Tiradentes (MG), muito além de cidade histórica

Dizem que um dedinho de prosa mineiro costuma durar, pelo menos, duas horas. O que dizer então de uma mão inteira?

Tiradentes não perde a mão na hora de fazer turismo.

Localizado a pouco menos de 200 km de Belo Horizonte, esse destino não se apegou apenas a seu passado histórico e recebe viajantes com empreendimentos bem-sucedidos que fazem a gente esquecer que está em uma cidade de interior.

Haja negócio.

Centro histórico de Tiradentes, visto do Alto São Francisco (foto: Eduardo Vessoni)

Com menos de oito mil habitantes, Tiradentes tem cerca de 80 restaurantes, 180 pousadas e uma infinidade de atrativos que vão além do famoso centro histórico bem preservado do destino.

A cidade tem roteiros de bicicleta por áreas rurais, caminhadas na Estrada Real, harmonização de queijos mineiros com cachaça e espumante, e pôr do sol sobre uma colina, de onde se tem uma das vistas mais belas do casario e da serra de Tiradentes.

VEJA VÍDEO

O QUE FAZER EM TIRADENTES

para aventureiros

Muito além do casario bem preservado, Tiradentes tem trilhas aos pés da Serra de São José.

Os roteiros de experiência por áreas rurais e históricas do destino têm opções a partir de 9 km de extensão, como a convidativa trilha Sabor Rural, uma via plana que segue o leito ferroviário da Estrada da Caixa d’Água; a estrada-parque Passos dos Fundadores que pode ser explorada em carros 4×4 ou bicicleta; e até um roteiro de 90 km pela Estrada Real até a cidade de Carrancas, conhecida pelas cachoeiras. SAIBA MAIS

Estrada Parque Passo dos Fundadores, entre Tiradentes e Prados, em Minas Gerais (foto: Eduardo Vessoni)

para amantes de história
Tombado pelo IPHAN desde 1938, o centro histórico é visita obrigatória na cidade.

E basta caminhar sem rumo pelas ruas de pedras para ter diante dos olhos um dos acervos arquitetônicos mais importantes do Brasil.

Centro Histórico de Tiradentes, em Minas Gerais (foto: Eduardo Vessoni)

Destaque para o Museu de Sant’Ana, cujo acervo com 300 imagens, aproximadamente, dedicadas à mãe de Nossa Senhora, fica dentro da antiga cadeia pública da cidade; e a Igreja Matriz, um dos mais importantes exemplos do barroco mineiro.

“O charme de Tiradentes é andar nas ruas. Você tem a calma, o local não tem trânsito, anda devagar, cumprimenta as pessoas, bate papo, encontra os turistas que vêm aqui”, descreve o guia Vicente Silva.

para comer
A farra da culinária farta vai desde harmonização de queijos mineiros e paulistas com cachaças, na Queijaria Ouro Canastra (Rua Direita, 205), até a gastronomia artesanal do cenográfico Tragaluz, famoso pela galinha d’angola com cogumelos e polenta cremosa.

Os principais restaurantes ficam na central rua Direita, onde dá até para provar vinhos no casarão de estilo colonial do Pacco & Bacco, mas é no setor rural que Tiradentes é ainda mais mineira, em endereços como o Pau de Angu (na estrada para Bichinho / Tel.: (32) 9948-1692) com pratos como o mineirinho com costela, lombo, pernil, tutu, feijão tropeiro, couve e batatas, e a linguiça artesanal de pernil picado.

Restaurante Pacco & Bacco, no centro histórico de Tiradentes (foto: Divulgação)

Já o bairro Parque das Abelhas abriga o Empório Santo Antônio, cujos clássicos são a bochecha de porco e a costela no bafo / Tel.: (32) 3355-2433).

Quem fica pelo centro histórico conta também com o Estalagem do Sabor (Tel.: 32 – 3355.1144), aberto há 33 anos e famoso pelo Mané sem jaleco, mexidão com arroz branco, feijão roxinho, bacon, lombinho, ovos, cebola, couve e banana.

para dormir

Para essa reportagem, o Viagem em Pauta se hospedou na Dom Xavier, pousada de estilo rústico e quartos com vistas únicas da Serra de São José, na estrada de acesso a Bichinho, distrito do vizinho município de Prados.

Pousada Dom Xavier, em Tiradentes (foto: Eduardo Vessoni)

O proprietário Eduardo Nascimento não é de família hoteleira. E talvez seja essa a deixa para fazer a gente se sentir em casa, em um terreno de 800 m² e decoração com móveis de demolição.

“Não é um hotel para mim, é para o hóspede”, explica Nascimento, durante o café da manhã exagerado com opções como pães, queijos, biscoitos, bolos e frutas.

A hospedaria charmosa de Tiradentes é democrática e conta com opções econômicas como o Encanto da Serra, no centro de Tiradentes; e a exclusiva Solar da Serra, com vista para a Serra de São José.

FIQUE ATENTO
– A maior movimentação turística de Tiradentes acontece nos finais de semana, de sexta a domingo. Se for possível, programe sua viagem para dias da semana, pois a cidade está mais tranquila e o comércio costuma funcionar, normalmente, de segunda a segunda;
– A maioria dos museus da cidade fecha às terças-feiras, exceto o Museu Padre Toledo, que fecha na segunda;

Museu de Sant’Ana (foto: Eduardo Vessoni)

– Embora a alta temporada local seja nos meses de inverno, entre junho e agosto, a cidade tem atrativos para o ano inteiro. Porém, evite dezembro, o mês mais chuvoso;
– Quem vai em busca das cachoeiras da região, a temporada costuma ir de novembro a março.

SERVIÇO
Tiradentes Mais
tiradentesmais.com.br
* O Viagem em Pauta visitou Tiradentes a convite do grupo Tiradentes Mais

1 Trackback / Pingback

  1. Confira programação de eventos em Tiradentes, em Minas Gerais - Viagem em Pauta

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*