no litoral sul de Maceió (foto: Eduardo Vessoni)

Patrimônio Cultural Imaterial de Alagoas, essas peças de tons fortes podem ser encontradas em lojas de rua de Pontal da Barra.

IMPERDÍVEL: Não deixe de fazer o “Passeio das 9 Ilhas” ou terminar o dia com o pôr do sol sobre a Lagoa Mundaú.

Lagoa Mundaú, no litoral sul de Maceió (foto: Eduardo Vessoni)

⇒ PRAIA DO GUNGA

A 49 km de Maceió, no município de Roteiro, essa é uma das praias mais belas do litoral brasileiro, em uma ponta de areia branca, recortada por coqueiral denso, que separa o oceano Atlântico e a Lagoa do Roteiro.

Praia do Gunga, a 49 km de Maceió, no município de Roteiro (foto: Eduardo Vessoni)

Apesar da (dispensável) sequência de barracas e cadeiras que destoa daquele cenário de mar esverdeado e coqueiros, a praia é equipada com opções como passeios de bugue, flyboat e paramotor.

Praia do Gunga tem experiências que elevam o nível de adrenalina

IMPERDÍVEL: O Mirante do Gunga tem pontos de observação, em dois níveis diferentes de altura, de onde é possível ver o encontro da Lagoa do Roteiro com o mar e a cenográfica sequência de coqueiros.

MIrante do Gunga, no litoral sul de Alagoas (foto: Eduardo Vessoni)

⇒ MARAGOGI

Destino de quem faz bate e volta, a partir de Maceió, a região merece ser visitada sem pressa e pede, ao menos, duas noites na cidade.

Maragogi, em Alagoas (foto: Eduardo Vessoni)

Localizado no litoral norte de Alagoas, em um ponto equidistante entre Recife e Maceió, a região é uma das mais visitadas do estado, depois da capital Maceió. Maragogi é dona das maiores barreiras de corais do Brasil, possui uma das melhores visibilidades marinhas do Brasil e se orgulha de ser considerada o Caribe brasileiro.

VEJA ROTEIRO: 
“Passeio de bugue em Maragogi é experiência única do litoral de Alagoas”


IMPERDÍVEL: 
Não deixe de fazer o passeio de bugue, entre os litorais norte e sul dessa que é a principal porta de entrada para a Costa dos Corais, destino que abriga 130 km de praias.

Praia de Antunes, no litoral norte de Maragogi (foto: Eduardo Vessoni)

⇒ ROTA ECOLÓGICA

Há tempos que essa rota não é novidade para viajantes em busca de tranquilidade (que o diga destinos já descobertos como São Miguel dos Milagres e Porto de Pedras, onde fica a Praia do Patacho).

Pousada Marceneiro, em Passo de Camaragibe, na Rota Ecológica (foto: Eduardo Vessoni)

De acordo com a temporada, ainda é possível ver jangadas rústicas que seguem em direção a piscinas naturais recortadas por corais e caminhar por quilômetros sem encontrar nenhum outro turista com uma piscina inteira só pra você.

LEIA TAMBÉM: 
“Cinco praias de Alagoas que você não pode deixar de visitar”

IMPERDÍVEL: É na Praia do Marceneiro, em Passo de Camaragibe, que o visitante se sente único em terras ainda pouco exploradas, onde as piscinas naturais são mais vazias e seu isolamento deu origem a hotéis boutique com poucos quartos.

Piscinas naturais da Praia do Marceneiro, em Alagoas (foto: Eduardo Vessoni)

CARRO QUEBRADO

A 40 km de Maceió, no município de Barra de Santo Antônio, no litoral norte de Alagoas, essa praia de seis quilômetros de extensão é recortada por falésias e conta com algumas poucas barracas decoradas com carcaças de automóveis – em referência aos automóveis de banhistas desavisados que ficaram presos com a subida da maré.

Carro Quebrado (foto: Eduardo Vessoni)

Os únicos acessos são pelo mar, cujos barcos partem de Paripueira (nos finais de semana, são quatro embarques diários); ou de carro, seguindo pelas estradas AL-105 e AL-101, em direção a Pernambuco

IMPERDÍVEL: De carro, o viajante chega a destinos com talento natural para virar paraíso. A viagem com automóvel próprio é mais recomendado para quem quer ver toda aquela belezura cênica do alto, a partir de mirantes naturais que se debruçam sobre as falésias.

Em alguma estrada para Carro Quebrado (foto: Eduardo Vessoni)

LEIA TAMBÉM: “[crônica] Carro Quebrado”

3 Comentários

  1. Faltou mencionar a rota dos esgotos, já que a cidade de Maceió ostenta DOCE ESGOTOS que despejam sujeira e contaminação as 24 horas do dia. Também as praias de Maragogi não são adecuadas para o banho porque tem o mesmo problema com mais matéria fecal que banheiro publico. Por último a lagoa Mundaú e um deposito de contaminação que já acabou com toda a vida aquática nela. Outra opção e a emoção de escalar as montanhas de lixo e plástico na orla de Jaraguá e apreciar o avistagem dos urubus que dominan a zona. Logicamente tudo isto corre em sigilo por parte da prefeitura local que so pinta os mediofios para justificar a cobrança de impostos. Alguma duvida: entre no site do IMA (Instituto do meio ambiente de Alagoas) e decida se quer arriscar a saúde nesta cidade; a descisão e sua.

  2. Maceió é isso e muito mais. Areias claras, finas e macias são um convite para por os pés na praia e ir correndo até um banho nas águas aquecidas de suas praias.

  3. Concordo plenamente com seu comentário Miguel, era um sonho visitar Maceió, mas ao chegar até a praia e me deparar com aquele cheiro de esgoto, pior foi passear pela ORLA INTEIRA e ver que corria a céu aberto.Foi decepcionante para nossa família. Então para que nossa viagem não fosse tão frustrante decidimos fazer passeios diários para fora da cidade em praias bem afastadas,que se tornaram bastante cansativo e dispendiosos já que estávamos com criança era um risco à saúde de todos entrar naquela praias contaminadas.Pior foi contar com assessoria de agências de turismo que não mencionaram nada. Decepção.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*